Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Comentário oportuno

José de Araujo Madeiro disse...

Ditadura é uma forma cruel de reinado, incompatível para uma nação civilizada.
Pior ainda quando o titular se elege através do voto popular, faz juramento à Constituição e no poder muda as regras do jogo, promovendo corrupções e reformas na legalidade, para permanecer ad eternum no poder, a exemplo do Hugo Chaves e Evo Morales.

Não o Lula, porque estamos prontos para reação.

O Brasil não é Venezuela ou Bolívia.

Em Cuba, todavia, houve uma revolução embora não justifique, mas Fidel Castro foi menos desonesto do que essa caterva da América do Sul.

Infelizmente os 84% que dão popularidade ao Ali-Babá do Brasil, não leem, mas usam jornal para outras coisas.

[Comentário do Blog: Caro José, você está certíssimo;
apenas o mais triste para nós BRASILEIROS DO BEM, que colocamos o BRASIL ACIMA DE TUDO, é que muitos desses tais 84% lêem jornal, blogs e até comentam tentando vender a idéia de que o Apedeuta é uma boa opção para o Brasil e que a 'stela' será a continuidade dele.]

LEI DA ANISTIA - se revogar para os ACUSADOS de tortura, tem que revogar para os ex-guerrilheiros e ex-terroristas

Ministro sugere que famílias questionem Lei da Anistia

Governo federal prepara comercial com parentes de desaparecidos

O ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi pediu ontem que vítimas da repressão do regime militar, familiares e entidades de classe se organizem para propor ações judiciais em massa questionando a abrangência da Lei de Anistia.

Em uma solenidade no Rio, ele propôs que a sociedade intensifique a pressão para que documentos e informações sobre o paradeiro de desaparecidos sejam revelados e informou que o governo prepara uma campanha publicitária com familiares.

Casos como os de Rubens Paiva e Stuart Angel não podem ser abandonados. Essa informação (o paradeiro deles) tem de aparecer – discursou Vannuchi na abertura da 8º Anistia Cultural, que julgou pedidos de indenização de 21 estudantes banidos de universidades durante a ditadura.

Vannuchi informou que os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil) e Franklin Martins (Comunicação) devem lançar até maio o sistema de acesso a dados de 14 arquivos estaduais, chamado Projeto Memórias Reveladas, com um edital que convoca donos de acervos particulares a transferir documentos para arquivos públicos. Segundo o ministro, Martins prepara uma comercial de TV em que aparecerão mães ainda vivas de desaparecidos políticos segurando fotos dos filhos e dizendo que não querem morrer sem saber o paradeiro deles.

Para Vannuchi, só a “saturação” provocada por um grande volume de processos mostrará ao Supremo Tribunal Federal (STF) que há uma demanda da sociedade por uma nova interpretação, sem o perdão a torturadores, da Lei de Anistia, que completa 30 anos em agosto.

Até agora, o entendimento que prevalece é o de que os militares envolvidos em violações não podem ser processados por terem sido anistiados pela lei de 1979 como os militantes de esquerda que pegaram em armas, embora não tenham sido submetidos a qualquer processo investigatório que os identifique.

– Na Argentina, Uruguai e Chile os familiares criaram centenas de ações. No Brasil, temos três, quatro, meia dúzia – argumentou.

Para ele, talvez as vítimas da ditadura e seus familiares tenham subestimado a Justiça. Em entrevista na saída do evento, Vannuchi disse que sua secretaria e o Ministério da Justiça continuarão o debate interno no governo até uma posição do STF.

[comentário do Blog: os revanchistas e revisionistas insistem na idéia estúpida de 'adptar' aos seus interesses escusos a interpretação da Lei de Anistia.

Lembro àqueles estultos que os brasileiros do BEM acusados da suposta prática do crime de tortura foram alcançados pela Lei de Anistia, embora não haja provas contra os acusados e nem tão pouco a prática de tortura na época que a acusação aponta NÃO ERA CRIME.

A tortura só foi classificada como crime na década de 90 e o Código Penal em seu artigo 1º dispõe claramente sobre a necessidade da anterioridade da Lei para que determinada conduta possa ser tipificada como CRIME.

Mas, vamos apenas supor que o STF fique contaminado pela estupidez do Vannuchi e seus comparsas e decida pela não aplicação da Lei de Anistia.

Restando o mínimo de bom senso, tal decisão se estenderá aos DOIS LADOS - brasileiros do BEM acusados da prática de tortura e os guerrilheiros e terroristas que praticaram atentados, sequestros e outros crimes - e, portanto, o bolcheviquepropaganderminister Franklin Martins e a 'stela' e mais centenas de outros ex-terroristas e ex-guerrilheiros terão que responder por seus crimes bárbaros com certeza o (des)governo vai perder muitos dos seus colaboradores.

Concluo com uma pergunta inocente: por que o Franklin Martins não pisa em território americano? por que o Gabeira e vários outros também não colocam os pés em sólo americano?

Será que foi porque sequestraram o embaixador americano - crime provado e comprovado.

E a ministra Dilma, está provado e comprovado que ela participou, com o codinome 'stela' de diversas ações terroristas, incluindo o roubo ao cofre do Ademar de Barros - o roubo houve e o dinheiro sumiu. Ninguém sabe, ninguém viu.]

Fonte: ZERO HORA

Zé Dirceu tem casa penhorada

Justiça ‘penhora’ casa de Dirceu para cobrir dívida

Essa é do Blog do Josias

O Tribunal de Justiça de São Paulo mandou à penhora a casa do ex-ministro José Dirceu. Está assentada num condomínio elegante de Vinhedo (SP). Deseja-se utilizar o imóvel para saldar uma dívida judicial atribuída a Dirceu. Coisa de R$ 120 mil.

Deve-se a revelação da novidade ao repórter Ricardo Feltrin. Ele conta que a sentença é nova, mas o processo é antigo. Arrasta-se há 20 anos, desde 1989. É querela de uma época em que Dirceu, um aguerrido deputado estadual, era estilingue, não vidraça. Movia processos, não era processado.

Pois bem, esse Dirceu de ontem decidira patrocinar uma ação popular contra o governo paulista de Orestes Quércia (1987-1990). Na ação, Dirceu questionara a compra de três dezenas de caminhões, feita pela Secretaria de Segurança da gestão Quércia.

Julga daqui, recorre dali, Dirceu perdeu a parada. Amargou derrotas na primeira e na segunda instância do Judiciário. O diabo é que, ao longo do processo, houve a necessidade de contratar os bons préstimos de um perito judicial. A coisa não saiu de graça.

E é Dirceu quem vai ter de pagar a conta, estimada em R$ 120 mil. Daí a penhora da casa.

O doutor Luiz Carlos Bueno de Aguiar, advogado de Dirceu, diz que vai recorrer. Quer salvar a casa e livrar o cliente da dívida.

“Não vou permitir que a única casa em nome do ex-ministro seja penhorada para pagar uma dívida que está prescrita".

São mesmo tortuosos os caminhos do destino. Neste processo, nascido na fase estilingue, Dirceu pede a prescrição. No processo do mensalão, da fase vidraça, Dirceu não pede, porque ficaria feio. Mas é sério candidato ao mesmo benefício da prescrição.


Fonte: Blog do Josias

Embraer vai à briga no TRT para demitir

Embraer sob pressão

Empresa considera legal a dispensa de 4,2 mil funcionários e vai recorrer da decisão de juiz que suspende o desligamento e exige negociação com os trabalhadores. Governo e ex-ministros elogiam tribunal


Decisão do TRT de Campinas força companhia a negociar com sindicatos dos empregados. Desembargador considera que faltou a análise de alternativas

A decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Campinas (SP) de suspender as 4,2 mil demissões na Embraer está sendo vista como uma forma de pressionar a negociação da companhia com sindicatos e trabalhadores. “É uma decisão corajosa e proferida sob a inspiração do cuidado com o social, com a repercussão das demissões. Não sei se juridicamente ela se mantém, mas estou interpretando como uma maneira para atrair as partes para a negociação”, ponderou Almir Pazzianoto, ex-ministro do Trabalho e ex-ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Essa também foi a interpretação da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. “O presidente (Lula) deixou claro para a diretoria da Embraer o descontentamento porque, já que as questões internacionais, e não nacionais, levaram a empresa a demitir, poderia ter sido feita uma ação de forma mais humana, e talvez seja essa a oportunidade”, afirmou Dilma. “Uma coisa é comunicar na véspera, outra coisa é discutir. Acho que pode ser uma oportunidade para a empresa negociar de forma mais correta”, reforçou.

