Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Presidente Dilma a senhora é desautorizada por todos; por isso garantimos: isolar o Lula, demitir o Gilberto Carvalho , será um bom começo

Falou, tá falado!- Acusado por Dilma, ex-agente comemora decisão
"Está começando a se fazer justiça."
Foi assim que o tenente-coronel reformado Maurício Lopes Lima, 76, comemorou ontem a decisão do TRF que o livra de responder a processo por tortura.
Ele foi apontado como responsável por maus-tratos a presos políticos em depoimento da presidente Dilma Rousseff à Justiça Militar em 1970, ano em que ela foi presa por militar contra o regime. "A acusação é inverídica. Mas jornalista só entende a palavra do terrorista", disse Lima por telefone, de seu apartamento próximo à praia no Guarujá (litoral de SP)."O terrorista falou, é verdade. A direita falou, é mentira. Quem faz isso é o Partido Comunista", afirmou.

Mantendo a pregação dos tempos da Guerra Fria, o militar negou as acusações de torturar na Oban (Operação Bandeirante) e sustentou que Dilma e os demais presos que o responsabilizaram por maus-tratos teriam mentido. "Eles combinavam os depoimentos na cadeia. A Dilma exerceu o direito de não criar provas contra si para se livrar do processo", disse. "Esse pessoal estava contra o Brasil. Quando você fala em comunista, não pode admitir que seja brasileiro."

O tenente-coronel criticou a criação da Comissão da Verdade, que foi sancionada por Dilma no dia 18. "Ela vai colocar sete comunistas ilibados lá?", perguntou. "Vai ser uma lenga-lenga. Revanchismo total."

Apesar dos protestos, ele disse que Dilma tem mantido posição equilibrada no debate sobre os crimes da ditadura. Mas aproveitou para criticar o ex-presidente Lula, cujo governo idealizou a Comissão da Verdade. "Ela vem se portando de maneira digna, muito melhor do que o Lula. Não está deixando a coisa sair pelos extremos", afirmou. O militar também atacou a Procuradoria. "O Ministério Público, como é ignorante em assuntos de verdade, foi procurar as declarações [dos ex-presos] na Justiça Militar", disse. "Qual é a ideia de abrir uma ação 40 anos depois?"

Em dezembro passado, Lima relatou à Folha ter integrado a ação que levou à morte dos guerrilheiros Antônio dos Três Reis de Oliveira e Alceri Maria Gomes da Silva, metralhados em maio de 1970 no Tatuapé (zona leste de SP). [o porco do guerrilheiro Carlos Eugênio, ironicamente conhecido como 'clemente' narrou em vídeo a forma covarde como assassinou um cidadão de bem e o Ministério Público não fez nada - em relação aos porcos guerrilheiros o MP reconhece a validade da Lei da Anistia.]
Foi a primeira vez que um militar admitiu participação no episódio. Os guerrilheiros são considerados desaparecidos até hoje. Ontem, o tenente-coronel reformado disse não ter procurado os ex-colegas da Oban após saber da decisão do TRF. "Por que eu ia procurá-los agora? Só se fizerem uma festa", disse, aos risos.

Observação do site A Verdade Sufocada:
www.averdadesufocada.com


Qual o réu que na frente do juiz não diz que confessou seus crimes sob tortura? Esse procedimento existe até os dias de hoje. Uma outra maneira de negar os "malfeitos" , usado com frequência na atualidade, é dizer que é "intriga da oposição".

Fonte: A Verdade Sufocada www.averdadesufocada.com

Que vexame, presidente Dilma

E aí, presidente Dilma Rousseff, viu a besteira que fez?

A senhora não realizou grande coisa no seu primeiro ano de mandato. Mas demitir ministros envolvidos em denúncias de corrupção ou pelo menos não tentar mantê-los no governo, como foi costume do seu antecessor, conferiu-lhe a fama de não compactuar com roubalheira. As pesquisas de opinião pública indicaram que a senhora amealhou pontos junto à classe média.