O presidente do TRT de Campinas, desembargador Luís Carlos Cândido da Silva, disse ao Correio que o percentual e o número de demissões e a informação de que em nenhum momento houve negociação foram os motivadores de sua decisão. “Mereceria uma condição diferenciada um despedimento nessa proporção. E como a negociação não se verificou e atento aos princípios constitucionais e convenções coletivas, entendi que, ainda que a título precário, essas rescisões de trabalho seriam suspensas até quinta-feira, momento em que se realizará a audiência de conciliação aqui no tribunal, com a presença das partes”, afirmou.

Alternativas
O desembargador reforçou que poderiam ser tomadas outras alternativas, como férias coletivas, programas de demissão voluntária, redução de salário, desde que houvesse negociação coletiva. “Não estou dizendo com isso que é vedado o despedimento, a rescisão é possível sim, ainda que em massa, mas acho que temos que ter parâmetros, outras análises para chegar aí. Não estou dizendo que estou contra o despedimento por si só, temos que analisar um bem maior, primário, que é a questão da dignidade da pessoa humana, direito garantido pela Constituição”, ressaltou.

O advogado trabalhista Luiz Inácio Barbosa elogiou a decisão. “Ele encontrou uma saída com alguma consistência jurídica, mas muito mais com conteúdo social. E o Código Civil determina ao juiz que, ao aplicar a lei ao caso concreto, deve-se buscar muito mais o cunho social. Está na lei de introdução do Código Civil. A decisão é consistente. Você pode não concordar com ela, mas ela tem um embasamento jurídico”, analisou.

A Embraer informou que pretendia entrar ainda ontem com recurso junto ao TRT “uma vez que procedeu as referidas dispensas rigorosamente de acordo com todos os preceitos e normas legais existentes”. A intervenção da Justiça paulista nas demissões anunciadas pela Embraer é o segundo caso recente de uma tentativa judicial para amenizar os efeitos da crise no mercado de trabalho. O primeiro foi na Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

Euforia passageira
Os demissionários da Embraer estavam em assembleia ontem, em São José dos Campos, quando receberam uma cópia da liminar do TRT da 15ª Região, determinado que a empresa readmita os dispensados. Os funcionários bateram palma, dançaram e se emocionaram com a possibilidade de ter o emprego de volta. Diante da euforia, o diretor-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Luiz Carlos Prates, tentou alertá-los de que a decisão é provisória e não garante que os demitidos terão o emprego de volta. “Temos que deixar claro que o juiz apenas deu uma sobrevida para nós. Pode ser que algumas pessoas sejam reintegradas definitivamente ao cargo, mas pode ser que não”, disse Prates.

Da sede do sindicato, os funcionários seguiram para a porta da Embraer e se juntaram aos demitidos da GM, somando 400 manifestantes. O técnico em eletricidade Reginaldo Tadeu dos Santos, 36 anos, foi demitido na véspera do carnaval. Ele conta que entrou em desespero porque é casado e tem um filho de 10 anos que estuda em escola particular, além de pagar aluguel. Quando soube que o desembargador determinou a reintegração até quinta, ele primeiro vibrou. Depois, caiu na real. “Não acredito que a gente vá ter o emprego de volta”, disse.

Na audiência, os metalúrgicos vão alegar que a desculpa de que a demissão ocorreu por conta de crise não procede, já que em 2008 a empresa fabricou e entregou 204 aeronaves e para 2009 estão previstas mais 242. Outro argumento do sindicato é que, um dia depois da demissão, o Diário Oficial da União publicou um convênio assinado entre a Embraer e o governo federal para reformar 43 aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). O contrato prevê repasse de US$ 147,5 milhões para aumentar a vida útil e a capacidade operacional desses aviões.


Fonte: Correio Braziliense

Volkswagen vai cortar 16.500 vagas temporárias, no mundo

Volkswagen vai cortar todos os empregos temporários

A Volkswagen vai cortar durante o ano de 2009 todos os empregos temporários, que eram de 16.500 no mundo no final de 2008, anunciou o presidente da empresa automobilística alemã, Martin Winterkorn, em entrevista à revista alemã Der Spiegel divulgada neste sábado (28/02).

Em 2009, "não empregaremos nenhum funcionário temporário. É horrível para os afetados, mas não há outra solução", disse.

A Volkswagen vinha evitando fazer previsões sobre a redução deste tipo de empregos, mas há pouco tempo o diretor financeiro da empresa, Hans Dieter Pötsch, avisou que "teria de se desfazer da maioria se a conjuntura não melhorasse".

Na Alemanha, a VW empregava no fim de 2008 cerca de 4.500 temporários. Muitas das demais vagas estão no leste da Europa ou no Brasil.

As vendas do primeiro construtor automobilístico europeu caíram 15% em janeiro e a Volkswagen prevê ainda um recuo de 10% em 2009. A empresa não exclui a possibilidade de registrar prejuízo no primeiro trimestre em razão da queda dos mercados automobilísticos no mundo.

Winterkorn garantiu que os empregos do pessoal fixo da Volkswagen não estão, em compensação, ameaçados por enquanto. "Ninguém aqui ainda está pensando em demissões ou algo parecido", declarou.

"Com a carga horária de trabalho reduzida, conseguimos não fabricar estoques de carros. E temos uma semana de trabalho de 35 horas que podemos reduzir a 28 horas. Podemos também limitar a produção e garantir a manutenção do pessoal fixo. Para este ano, não vejo nenhum problema", acrescentou Martin Winterkorn.

A VW emprega no total aproximadamente 330 mil pessoas no mundo.

Fonte: France Press

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

O Editorial que indignou os PeTralhas

[esclarecimento do Blog: abaixo transcrevemos Editorial publicado pela Folha de São Paulo e que provocou indignação a corja petista/lulista que está tomando de assalto os cofres públicos.

Os aloprados petistas fizeram o maior escarcéu pelo uso do termo 'ditabranda' na manifestação da Folha.

Para melhor ilustrar o quanto são aloprados transcrevo também dois comentários ridículos apresentados ao Editorial e a adequada resposta daquele jornal em 'nota da redação'.]


Limites a Chávez

Apesar da vitória eleitoral do caudilho venezuelano, oposição ativa e crise do petróleo vão dificultar perpetuação no poder
O ROLO compressor do bonapartismo chavista destruiu mais um pilar do sistema de pesos e contrapesos que caracteriza a democracia. Na Venezuela, os governantes, a começar do presidente da República, estão autorizados a concorrer a quantas reeleições seguidas desejarem.

Hugo Chávez venceu o referendo de domingo, a segunda tentativa de dinamitar os limites a sua permanência no poder. Como na consulta do final de 2007, a votação de anteontem revelou um país dividido. Desta vez, contudo, a discreta maioria (54,9%) favoreceu o projeto presidencial de aproximar-se do recorde de mando do ditador Fidel Castro.

Outra diferença em relação ao referendo de 2007 é que Chávez, agora vitorioso, não está disposto a reapresentar a consulta popular. Agiria desse modo apenas em caso de nova derrota. Tamanha margem de arbítrio para manipular as regras do jogo é típica de regimes autoritários compelidos a satisfazer o público doméstico, e o externo, com certo nível de competição eleitoral.

Mas, se as chamadas “ditabrandas” -caso do Brasil entre 1964 e 1985- partiam de uma ruptura institucional e depois preservavam ou instituíam formas controladas de disputa política e acesso à Justiça-, o novo autoritarismo latino-americano, inaugurado por Alberto Fujimori no Peru, faz o caminho inverso. O líder eleito mina as instituições e os controles democráticos por dentro, paulatinamente.

Em dez anos de poder, Hugo Chávez submeteu, pouco a pouco, o Legislativo e o Judiciário aos desígnios da Presidência. Fechou o círculo de mando ao impor-se à PDVSA, a gigante estatal do petróleo.

A inabilidade inicial da oposição, que em 2002 patrocinou um golpe de Estado fracassado contra Chávez e depois boicotou eleições, abriu caminho para a marcha autoritária; as receitas extraordinárias do petróleo a impulsionaram. Como num populismo de manual, o dinheiro fluiu copiosamente para as ações sociais do presidente, garantindo-lhe a base de sustentação.

Nada de novo, porém, foi produzido na economia da Venezuela, tampouco na sua teia de instituições políticas; Chávez apenas a fragilizou ao concentrar poder. A política e a economia naquele país continuam simplórias -e expostas às oscilações cíclicas do preço do petróleo.