Aí a senhora resolveu inovar. O ministro Carlos Lupi, do Trabalho, enrascou-se com malfeitos praticados sob suas barbas. E ainda por cima foi ao Congresso e ali mentiu diante dos representantes do povo. Então a senhora recusou-se a despachá-lo. Por que? Para que não dissessem que a imprensa derrubara cinco ministros e estava prestes a derrubar mais um? Para que não restasse dúvida de que é a senhora quem manda no governo? [apesar do Zé Dirceu em entrevista ao jornal El Pais ter deixado claro que a senhora presidente mas quem manda é o Apedeuta Lula da Silva.]

E agora? Fará o quê? Irá ignorar a recomendação da Comissão de Ética da presidência da República para que demita Lupi? Ou irá acatá-la? Se ignorar cometará mais um ato desastroso. Se acatar a conclusão é óbvia: não tinha outro jeito. Agiu a reboque da comissão. E em um caso tão simples.

Pegou mal, Dilma! Espero que tenha aprendido.

Fonte: Blog do Ricardo Noblat

E agora presidente Dilma? a senhora vacilou feio....

Comissão de Ética da Presidência recomenda demissão de Lupi

Ministro não teria apresentado explicações convincentes sobre denúncias

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República aprovou no início da noite desta quarta-feira recomendação para que a presidente Dilma Rousseff demita o ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Nas últimas semanas, surgiram várias denúncias de irregularidade envolvendo a Pasta e o ministro. O motivo alegado é que as explicações prestadas por Lupi à comissão, ao Congresso e à imprensa não foram convincentes.

Dos seis membros da Comissão de Ética, cinco estavam presentes e todos concordaram em recomendar a demissão do ministro. A decisão foi tomada a partir de matérias publicadas pelo GLOBO, pela revista "Veja" e pelo jornal "O Estado de S.Paulo". A Comissão de Ética da Presidência também analisou os casos dos ex-ministros Wagner Rossi (Agricultura) e Orlando Silva (Esporte), que caíram após denúncias de corrupção. Em relação a Rossi, a comissão informou que encerrou o procedimento por considerar insuficientes os indícios contra o -ex-ministro, não encontrando problemas em sua conduta. Quanto a Orlando Silva, a comissão disse que ainda não formou juízo e que aguarda mais informações. A próxima reunião, no entanto, ocorrerá somente em 2012.

O ex-ministro Sepúlveda Pertence comanda a última reunião de 2011 da Comissão de Ética Pública da Presidência da República no Palácio do Planalto Gustavo Miranda / O Globo

Jucá diz que decisão é uma bala, mas não sabe se fatal

A recomendação da Comissão de Ética pegou de surpresa os líderes da base aliada. O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), acha que a decisão forçará o governo a se posicionar sobre a permanência ou não do pedetista no cargo. No auge das denúncias de desvio de recursos em sua pasta, ele desafiou a presidente Dilma Rousseff a demiti-lo, e disse que era preciso uma bala muito forte para derrubá-lo do Ministério. - Não sei se é fatal, mas (a decisão da comissão) é uma bala - disse Jucá, logo depois de se reunir com a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, em seu gabinete.

Segundo o líder, a recomendação da Comissão de Ética Pública é surpreendente e relevante e obrigará o governo a analisar e ver que decisão tomar: - Não é uma decisão incoerente (com a posição da presidente em não demitir Lupi). A comissão é autônoma. É uma ação que surpreende e causa uma questão dentro do governo . Mas a decisão é da presidente. Sem dúvida é um fato relevante negativo que cria problemas internamente no governo - completou Jucá.

Na oposição, o tom foi outro. O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) disse que a presidente Dilma poderia ter evitado esse constrangimento se não tivesse aceito as explicações de Lupi. - Digo mais: a presidente Dilma agora não tem alternativa. Agora o melhor que tem a fazer é assinar a demissão do ministro Lupi logo pela manhã - disse Randolfe Rodrigues.