O parasitismo exercido por Chávez nas finanças do petróleo e do Estado foi tão profundo que a inflação disparou na Venezuela antes mesmo da vertiginosa inversão no preço do combustível. Com a reviravolta na cotação, restam ao governo populista poucos recursos para evitar uma queda sensível e rápida no nível de consumo dos venezuelanos.

Nesse contexto, e diante de uma oposição revigorada e ativa, é provável que o conforto de Hugo Chávez diminua bastante daqui para a frente, a despeito da vitória de domingo.

Transcrição de algumas manifestações apresentadas por aloprados petistas no Painel do Leitor da Folha.

Para não valorizar, quem não merece, o Blog não cita o nome dos autores das asneiras a seguir transcritas:

- “Mas o que é isso? Que infâmia é essa de chamar os anos terríveis da repressão de “ditabranda’? Quando se trata de violação de direitos humanos, a medida é uma só: a dignidade de cada um e de todos, sem comparar “importâncias” e estatísticas. Pelo mesmo critério do editorial da Folha, poderíamos dizer que a escravidão no Brasil foi “doce” se comparada com a de outros países, porque aqui a casa-grande estabelecia laços íntimos com a senzala -que horror!”

- “O leitor ................................................ tem carradas de razão. O autor do vergonhoso editorial de 17 de fevereiro, bem como o diretor que o aprovou, deveriam ser condenados a ficar de joelhos em praça pública e pedir perdão ao povo brasileiro, cuja dignidade foi descaradamente enxovalhada. Podemos brincar com tudo, menos com o respeito devido à pessoa humana.”

Resposta da Folha:

Nota da Redação - A Folha respeita a opinião de leitores que discordam da qualificação aplicada em editorial ao regime militar brasileiro e publica algumas dessas manifestações acima. Quanto aos professores Comparato e Benevides, figuras públicas que até hoje não expressaram repúdio a ditaduras de esquerda, como aquela ainda vigente em Cuba, sua “indignação” é obviamente cínica e mentirosa.

Fonte: Folha de São Paulo

Tarso e Dilma divergem sobre repasses as quadrilhas de invasores

Verba polêmica

Dilma defende repasse de recursos para os sem-terra. Tarso diz que cabe à CGU investigar

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o ministro da Justiça, Tarso Genro, se manifestaram nesta sexta-feira sobre o repasse de recursos do governo federal para movimentos sociais como o dos sem-terra. Levantamento feito pelo GLOBO mostra que, desde 2002, o governou repassou R$ 49,4 milhões para movimentos que invadem terras , o que é proibido pela legislação. Enquanto a ministra se manifestou a favor da destinação dos recursos, Tarso, em nota, disse que a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas devem analisar se os repasses são ou não ilegais.

Na quarta-feira, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, criticou as invasões dos sem-terra comandadas por José Rainha , líder dissidente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), durante o carnaval no Pontal do Paranapanema, em São Paulo. Segundo Gilmar Mendes, as ações extrapolam os limites da legalidade e a lei impede o poder público de financiar esses grupos.

Em Florianópolis para a inauguração da nova linha de transmissão de energia elétrica entre Desterro e Palhoça, Dilma disse que ao repassar os recursos para os sem-terra, o governo está cumprindo a legislação.

- Nós não operamos com nenhuma ilegalidade. E não há nenhuma manifestação formal do Judiciário (sobre o assunto) - afirmou a ministra, que disse respeitar a opinião de Gilmar Mendes.[comentário do Blog: ministra se existe legislação proibindo o repasse é dever do (des)governo cumprir, não sendo necessário manifestação prévia do Judiciário.]

Já Tarso lembrou que a PF instaura inquéritos sempre que recebe notícias crime (originárias do Tribunal de Contas, de uma outra fonte, ou por requisição do Ministério Público), não apenas em assuntos de organizações de sem-terra. Ele disse que há órgãos responsáveis para apurar se há algum tipo de irresponsabilidade na destinação dos recursos.

"Se tiver alguma irregularidade que envolva órgãos federais, é remetida para a PF realizar o inquérito. Então, nós recebemos com normalidade a manifestação do presidente do Supremo Tribunal Federal, e não temos nenhum comentário de conteúdo a fazer sobre elas", disse o ministro na nota divulgada pelo Ministério da Justiça.

Tarso: 'Violações de propriedade privada são questões de ordem pública'

Sobre as invasões de propriedades, Tarso disse que ainda não recebeu nenhum pedido de apoio dos estados que tiveram problemas por conta de ocupações.

"Do ponto de vista do Ministério, temos consciência de que essas violações de propriedade privada são questões de ordem pública, de responsabilidade dos estados, da polícia estadual e da justiça estadual", afirmou o ministro.

De acordo com Tarso, a Força Nacional sempre esteve à disposição para dar o respaldo necessário, não apenas nesses casos específicos, mas também para qualquer questão em que o governo local precise de reforço em suas operações policiais. O ministro acrescentou que quando há algum tipo de ocupação de um órgão federal, a Polícia Federal costuma agir de forma pacífica na retiradas dos manifestantes, pois "não é competência da União fazer policiamento ostensivo repressivo".

O MST aparece com destaque entre os mais de 70 movimentos que invadem fazendas no país, e está sempre no topo da lista das invasões. Em 2007, a participação do movimento nessas ações atingiu, proporcionalmente, seu ápice: o MST foi o responsável por 217 (72,8%) das 298 invasões registradas no país naquele ano. Em 2008, o MST foi o responsável por 132 (57,3%) das 230 ocupações entre janeiro a novembro. Em 2006, o índice foi de 66,5% (171 ações).

Fonte: O Globo

'Barraco' no cativeiro

Ex-reféns americanos criticam Ingrid Betancourt
Um livro de três ex-reféns americanos das Farc, intitulado Out of Captivity (Fora do Cativeiro, em inglês), está causando polêmica na Colômbia por fazer críticas à figura de Ingrid Betancourt, a ex-senadora e ex-candidata à Presidência que ficou mais de seis anos em poder dos guerrilheiros. Segundo os autores, Ingrid era “arrogante”, “egoísta” e se recusou a ficar alojada junto com eles no acampamento dos reféns.
Há também revelações de romances entre os capturados: Ingrid teria tido um relacionamento com o ex-senador Luiz Eladio Perez, libertado meses antes dela.
Os dois “dormiam juntos”, diz um dos trechos.
Nenhum dos citados pelos americanos quis se alongar sobre o teor do livro, diz o jornal El Tiempo.

Americanos ex-reféns das Farc dizem em livro que Ingrid Betancourt furtava comida no cativeiro

Sete meses após ser libertada pela guerrilha colombiana, Ingrid Betancourt voltou à berlinda. Desta vez, de forma negativa.

Três americanos que foram reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) publicaram o livro "Out of Captivity" (Fora do cativeiro) em que acusam a célebre prisoneira franco-colombiana de furtar comida dos companheiros no cativeiro que eles dividiam.

Os autores da obra - Marc Gonsalves, Keith Stansell e Tom Howes - descrevem Ingrid como "dominadora", "traidora" e "egoísta". Após cinco anos de cativeiro, os três foram soltos na mesma operação que devolveu Ingrid à liberdade.

- Eu não quero atacá-la, mas a verdade é muito cruel - disse Stansell ao "New York Times".

Os empreiteiros americanos foram capturados por guerrilheiros depois que o avião em que estavam caiu na selva colombiana. Segundo eles, Ingrid dizia às Farc que os três poderiam ser agentes da CIA (agência de inteligência americana).

O livro mostra uma Ingrid que se sentia no topo da hierarquia dos reféns e que determinava até o horário para o banho dos prisioneiros.

A franco-colombiana acumulava roupas usadas e material para escrever que deveriam ser dados a outros reféns, além de sonegar informações que ela capturava de um rádio que ela mantinha escondido, contam os autores. Stansell se refere a Ingrid como uma "princesa arrogante" que "pensa que as Farc construíram um castelo só para ela".

Ingrid não comentou sobre o conteúdo da obra, lançada na quinta-feira em Nova York.

Fonte: O Globo

Câncer, pode ser evitado em pelo menos 30%

Boa parte dos casos de câncer no Brasil poderia ser evitada, diz estudo

[esclarecimento do Blog: a matéria se refere ao câncer doença; já que o câncer moral e ético que atinge, com raras exceções, os políticos brasileiros esse é inevitável e incurável.]

Cerca de 30% dos casos de 11 tipos de cânceres pesquisados poderiam ser facilmente evitados no Brasil, de acordo com um estudo divulgado nesta quinta-feira, com a adoção de uma dieta saudável, a prática de mais exercícios físicos e um controle de peso adequado.

O relatório Policy and Action for Câncer Prevention (Política e Ação para a Prevenção do Câncer), uma parceria do Fundo Mundial de Pesquisas sobre Câncer (WCRF, na sigla em inglês) e do Instituto Americano para a Pesquisa do Câncer (AICR, na sigla em inglês), calculou a porcentagem dos casos de vários tipos da doença que poderiam ser evitados também nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha e na China.

Os pesquisadores calculam que um quarto dos casos de câncer em países de baixo poder aquisitivo como a China poderiam ser evitados com esses hábitos saudáveis. Em países desenvolvidos, a proporção sobe para um terço.

O Brasil, como país de poder aquisitivo considerado médio, se encontra no meio do caminho entre estas duas proporções, segundo o relatório.

Brasil

Ao todo, 11 tipos de câncer foram estudados no Brasil e na China: o de boca, laringe e faringe (considerado uma única categoria); esôfago, pulmão, estômago, pâncreas, vesícula biliar, cólon, fígado, mama, endométrio (mucosa uterina) e rim.

Nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha, o câncer de próstata também foi pesquisado.

Os cientistas concluíram que cerca de 63% dos casos de câncer de boca, laringe e faringe no Brasil poderiam ser prevenidos, igual à proporção americana, um pouco menor do que a britânica (67%) e maior do que a chinesa (44%)

Em termos absolutos, o maior impacto seria na prevenção do câncer de mama, que é o segundo caso mais frequente da doença entre as brasileiras, atrás apenas do câncer de pele.

O Instituto Nacional do Câncer calcula que 49 mil casos de câncer de mama devem ser registrados no país em 2009. Consequentemente, segundo os cálculos da pesquisa, quase 14 mil casos poderiam ser prevenidos.

Recomendações

"Esperamos um crescimento substancial dos índices de câncer com o envelhecimento das populações, o aumento da obesidade, com as pessoas menos ativas e consumindo cada vez mais comidas pouco saudáveis", afirmou Martin Wiseman, diretor da pesquisa.

"A boa notícia é que isso não é inevitável e ainda podemos evitar uma crise, antes que seja tarde demais."

Entre as recomendações dos pesquisadores estão:

  • as escolas devem encorajar a alimentação saudável e as atividades físicas;
  • instituições de ensino não devem vender alimentos pouco saudáveis aos alunos;
  • os governos devem encorajar a população a caminhar e andar de bicicleta;
  • os governos devem tornar leis as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS);
  • a indústria alimentícia deve fazer da saúde pública a prioridade durante todos os estágios da produção.
Fonte: BBC Brasil

Governo Lula repassou para o MST quase R$ 50 MILHÕES

Repasses a invasores somam quase R$ 50 milhões em 7 anos
O repasse de verba do governo federal a entidades que promovem invasões de terra está proibido por lei desde 2001, mas nos últimos sete anos a União destinou R$ 49,4 milhões a grupos invasores, informa O Globo.
De 2002 a novembro de 2008, foram registradas 1.667 invasões em todo o país, das quais dois terços tiveram participação do MST.
O El País diz que o movimento dos sem-terra está “contra as cordas” depois de ser acusado do assassinato de quatro seguranças de uma fazenda em Pernambuco.
Segundo o jornal espanhol, há uma “difícil dialética” entre o MST e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Verba pública

Apesar de a lei proibir, governo já repassou R$ 49,4 milhões para movimentos sem terra

O governo federal repassou, desde 2002, R$ 49,4 milhões para movimentos sociais que invadem terras, isso apesar de a legislação proibir desde um ano antes o repasse de verbas públicas a entidades que comandam ocupações de propriedades. Os recursos beneficiaram, principalmente, entidades ligadas ao Movimento dos Sem Terra (MST) e ao Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST). De 2002 a novembro de 2008, foram registradas 1.667 invasões de terra no país, e o MST foi o que mais invadiu. É o que mostra reportagem de Evandro Éboli na edição desta sexta no GLOBO.

Desde setembro de 2004, quando a Ouvidoria Agrária Nacional passou a identificar as entidades responsáveis pelas invasões, foram registradas 711 ocupações do MST - ou 66% de todas as ocupações no período. Os repasses supostamente ilegais começaram em 2002, ainda no governo Fernando Henrique, quando duas entidades ligadas ao MST receberam R$ 2,1 milhões.

Em 2003, já no governo Lula, o repasse para essas associações subiu para R$ 7,5 milhões. No ano seguinte, chegou a R$ 14 milhões, a maior cifra até 2008, segundo levantamento do Contas Abertas.

Governo mantém silêncio sobre repasses legais

Um dia depois de o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, lembrar que o repasse para entidades que organizam invasões é ilegal, o governo se manteve em silêncio. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, recusou-se a comentar e não deu qualquer explicação sobre os repasses ilegais.

O MST aparece com destaque entre os mais de 70 movimentos que invadem fazendas no país, e está sempre no topo da lista das invasões. Em 2007, a participação do movimento nessas ações atingiu, proporcionalmente, seu ápice: o MST foi o responsável por 217 (72,8%) das 298 invasões registradas no país naquele ano. Em 2008, o MST foi o responsável por 132 (57,3%) das 230 ocupações entre janeiro a novembro. Em 2006, o índice foi de 66,5% (171 ações).

[comentário do Blog: o MST é a reedição, mais perigosa e equipada, das Ligas Camponesas de Francisco Julião que atuavam no Nordeste na década de 60 e, felizmente, foram desbaratadas pelo militares no inicio do movimento revoluciona´rio de 64.
O MST é mais perigoso em virtude de receber subsidios do governo federal, seus integrantes possuem treinamento de guerrilhas e estão associados as FARC, ao PCC, aos Círculos Bolivarianos - que estão crescendo no sul do Brasil, notadamente no Paraná - e seguem uma orientação única: FORO de SÃO PAULO - FSP.]

Justiça suspende demissões na EMBRAER

Justiça concede liminar que suspende 4.200 demissões na Embraer

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) concedeu liminar nesta sexta-feira (27/02) suspendendo, até a próxima quinta, as mais de 4.200 demissões feita pela Embraer na semana passada. A liminar é resultado de ação das centrais Força Sindical e Conlutas, que ontem protocolaram no TRT de Campinas (93 km de SP) uma ação de dissídio coletivo para pedir a anulação das demissões.

Ontem, o tribunal já havia agendado para o próximo dia 5 de março uma audiência de conciliação entre a Embraer e as entidades sindicais para analisar as dispensas, motivadas pela crise internacional e pela queda da demanda por aeronaves.

O presidente do TRT da 15ª Região, em Campinas, desembargador Luís Carlos Cândido Martins Sotero da Silva, disse ontem que uma negociação prévia poderia resultar em alternativas à rescisão: "Você pode reduzir a jornada, reduzir salário; são mecanismos que podem mitigar esta situação mais grave", afirmou. Na ação protocolada, as entidades sindicais argumentam que a Embraer ignorou os sindicatos e não estabeleceu nenhum tipo de negociação antes de oficializar a demissão em massa.

As centrais alegaram ainda que a empresa tem alta lucratividade, o que poderia, na opinião deles, evitar as demissões no momento de crise. A Força agendou um protesto para hoje, a partir das 14h, em São José dos Campos, onde fica a sede da Embraer.

Antes disso, na segunda-feira (2/03), deve ocorrer uma audiência de mediação entre a Embraer e representantes dos funcionários, agendada pelo Ministério Público do Trabalho. A audiência atende a representação registrada pelo sindicato para pedir que as demissões da Embraer sejam anuladas.

Demissões
A Embraer alegou que os efeitos da crise financeira internacional são os responsáveis pela queda das encomendas, o que gerou a necessidade de demissões.

O corte representa cerca de 20% do efetivo de 21.362 empregados, e se concentram na mão-de-obra operacional, administrativa e lideranças, incluindo a ´eliminação de um nível hierárquico de sua estrutura gerencial.

A Embraer também revisou suas estimativas para 2009. A empresa calcula entregar 242 aeronaves no período (antes 270 na previsão anterior), com uma receita prevista de US$ 5,5 bilhões (ante US$ 6,3 bilhões). Por conta da redução da estimativa de receita, a empresa refez sua previsão de investimentos para US$ 350 milhões neste ano (ante US$ 450 milhões).

Fonte: FolhaNews

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Tarso Genro apronta mais uma

Tarso volta a defender tese da ONU sobre Justiça de Transição para que STF redefina alcance da Anistia

[comentário do Blog: Uma vez, no governo Sarney, o ministro da reforma agrária - salvo engano, Nelson Ribeiro - levou para o Sarney assinar um decreto de desapropriação.
Sarney, esperto como sempre, antes de assinar mandou conferir e o decreto simplesmente desapropriava a cidade de Londrina-PR. Então o presidente e dono do Maranhão disse: o Nelson ainda vai me derrubar.
Logo, logo, o senhor Lula vai emitir o mesmo comentário em relação ao 'brilhante desempenho' do ministro Tarso Genro.]