Para o líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP), a permanência de Lupi é "absolutamente insustentável". - O ministro não tinha qualquer condição de permanecer no cargo já há algum tempo. O que mais, além desse posicionamento da Comissão de Ética, a presidente Dilma está esperando? Isso só comprova que a faxina não existe. A presidente apenas reage e, nesse caso, perdeu o timing - afirmou o tucano.

Denúncias contra o ministro começaram há quase um mês

A onda de denúncias contra o Ministério do Trabalho começou no início do mês, envolvendo organizações não governamentais (ONGs). Entre os problemas apontados pela imprensa estão irregularidades em convênios e a cobrança de propina para resolver pendências de ONGs. Em Sergipe, a Polícia federal abriu 20 inquéritos para apurar desvios protagonizados por ONGs que receberam 11,2 milhões em convênios. A reportagem informava ainda que a Controladoria-Geral da União apontou indícios de desvios em convênios com 26 entidades em vários estados. O delegado da PF Nilton Ribeiro Santos chegou a declarar: "Parece que os donos de ONGs fajutas tiveram aula de como fraudar a União". Lupi disse que não recebeu informação da PF sobre a investigação e negou ter renovado convênios suspeitos.

Já matéria da "Veja", veiculada na mesma semana, diz que Anderson Alexandre dos Santos, então coordenador-geral de Qualificação Profissional do ministério, teria envolvimento em um suposto esquema de cobrança de propina de ONGs com problemas, com a promessa de resolvê-los. Ele coordenava uma das ações nas quais as irregularidades prosperam com mais vigor: o Plano Setorial de Qualificação (PlanSeq), vinculado à Secretaria de Políticas Públicas de Emprego (SPPE).

Ao longo das semanas seguintes, outras denúncias (que não foram analisadas pela Comissão de Ética da Presidência) apareceram. O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, teria usado, em uma viagem oficial ao Maranhão, um avião alugado pelo presidente de uma ONG acusada de desviar dinheiro de convênios com a pasta. Segundo reportagem publicada pela revista "VEJA", Lupi, em companhia de caciques do PDT, percorreu em dezembro de 2009 sete municípios do Maranhão para o lançamento de um programa de qualificação profissional no estado. A bordo do King-Air branco, prefixo PT-ONJ, também estavam o ex-governador do Maranhão Jackson Lago, já falecido, o então secretário de Políticas Públicas de Emprego do ministério, Ezequiel de Souza Nascimento, o então assessor de Lupi e hoje deputado federal Weverton Rocha e um convidado especial, o gaúcho Adair Meira, que comanda uma rede de ONGs conveniadas com o ministério.

O Ministério do Trabalho assinou quatro convênios com a ONG Pró-Cerrado, do empresário Adair Meira, duas semanas depois de o ministro visitar o interior do Maranhão em avião providenciado pelo dirigente da entidade. Os convênios assinados nos dia 30 e 31 de dezembro de 2009 previam liberação de R$ 5,1 milhões. Lupi também é acusado, em matéria da "Folha de S.Paulo", de ter sido funcionário fantasma na liderança do PDT na Câmara entre dezembro de 2000 e junho de 2006.

Fonte: O Globo

Comissão da Verdade é na realidade destinada a censurar e decidir o que pode ser publicado dos crimes cometidos pela esquerda

Abrindo os arquivos da ditadura

Se os verdadeiros objetivos da abertura dos arquivos da ditadura fossem mesmo o consolo das famílias dos mortos e desaparecidos e o resgate da verdade para virar, de uma vez por todas, esta página negra da nossa história, como argumentam raivosas as esquerdas de todas as tendências, as revelações seriam frustrantes; pior ainda,seriam um tiro no pé.