Aproveitando o Carnaval (que pena que acabou!), o ministro da Justiça, Tarso Genro, e o presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, saíram novamente em defesa da tese de “uma justiça de transição” entre o atual regime e a dita-dura militar (que produziu tantos “mártires” e “heróis” de esquerda). Tarso e Abrão escreveram um artigo, publicado segunda-feira na página de Opinião de O Globo, em favor de “um conjunto de mecanismos hábeis para tratar o legado de violência do regime autoritário, para sinalizar ao futuro a ideia da ´não repetição´”.

O texto de Tarso e Abrão (“Anistia e Democracia”) é uma propaganda ideológica direta aos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal.
“Rompeu-se a cultura do medo, reafirmando que na democracia não podem existir temas proibidos e a sociedade livre pôde levar o tema ao STF, que definirá se o Brasil enfrentará seu passado a exemplo de tantas outras nações e segundo as exigências da ONU e da OEA”. O STF julgará, em breve, os efeitos da Lei de Anistia de 1979. Junto com a Ordem dos Advogados do Brasil, Tarso Genro defende uma redefinição dos alcances da lei.

No artigo, Tarso e Abrão explicam os princípios da “Justiça de Transição” definidos pela Organização das Nações Unidas
:“Seus elementos centrais são a verdade e a memória (conhecimento dos fatos e resgate da história), a reparação (imperativo dever do Estado de indenizar os perseguidos políticos), o restabelecimento pleno do preceito da justiça e do devido processo legal (direito da sociedade em processar e responsabilizar aqueles que romperam com a legalidade e violaram os direitos de cidadania cometendo crimes contra humanidade) e a reforma das instituições (vocacionar os órgãos de segurança para a vida democrática).

Recado para quem?
Um dos trechos mais importantes do texto de Tarso é Abrão tem endereço certo:
A história indica que é preciso lembrar para não repetir jamais. Deve o Estado manter uma política de preservação da memória histórica e de afirmação dos valores democráticos. Como um fenômeno social, histórico, temporal e mutante, a democracia exige olhares atentos e os cuidados da prudência”.

Quem quiser vestir a carapuça (ou o quepe) que interprete o que foi escrito por Tarso e Abrão.

A Regra é clara
A Advocacia Geral da União já apresentou um parecer que defende que os agentes políticos acusados agora de crimes cometidos no tempo da dita-dura
não podem ser julgados.

O suposto crime do qual são acusados teriam sido
perdoados pela Lei de Anistia de 1979.
Já os revanchistas e revisionistas do
atual desgoverno, por motivações ideológicas, embarcam na tese da Organização das Nações Unidas.

A autoridade máxima da ONU para a tortura, Manfred Nowak, avalia que os atos cometidos durante a ditadura militar no Brasil são crimes contra a humanidade, não prescrevem e nenhuma lei de anistia deve impedir investigações sobre os culpados.

Clara mesmo
Não existe crime sem lei anterior nem pena sem condenação. Só em 1997 o crime de tortura foi tipificado no Brasil.
Os supostos crimes praticados antes da Lei de Anistia de 1979 já prescreveram.
A lei penal só pode retroagir para beneficiar o acusado.

Fonte: Blog Alerta Total - Jorge Serrão

[comentário do Blog: chega a ser cômico, apesar de normal pois estamos no (des)governo Lula, que um ministro da Justiça - que suponho tenha algum conhecimento de direito, no caso do atual ministro me parece que ele é portador de um diploma de bacharel em direito - insista em defender uma tese que não encontra suporte no mais elementar principio de direito.
A tese absurda do ministro Tarso Genro afronta tanto o principio da anterioridade da lei penal quanto o da prescrição.
O pensamento da autoridade máxima da ONU para a tortura não merece sequer comentários, inclusive por ser aquela autoridade máxima na ONU e estamos no Brasil - que apesar do senhor Lula ter colocado de 'quatro' diante da Bolívia - é SOBERANO.
Agora o que deve começar a ser analisado, questionado, inclusive por qualquer cidadão - que é parte legítima na defesa dos recursos públicos - são os critérios usados pela 'comissão de anistia', presidida pelo Paulo Abraão, parceiro do ministro Tarso Genro na estultice em comento, para conceder estabelecer valores de indenizações e pensões - afinal os recursos que pagam as pensões e indenizações a ex-criminosos são recursos públicos, da mesma fonte de onde provém os que bancam o MST.]

Lula e Dilmona são notificados pelo TSE

Defesa é opcional

TSE notifica nesta quinta Lula e Dilma em ação da oposição

O ministro Arnaldo Versiani, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), notificou nesta quinta-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, para apresentarem, em até 48 horas, as defesas na representação ajuizada contra eles no tribunal. A defesa, segundo a assessoria do TSE, é opcional.

A representação do DEM e do PSDB se centra na participação de Dilma em encontro que reuniu cerca de 4 mil prefeitos patrocinado pela Presidência da República entre os dias 10 e 11 de fevereiro. Lula e Dilma teriam usado o encontro, bancado por recursos públicos, para divulgar a provável candidatura da ministra à sucessão em 2010, segundo a oposição. O presidente e a ministra negaram em entrevistas uso eleitoreiro do encontro.

Na representação, DEM e PSDB pedem a aplicação de multa ao presidente Lula, como "artífice da conduta", e à ministra Dilma Rousseff, como beneficiária. O valor da multa corresponde a R$ 53.200. Os partidos pedem ainda que os autos sejam encaminhados ao Ministério Público Eleitoral, para as providências previstas em lei.

A defesa faz parte da instrução do processo, que deve incluir parecer da Procuradoria Geral Eleitoral antes de seguir para o plenário. O tribunal não tem previsão de data para o julgamento.

AGU classifica como 'total descabimento' a representação no TSE

O advogado-geral da União, José Antonio Tofoli, se reuniu nesta quinta-feira com Lula para discutir sobre a defesa que será apresentada ao TSE. Tófoli saiu da reunião no Planalto fazendo coro à versão de todo o governo de que não houve propaganda eleitoral antecipada no encontro promovido pelo governo.

- É um total descabimento a ação. Ali não há propaganda eleitoral antecipada. Foi um ato de governo, uma ação institucional para os novos prefeitos, no sentido de apresentar-lhes os programas do governo federal para facilitar o intercâmbio de ações - defendeu.

Na opinião do advogado-geral, a oposição tem direito de reclamar, mas será a Justiça quem definirá se os atos praticados por Lula e por Dilma podem ser considerados como propaganda eleitoral antecipada.

- A oposição tem todo o direito de reclamar junto à Justiça de alguma ação que ela entende incorreta ou inconveniente. E caberá ao governo fazer a defesa, e à Justiça julgar. Isso faz parte do jogo democrático. Aliás, acho que a oposição acaba fazendo uma campanha da ministra Dilma quando coloca esse enfoque. Mas, enfim, foi opção da oposição fazer essa representação.

Ele lembrou também que no encontro haviam prefeitos de todos os partidos e contou também com a presença do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, do DEM.

- Estaria o governador Arruda fazendo campanha? É evidente que não. Aquilo era um ato institucional, sem nenhum tipo de campanha antecipada.

Fonte: Chico de Gois - O Globo

[comentário do Blog: o mais elementar senso de Justiça impõe a punição pelo TSE do senhor Lula e da ministra Dilma, já que não há nenhum argumento que jutifique a tese de que o encontro de prefeitos não teve como objetivo principal a 'apresentação' da candidatura da 'mãezona do PACo' - aliás do jeito que o PACo anda emPACado, logo, logo aquela ministra estará sendo chamada de 'madrasta do PACo';

há também a agravante de que todas as despesas do encontro de pré lançamento da candidatura Dilma foram custeadas com recursos públicos;

o advogado-geral da União está cumprindo sua função quanto tenta defender a dupla transgressora da legislação eleitoral e não entendi a analogia que ele faz com a presença do governador Arruda - que estava na reunião como participante e não como anfitrião. Embora por ser do DEM o governador Arruda não deveria ter comparecido ao evento - embora de um político, especialmente com o histórico do gov. Arruda, tudo pode ser esperado.

Embora o José Antonio Tofoli tenha pela frente algumas paradas indigestas: uma delas defender o Tarso Genro.]

Gilmar Mendes joga duro contra MST

Gilmar Mendes cobra que MP investigue MST, e Raínha Júnior pede mesmo tratamento dado a Daniel Dantas

Por Jorge Serrão

O presidente do Supremo Tribunal Federal finalmente resolveu abrir guerra contra o Movimento Social Terrorista dos sem-terra. Gilmar Mendes criticou ontem as invasões de fazendas no Pontal do Paranapanema, porque extrapolam os limites da legalidade. Gilmar deu uma estocada no desgoverno Lula, indiretamente, ao criticar que sejam repassados recursos oficiais a cooperativas ligadas ao MST, que opera na ilegalidade e comete atos ilícitos.

O terrorismo contra-argumenta. O líder dissidente do MST, José Rainha Júnior, rebateu hoje as acusações de Gilmar. Líder da invasão de 21 fazendas no Pontal do Parapanema, Rainha ironizou e cobrou do ministro o mesmo tratamento dispensado ao banqueiro Daniel Dantas, dono do Opportunity e acusado de corrupção, durante a Operação Satyagraha, da Polícia Federal. Dantas foi preso duas vezes, mas acabou solto após habeas corpus concedidos por Mendes.

Rainha usou o velho discurso de luta de classes: “Não se pode deixar os ricos sempre a favor da lei e condenar os pobres por se valerem de lutas”. Rainha afirmou que a invasão não é um crime e muito menos o Pontal uma região de conflitos violentos: “O ministro está fora do foco. A questão é de ordem social. O Pontal nunca foi um lugar de violência. Aliás, eu sou contra qualquer tipo de violência. A vida tem que estar acima de qualquer coisa. Ninguém nunca morreu em conflito por aqui”.

Gilmar foi direto: “Dinheiro público para quem comete ilícito é também uma ilicitude. O que se sabe é que termômetro jurídico sinaliza que há excessos e é preciso repudiá-los. Essas pessoas podem ser acionadas por responsabilidade. Elas repassam recursos sem base legal, estão operando em quadro de ilicitude”. Gilmar Mendes cobrou do Ministério Público que investigue tal situação. A questão agora é se o MP acatará o pedido já que nada fez até agora contra a ilegalidade do MST.

O MST não existe como personalidade jurídica (sequer é registrado em cartório). Opera fora da lei e da legalidade. O MST ameaça a paz social, não respeita o direito privado, intimida ruralistas e empregados, surpreende a polícia, destrói instalações, culturas agro-pecuárias e ainda se serve da carne de animais de criação.

O MST se configura como movimento do crime organizado no campo. É adestrado em guerrilha, preparado para a projeção de poder, confrontos e simulação covarde. Engenhosamente, os líderes do movimento ainda posam como vítimas de agressões de produtores rurais e policiais.

O MST alega que “ocupa as terras”. Na verdade, “invade” propriedades. O MST prega que “famílias” participam de suas ações. Só que famílias saudáveis não cometem crimes. Falam em “assentamentos”, como se no Brasil existisse um sistema nômade.

Uma das táticas principais do MST é o uso cínico da linguagem. A retórica do discurso do MST serve para iludir a opinião pública sobre suas reais intenções políticas. A mídia amestrada e pouco afeita a análises objetivas da realidade colabora com sua ação criminosa. Os integrantes do MST contam com o apoio de jornalistas que os tratam como pobres trabalhadores rurais oprimidos, quando, na verdade, são os opressores.

Tolerância excessiva
Gilmar Mendes manifestou preocupação com a possibilidade do movimento sem-terra se tornar armado, pois passaria "a ter outras conotações".

Indiretamente também atacando o Ministério Público, o ministro Gilmar Mendes criticou a leniência excessiva com as ilegalidades do MST:

Os movimentos sociais devem ter toda a liberdade para agir, manifestar, protestar, mas respeitando sempre o direito de outrem. É fundamental que não haja invasão da propriedade privada ou pública. Eu tenho impressão que a Justiça tem que dar a resposta adequada. Há meios e modos jurídicos para se ter uma resposta serena, mas firme. Eu tenho impressão de que a sociedade tolerou excessivamente esse tipo de ação, por razões diversas, talvez um certo paternalismo, uma certa compreensão, mas isso não é compatível com a Constituição isso não é compatível com o Estado de Direito”.
[comentário do Blog: Senhor presidente do STF: o MST = movimento social terrorista dos sem-terra já é um movimento armado; já se trata de uma mílicia treinada para o confronto nos moldes das 'ligas camponesas' do Francisco Julião - que, felizmente, foram exterminadas pelo movimento de 1964.
Os círculos bolivarianos, o MST, PCC são organizações criminosas que se entrelaçam sempre seguindo os ditâmes do FORO de SÃO PAULO.]


O subsídio
O governo federal transfere dinheiro a cooperativas ligadas ao MST ou a sem-terra usados como “laranjas” para captar recursos para o movimento. A Federação das Associações dos Agricultores Familiares do Oeste Paulista (Fafop) recebeu ano passado do Incra R$ 1.373.598,25.

O último repasse do convênio assinado com a federação foi feito em novembro, no valor de R$ 400 mil.

Financiamento de fora
O jornal Estado de S. Paulo, de 25 de janeiro de 2007, revelou o trabalho da ONG suíça E-Changer, parcialmente financiada pelo governo de Berna, junto ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

O montante do financiamento oficial para as atividades da E-Changer no Brasil teria atingido o equivalente a R$ 1 milhão, para o período 2005-2008.

A maior parte destes recursos se destina ao pagamento dos bem remunerados voluntários do MST – o que comprova como é rentável a militância profissional.

Fonte: Blog Alerta Total

Hitler e Madre Teresa, oponentes no xadrez

Hitler e Madre Teresa 'viram peças' de tabuleiro de xadrez

Inspirados pelo jogo de xadrez, artistas famosos criaram tabuleiros e peças inusitadas que ganharam uma exposição no Museu de Arte de Reykjavík, na Islândia.

A exposição 32 peças: a arte do xadrez foi inaugurada esta semana trazendo obras de grandes nomes da arte contemporânea como Damien Hirst, Jake e Dinos Chapman e Rachel Whiteread.

O tabuleiro criado por Hirst explora a obsessão dos humanos pela morte ao reunir frascos de remédio em prata e vidro sobre um tabuleiro espelhado.

Já o italiano Maurizo Cattelan, famoso por sua instalação sobre o papa João Paulo II sendo atingido por um meteorito, criou um tabuleiro com peças que representam "o bem e o mal".

Do lado do mal estão Adolf Hitler e Cruella Cruel (personagem do desenho da Disney Os 101 Dálmatas) opostos por Martin Luther King e madre Teresa de Calcutá, entre outros.

A exposição, em cartaz até abril, comemora a aquisição pelo museu de uma obra de Yoko Ono que exalta o jogo de xadrez.

Fonte: BBC Brasil

Ex-presidente sérvio é absolvido da acusação de crimes contra a humanidade

Ex-presidente sérvio é inocentado de crimes contra a humanidade

O ex-presidente sérvio Milan Milutinovic foi inocentado nesta quinta-feira das acusações de crimes de guerra e contra a humanidade que enfrentava no Tribunal Criminal Internacional para a Antiga Iugoslávia (ICTY, na sigla em inglês).

Mas outros cinco acusados receberam sentenças variando entre 15 e 22 anos por crimes cometidos durante o conflito na então província sérvia de Kosovo.

Eles são o então vice-primeiro-ministro iugoslavo Nikola Sainovic, o ex-ministro da Defesa da Iugoslávia Dragoljub Ojdanic, os ex-generais iugoslavos Nebojsa Pavkovic e Vladimir Lazarevic, além do ex-chefe da polícia de segurança pública sérvia Sreten Lukic.

Todos os réus negavam as acusações.

Milosevic

"Os crimes incluem a deportação e transferência à força de centenas de milhares de pessoas, assim como o assassinato e a perseguição de milhares de albaneses de Kosovo", disse um comunicado da côrte. O então presidente sérvio Milutinovic era considerado apenas uma figura protocolar na época do conflito, sendo que o poder real estava nas mãos do ex-presidente da Iugoslávia, Slobodan Milosevic.

Milosevic foi indiciado ainda durante o conflito, mas gozou de imunidade até o final de seu mandato como presidente, em 2002. Após deixar o cargo, ele se entregou ao tribunal, permanecendo sob sua custódia.

Considerado o mentor do conflito (assim como de outras guerras nos Bálcãs, como a da Bósnia e da Croácia, nos anos 90), Milosevic morreu em 2006 antes do fim de seu julgamento.