O que vão encontrar são os crimes que cada um dos heróis terroristas, muitos deles hoje em altos cargos do governo e da administração pública praticou, incluindo detalhes cruéis e nomes das suas vítimas. As esquerdas sabem disto, o ministro da justiça sabe disto, as famílias sabem disto, todos sabem disto. Tanto que criaram uma comissão para apreciar o conteúdo dos arquivos e fazer a censura para preservar o sigilo do que poderá ofender a memória dos epigrafados e a sensibilidade dos seus familiares. Manipulação porque já sabem tudo que os arquivos militares contêm.

Já têm conhecimento do acervo dos extintos Serviço Nacional de Informações (SNI), Delegacias da Ordem Pública e Social (DOPS) dos Estados e das Divisões de Segurança e Informações (DSI) dos Ministérios, já aberto e fuçado por pesquisadores engajados, atrás de papéis reveladores dos horrores da ditadura.

Até hoje, por razões óbvias, nada foi divulgado como revelação histórica ou como denúncia. Tudo porque lá encontraram contados os crimes de subversivos, terroristas e corruptos, daqueles que hoje se arrogam de revisores da história e de heróis defensores da democracia.

Portanto, as razões tão arrogantemente alegadas para abertura dos arquivos militares são mentirosas. Além do revanchismo, há uma causa revolucionária pragmática que está no contexto da neutralização das trincheiras da burguesia domesticar as Forças Armadas, inibindo-as, intimidando-as e desmoralizando-as perante a sociedade nacional. É preciso anular qualquer possibilidade de que venham a ser novamente baluarte da democracia.

Que não repitam 1964, impedindo um futuro assalto ao poder por alguma das tendências revolucionárias existentes e ativa no desfecho da transição para o socialismo em curso em nosso País.

O processo de domestificação das Forças Armadas não ficará certamente na abertura inócua dos arquivos e na sua transferência para os cuidados de uma autoridade mais confiável, o ministro da justiça. Novas reformas democráticas poderão ainda vir: - reformulação do sistema de inteligência militar; reforma da destinação constitucional das Forças Armadas; revisão dos regulamentos disciplinares;revisão da Lei de Anistia; democratização das escolas militares de formação de quadros e do treinamento dos recrutas.

Embora despercebido pelas aparências da prática democrática, um movimento revolucionário da esquerda está em curso no Brasil. Só as pessoas de muito boa fé não percebem isto. O momento que vivemos é ainda de correlação de forças políticas. Por isto, só os políticos e as organizações e partidos liberais democráticos poderão deter a marcha das esquerdas para o socialismo monocrático e opressor. Os brasileiros esclarecidos e responsáveis não podem ignorar o que está efetivamente acontecendo e devem iniciar a resistência política e ideológica enquanto é tempo.

(Publicado no Inconfidência, nº 77/2004)

Por: Sergio Augusto de Avellar Coutinho - General e Escritor

Transcrito do site: A Verdade Sufocada www.averdadesufocada.com

Justiça Federal livra militares de ação por tortura na ditadura

Prescrição de acusações

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região (São Paulo) decidiu que os militares acusados de torturar presos políticos na Oban (Operação Bandeirante) durante a ditadura não podem mais ser condenados porque seus supostos crimes já prescreveram, informa reportagem de Bernardo Mello Franco, publicada na Folha desta quarta-feira.

Acusado por Dilma, ex-agente comemora decisão da Justiça

A decisão beneficia quatro ex-agentes do regime. Entre eles está o tenente-coronel reformado Maurício Lopes Lima, que foi apontado como torturador pela presidente Dilma Rousseff em depoimento à Justiça Militar, em 1970. A Procuradoria Regional da República recorreu ontem ao TRF contra a decisão. No processo, os réus negaram a participação em maus-tratos.