Para o julgamento de Milutinovic, foram ouvidas 113 testemunhas de acusação e 118 de defesa.

A Promotoria ouviu relatos de como as forças sérvias atacaram vilas e cidades no outono e inverno de 1999, matando civis, estuprando mulheres e expulsando grande parte da população de suas casas.

Fonte: BBC Brasil

DROGAS: enquanto o México combate o Brasil libera

DROGAS: Próximo presidente mexicano será um narcotraficante

Ontem, o ministro da Economia do México, Gerardo RuizMateos, afirmou, em Paris, que o próximo presidente do México será um narcotraficante. Ele está em visita oficial à França. A sua afirmação objetivou criar impacto e sensibilizar a União Européia a apoiar a “war on drugs” (guerra às drogas) iniciada pelo presidente mexicano Felipe Calderon.

Uma guerra que teve início logo no primeiro dia da posse de Calderon (1/12/2006) e contou com a parceria do então presidente Bush, que bancou o já fracassado Plan Mérida: uma vertente do falido Plan Colombia. Com Bush fora, o ministro da Economia, Gerardo Ruiz Mateos, corre em busca de recursos financeiros para essa aventura de Calderon.

Para se ter idéia, essa “guerra” mexicana provocou, em 2008, cerca de 4 mil mortes e grande parte das vítimas eram civis inocentes.

No funesto balanço fechado até a primeira quinzena de fevereiro de 2009, já são 5 mil mortos.

Por considerar a polícia corrupta e cooptada pelos potentes cartéis mexicanos, o presidente Calderon recolheu as suas armas de fogo e colocou o exército do México para executar a repressão ao tráfico de drogas proibidas. Assim, Calderon militarizou o combate aos cartéis que atuam, principalmente, no repasse de cocaína colombiana para os EUA.

Os cartéis mais combatidos são os de Tijuana, Golfo, Juarez, Sinaloa, Nova Laredo e Reynosa.
Segundo o governo, mais de 500 mil mexicanos estão envolvidos no tráfico ilegal de drogas.
Até Laura Zuniga, de 23 anos e eleita miss Sinaloa e miss Hispano-Americana, foi presa por ligações com o narcotráfico.

Ontem, centenas de cidadãos mexicanos bloquearam as principais passagens na fronteira entre México e EUA. O bloqueio, conforme revelaram as faixas exibidas pelos manifestantes, foi para protestar contra os abusos e violências perpetradas pelo exército, a título de guerra aos cartéis e às drogas.

Os mexicanos que protestaram na fronteira bateram na tecla de uma “war on drugs” onde as conseqüências são suportadas por civis sem nenhuma vinculação com o narcotráfico. Para o governo, os bloqueios das passagens de fronteiras foram organizados a mando dos cartéis.

Os manifestantes, em protesto, bloquearam as passagens nas fronteiras das cidades de Juarez, Reynosa e Nova Laredo (a cidade com recorde mundial de jornalistas assassinados por narcotraficantes). Na cidade industrial de Monterrey, várias rodovias utilizadas para escoamento de produção foram bloqueadas.

Organizações não governamentais de proteção aos direitos humanos manifestaram-se no sentido da legitimidade dos protestos, pois, efetivamente, civis estão a suportar abusos promovidos pelas forças de ordem do governo mexicano. De se acrescentar: até agora os cartéis estão a vencer o Estado e os resultados, em termos de perda de vidas, são desesperadores.
Fonte: IBGF

[comentário do Blog: o presidente do México não pode levar em conta os protestos contra as ações do exército mexicano;
é pacífico que quanto o governo resolve combater de forma série e efetiva o tráfico de drogas, os traficantes obrigam a população da área a realizar manifestações de protesto contra as ações policiais e/ou militares.
Quanto as manifestações das ONGs de proteção dos direitos humanos, não devem ser levadas em conta, já que tais organizações sempre se preocupam com os direitos humanos dos bandidos e esquecem os DIREITOS dos HUMANOS DIREITOS.
esclarecemos que ao descriminalizar o porte de drogas para consumo próprio o (des)governo Lula passou a incentivar o consumo - o usuário perdeu o medo de portar seu 'baseado' e com isso o tráfico passou a ter o incentivo do aumento da demanda.]

Também em Cuba a propaganda é a ALMA DOS NEGÓCIOS

A alma dos negócios

Percival Puggina

Meu artigo anterior sobre Cuba suscitou mensagens de contrariedade procedentes de leitores que enaltecem a cinquentenária revolução. Duvido que tenham visitado a ilha porque quando a gente vai e sacode o discurso na peneira dos fatos, o que resta, além de um país em ruínas e cacarecos, é pouco, muito pouco, pouco mesmo.

Garganteiam que o Índice de Desenvolvimento Humano de Cuba (0,855) é superior ao brasileiro (0,807). Convenhamos que essa diferença de 0,048 não significa grande coisa quando a gente conhece a realidade verde-amarela. E note-se: para aceitar essa pequenina diferença é preciso acreditar que as informações cubanas sejam verídicas, o que constituiria um caso singular, pois os comunistas, sabidamente, mantêm com a verdade uma relação de conveniência. Tal suspeita se ampliou em mim, após conhecer e estudar Cuba, porque não combina com o que se observa, lá e cá, o fato de o IDH cubano equivaler, por exemplo, ao do Rio Grande do Sul. Fica difícil engolir.

No entanto, ainda que se tomem como verazes tais números, soa válido o que me disse um senhor de idade a quem indaguei a respeito enquanto conversávamos, sentados à amurada do Malecón – “Si uno no está estudiando ni enfermo, todo lo demás es una mierda”. Com efeito, o resultado de cinco décadas de totalitarismo comunista, numa ilha privilegiada pela natureza, com população igual à do Rio Grande do Sul e metade do PIB, resulta pífio. Sabe por que, leitor? Porque para proporcioná-los o governo comunista de Cuba remunera o trabalho de seu povo com um salário médio de US$ 10 mensais e se apropria da quase totalidade da renda nacional. É o bem estar da senzala. Assim até eu.

Perdoem-me, então, os pedagogos e professores brasileiros que vão a Cuba, gostam do que vêem e chutam o balde da geração e transmissão do conhecimento em benefício da tal “formação para a cidadania”. O que praticam não é educação e tem nome: estupro ideológico das mentes juvenis. A educação cubana, constitucionalmente comprometida com a formação de uma sociedade comunista não tem como ser boa.

Já a propaganda é outra coisa. Até eu caí nessa quando anos atrás me apresentaram um casal cujo marido sofria de retinose pigmentar. Gente humilde. Ela servente, ele guarda noturno. A enfermidade lhe destruía a visão e tinham ouvido que em Cuba isso tinha cura. Orientei-os sobre como proceder com vistas a obter ordem judicial para o tratamento, acompanhei o processo e lá se foram eles para Havana. O SUS pagou a viagem do casal, os procedimentos médicos, o tratamento posterior e a alimentação. Um dinheirão.

E daí? Bem, eles voltaram estarrecidos com a miséria que viram. Funcionários do Hospital Camilo Cienfuegos passavam nos quartos dos estrangeiros indagando se podiam levar para suas famílias o que eventualmente restava da alimentação servida. Ao obterem alta, a senhora deixou com as servidoras as próprias roupas. Uma granfina brasileira? Não, gente humilde daqui escandalizada com as carências de lá. E o marido? Inutilmente retornou mais tarde à ilha. A doença seguiu seu curso, conforme haviam advertido oftalmologistas brasileiros. Mas a propaganda, ora, a propaganda é a alma dos negócios também no comunismo.

Fonte: Mídia sem Máscara

Nota da GANG do MST = movimento social terrorista

O Brasil do governo (?) Lula é o único país no qual uma organização criminosa recebe subsídio do governo federal e divulga nota oficial 'justificando' ação criminosa.

Vamos a Nota Oficial da GANG MST:

Nota de esclarecimento sobre as ocupações em São Paulo

Diante da repercussão das ocupações de terras ocorridas em São Paulo nos últimos dias, a Direção Estadual do MST esclarece:

1) As ocupações são importantes ferramentas na luta pela terra, por isso, o MST, durante os seus 25 anos de história, sempre utilizou dessa ferramenta para lutar pela Reforma Agrária. Desse modo, o MST continuará realizando ocupações de terra independentemente de calendários. Na madrugada de sábado (21/2) realizamos três ocupações na região do Pontal do Paranapanema: Fazenda Dumontina, em Mirante do Paranapanema, com 50 famílias; Fazenda São Luiz, em Presidente Bernardes, com 80 famílias e Fazenda Santo André, em Martinópolis, com 70 famílias.