O Ministério Público Federal pedia que os militares fossem responsabilizados na esfera cível, já que a Lei de Anistia livra os ex-torturadores de qualquer condenação penal. A ação pedia que eles fossem declarados responsáveis por maus-tratos a 20 presos políticos, incluindo a presidente Dilma Rousseff, e obrigados a devolver a aposentadoria e a restituir os cofres públicos por indenizações a vítimas do regime.

Fonte: Folha de São Paulo

Situação da Chevron se torna mais complicada

Deputados flagram irregularidades em destinação de óleo da Chevron

Petrolífera contratou terceirizada com licença ambiental vencida

Deputados da Comissão Externa da Câmara Federal — que investiga o manejo do vazamento da Chevron — constataram graves irregularidades na Contecom, empresa de Duque de Caxias, que recebeu o óleo derramado pela Chevron no Campo do Frade, na Bacia de Campos. Segundo os parlamentares, ficou claro que há riscos de contaminação da rede pluvial, ou seja, de águas das chuvas, o que pode vir a afetar também rios e córregos da região. — Não é preciso ser perito para ver que há crime ambiental — afirmou o deputado federal Dr. Aluízio (PV-RJ), presidente da Comissão.

A Contecom recebeu cerca de 80 mil litros de resíduos retirados do mar e possui capacidade de trabalhar apenas 90 mil litros de resíduo. Segundo o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), isso comprova que também a empresa trabalhava no limite de sua capacidade. Os deputados ainda averiguaram, com a ajuda da Policia Federal, que resíduos oriundos da manobra dos caminhões que transportaram o óleo da Chevron seguiam livremente para a rede de esgoto local, sem tratamento. O Deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), relator da comissão, chegou a pedir à Polícia Federal que lacrasse a Contecom, porém a instituição preferiu esperar a conclusão da perícia.

Deputados suspeitam da atuação do Inea

Os parlamentares que acompanharam a Contecom levantaram suspeitas sobre a atuação do Inea, órgão ambiental do Rio. Segundo eles, ontem durante a primeira diligência da PF na Contecom, os técnicos do Inea que acompanhavam a operação abandonaram o local depois que receberam um telefonema do diretor de resíduos do Inea. — Isso é, no mínimo, suspeito. Vamos voltar a questionar o Inea para tentar entender o que ocorreu — afirmou o deputado Chico Alencar.

Na segunda-feira, enquanto a PF ainda estava em Duque de Caxias, o secretário do Ambiente Estado do Rio, Carlos Minc, afirmou que não havia irregularidade na empresa. Entretanto, os deputados constataram nesta terça-feira que a licença da Contecom estava vencida desde junho de 2010.

Funcionário preso

Segundo o delegado Fábio Scliar, responsável da Polícia Federal pela investigação do vazamento, a petroleira americana terceirizou o tratamento e o armazenamento do óleo recolhido no mar e houve um problema nesse procedimento. O episódio desencadeou, nesta segunda-feira, a primeira prisão no caso. Apesar de confirmar a detenção, o delegado se negou a revelar o nome do preso.

O problema ocorreu na Contecom, segundo Scliar, em Duque de Caxias — onde trabalhava a funcionária detida, responsável técnica da empresa, de acordo com o deputado Dr. Aluízio (PV-RJ). Depois do vazamento, a Chevron recolheu parte do petróleo no mar e contratou a Brasco Logística Offshore para gerenciar esses resíduos a partir de sua base de operação na Ilha da Conceição, em Niterói. A Brasco, por sua vez, subcontratou — com a anuência da Chevron — a Contecom para transferir e acondicionar o óleo recolhido. Segundo a Brasco, "a Contecom é uma empresa autorizada pelo Inea como receptora de resíduo oleoso e aprovada pela Chevron". O Inea é a autoridade de meio ambiente no estado.

Frases que constam de matéria do The New Yorker sobre Dilma Rousseff

Contra ou a favor?