2) Como já é de conhecimento público, José Rainha Júnior não compõe nenhuma instância organizativa do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e, portanto, não está autorizado a falar e agir em nome dessa Organização.

3) A reunião com o secretário de Justiça de São Paulo agendada para hoje, e divulgada pela imprensa, não era com a direção estadual do MST, portanto, não temos nada a declarar sobre esse assunto.

Direção Estadual do MST-SP

[comentário do Blog: entendemos que o direito de propriedade é sagrado e deve ser defendido com o uso de todos os meios disponíveis o que valida a utilização de forças para impedir que a gang MST utilize a 'ferramenta' que chamam de ocupação para a consecução de seus objetivos criminosos.
Também ratificamos entendimento, já expresso em diversas ocasiões, de que o MST é apenas um embrião - já em adiantado estágio de desenvolvimento - de mílicias a serviço do PT, FORO de SÃO PAULO - FSP, círculos bolivarianos e outras organizações de esquerda que estão presentes e ativas no governo Lula.]

Repasses do governo federal ao MST são ilegais, diz Gilmar Mendes

Gilmar Mendes: repasses ao MST são ilegais
O presidente do Supremo, Gilmar Mendes, criticou a onda de invasões dos sem-terra durante o Carnaval, mas também lembrou que o Ministério Público pode denunciar órgãos estatais que financiam movimentos que praticam esse tipo de atitude, informa O Globo.
"O financiamento público de movimentos que cometem ilícito é ilegal, ilegítimo. Essas pessoas (autoridades) podem ser acionadas por responsabilidade", afirmou Mendes.
O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, preferiu não alimentar a polêmica.
Por meio de sua assessoria, disse que respeita a opinião do chefe do Supremo.
[comentário do Blog: não pode ser esquecido que uma das primeiras estrepolias do senhor Lula foi usar um boné do 'movimento social terrorista' - MST;
também deve ser lembrado que Bruno Maranhão - facínora recentemente anistiado, indenizado e pensionado pela 'comissão de anistia' e que comandou a GANG do MLST que invadiu e depredou instalações da Câmara dos Deputados - participou de várias 'reuniões de trabalho' com o senhor Lula - existem fotos que provam o aqui afirmado.
A propósito fica a pergunta:
os marginais do MLST, entre eles o Bruno Maranhão, na ocasião em que depredaram a Câmara foram presos em flagrante e ficaram alguns dias presos na Papuda. A pergunta é: se houve o crime, se houve a prisão em flagrante, qual a razão de tais marginais não terem sido processados, julgados e condenados???]

Economia brasileira vai complicar as políticas do Lula, segundo o The Economist

The Economist pessimista com a economia brasileira
A chamada Unidade de Inteligência da prestigiada revista britânica The Economist divulgou ontem um relatório pessimista sobre o cenário econômico do Brasil em 2009.
A publicação diz que o PIB brasileiro, ainda que de forma "modesta", vai encolher, apesar das medidas de estímulo do governo e do incentivo a programas de crédito.
A revista opina também sobre as eleições presidenciais. "Embora nós projetemos uma retomada do crescimento em 2010, o severo declínio neste ano e o consequente aumento do desemprego vão complicar as políticas do presidente Lula, reduzindo as chances do partido governista de se manter no poder nas próximas eleições".
[comentário do Blog: a UNR nem este Blog criam notícias, apenas as divulgam. Portanto, não seguimos a política do 'quanto pior, melhor' mas apesar do reconhecimento de que a crise é prejudicial para todo o mundo, incluindo o Brasil, não podemos deixar de reconhecer que tudo é dual e o fato da crise livrar o Brasil da corja petista/lulista que atualmente governa(?) o Brasil, já pode ser arrolado entre os beneficios da crise.

Acordos de redução de jornada e salário atinge mais de 90 mil

Aumentam acordos para cortar jornada e salário...
É o que diz a manchete do Valor Econômico: o número de trabalhadores que sofreram redução nos rendimentos por conta de acordos de redução de jornada e salário, licença ou suspensão temporária dos contratos quase triplicou em fevereiro na comparação com o mês passado.
Segundo levantamento feito pelo jornal, 90.163 empregados foram atingidos por esses acordos coletivos, ante 31.553 em janeiro.
Os setores que mais se valeram desse expediente foram o automotivo e de autopeças.
Os sindicatos consideram positivos os resultados de fevereiro, pela evidente lógica de que é melhor ganhar menos do que não ganhar nada.

Acordos de redução de jornada afetam 90 mil

O mercado de trabalho apresentou em fevereiro um aumento significativo de trabalhadores demitidos em massa ou que tiveram a sua renda reduzida em troca da manutenção do emprego, embora no setor automotivo empresas tenham começado a rever acordos.

Cálculo do Valor, que leva em consideração os anúncios feitos por empresas e sindicatos, revela que o número de trabalhadores que tiveram a sua renda reduzida em função de acordos de redução de jornada e salário, licença ou suspensão temporária dos contratos praticamente triplicou em fevereiro, totalizando 90.163 pessoas, contra 31.553 em janeiro. Em dezembro, o número de atingidos ficou em 2.020, se for considerado que os 32 mil envolvidos acordos de redução de jornada não tiveram o salário reduzido. Além dos setores que sofrem os efeitos do agravamento da crise internacional desde o fim de 2008, também fizeram acordos empresas dos setores agrícola, de alimentação, borracha e aviação.

Fonte: Valor Economico
Para ler mais, clique aqui





Tarso acolhe delegado acusado pelo MPF de violar informações sigilosas

SEGURANÇA
Tarso acolhe o nº 2 de Lacerda

Acusado pelo MPF de violar informações sigilosas da Operação Navalha, delegado Zulmar Pimentel ganha alto cargo no Ministério da Justiça

Numa clara demonstração da política de boa vizinhança, o ministro da Justiça, Tarso Genro, abriu as portas da pasta para acomodar mais um aliado de Paulo Lacerda, ex-diretor da Polícia Federal e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Com o respaldo da Casa Civil, Tarso nomeou o delegado Zulmar Pimentel dos Santos para o Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Zulmar foi número 2 da PF de Paulo Lacerda até ser acusado de vazar informações da Operação Navalha, ação policial de 2007 contra fraudes em contratos milionários da União. Por causa da suspeita, ele foi denunciado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Apesar desse histórico, o Ministério da Justiça decidiu colocá-lo à frente da Corregedoria-Geral do Depen. Ou seja, ele terá a missão de investigar eventuais deslizes cometidos por servidores do sistema penitenciário.

Foi por violar o sigilo de uma investigação que tinha entre os alvos um colega de PF que Zulmar se enrolou, segundo o Ministério Público Federal (MPF). De acordo com a denúncia do MPF, com base em grampos telefônicos produzidos pela polícia, com autorização judicial, ele comunicou ao delegado João Batista Paiva Santana, então superintendente da PF no Ceará e um dos investigados pela Navalha, a existência da apuração. Isso teria ocorrido durante viagem feita pelo então diretor-executivo a Fortaleza, em março de 2006, para expor investigações policiais que estariam em curso naquela unidade. De acordo com o MPF, a ida ao Ceará não passou de pretexto para alertar o colega. Zulmar chegou a ser flagrado numa ligação telefônica pedindo a Batista que o buscasse “sozinho” no aeroporto.

Rivalidade
Os desdobramentos da Navalha são sentidos até hoje dentro da PF. A operação foi conduzida pela Diretoria de Inteligência Policial (DIP), então pilotada pelo delegado Renato Porciúncula. Pouco antes da ação, Porciúncula e Zulmar eram os cotados para substituir Lacerda no comando da corporação. A Navalha acirrou a rivalidade. Hoje, sem espaço dentro da polícia — administrada por pelo grupo que tem à frente Luiz Fernando Corrêa —, os dois voltam a trabalhar no mesmo local.

Em janeiro passado, Tarso Genro já havia acomodado Porciúncula na Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), depois que perdeu o emprego na Abin, diante dos desdobramentos da Operação Satiagraha, apuração policial que contou com a colaboração de arapongas.

Procurado ontem pelo Correio, o Ministério da Justiça fez a defesa do delegado: o servidor tem o perfil adequado para exercer a função por ser experiente, antigo e de confiança. Além disso, a assessoria de Tarso Genro saiu em defesa de Zulmar no caso Navalha, afirmando que o policial não vazou dados da Navalha, mas viajou ao Ceará com o propósito único de demitir o delegado João Bastista.


Fonte: Correio Braziliense

Leia a íntegra da denúncia contra Zulmar Pimentel, clicando aqui

Pesquisa personalizada