Bem arranjada pela empresa CDN, que cuida da imagem do governo brasileiro no exterior, a matéria da The New Yorker sobre Dilma pega pesado contra o governo dela, em várias frases:

O Brasil é governado por ex-revolucionários sem remorso, muitos dos quais, incluindo a presidente, foram presos por anos por serem terroristas".

Ninguém acredita que Dilma é corrupta, mas ela trabalhou por anos com algumas das pessoas que se demitiram".

O governo central é muito mais poderoso que nos Estados Unidos. Também é muito mais corrupto".

A criminalidade é alta, as escolas são fracas e as estradas são ruins”.

Mas o que deixou a presidente PT da vida foi a frase dita por Zé Dirceu em declaração ao jornal El Pais quando indagado sobre quem realmente manda no Brasil: “Bem, é a Dilma. Mas segue o projeto político do PT que é um projeto do Lula. Em última análise Lula é nosso líder, não é? A presidente é Dilma, mas Lula é nosso líder”.

Fonte: Blog Alerta Total www.averdadesufocada.com

Dirceu admite que Dilma preside e o Lula lidera

Tráfico de influência no governo: Dirceu confirma a espanhóis que Dilma preside, “mas Lula é o nosso líder”

Por causa das declarações de José Dirceu ao jornal espanhol El Pais, do último dia 26, Luiz Inácio Lula da Silva se torna ainda mais enquadrável no processo do Mensalão, como o grande chefão de tudo que acontece em torno da Presidência da República. Dirceu deixou claro na entrevista aos espanhóis que é Lula quem ainda manda no governo federal. Dilma deve ter odiado ouvir tal verdade proclamada por Dirceu - amigo que sempre falou com Lula todos os dias, por telefone via satélite, desde quando foi obrigado a deixar oficialmente o governo.

Indagado sobre quem realmente dá as cartas no Palácio do Planalto, José Dirceu explicou, com sua confusa retórica: “Bem, é a Dilma. Mas segue o projeto político do PT que é um projeto do Lula. Em última análise Lula é nosso líder, não é? A presidente é Dilma, mas Lula é nosso líder”. Na lógica de Dirceu, todos obedecem ao “líder”. O ex-presidente ficaria até enquadrável em tráfico de influência, mas nenhum procurador teria a ousadia de processá-lo, ainda mais no comovente momento de luta contra um câncer.

Sorte de Extalinácio é que, em abril de 2010, por unanimidade, o plenário do Supremo Tribunal Federal resolveu, definitivamente, que ele não responderia, junto com 39 mensaleiros, sobre os crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, peculato, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e gestão fraudulenta. Relatado pelo ministro Joaquim Barbosa, o caso do Mensalão segue em alta velocidade de tartaruga no Supremo Tribunal Federal, sem riscos aparentes para Lula – que agora só se preocupa em sobreviver, vencendo um câncer na laringe.

No caso do Mensalão, Lula e a petralhada ainda temem que seja incluído no processo um relatório da Polícia Federal que confirmaria a prática de recebimento de propina por políticos, em troca de votos ou favores, nos oito anos da gestão Lula. Em abril deste ano, Lula chegou a ironizar tal risco, em Washington, depois de uma palestra a empregados da Microsoft: “Tem uma peça que dizem que foi o relatório produzido pela PF, não se sabe se o ministro Joaquim vai receber ou não, se aquilo vai entrar nos autos do processo. Se entrar, todos os advogados de defesa vão pedir prazo para julgar. Então, vai ser julgado em 2050. Então, não sei se vai acontecer. Não tive chance de dar uma olhada no relatório, nem vou olhar. Não sou advogado”.

O ex-deputado Roberto Jefferson sempre sustentou que avisou a Lula, em 2005, sobre o esquema de pagamento de propina a parlamentares, em troca de apoio, o que configuraria, no mínimo, a leniência de Lula com o Mensalão. Apesar da decisão pró-Lula em 2007, impedindo que ele seja incluído no rol dos réus do mensalão, a cúpula petralha ainda teme a ira de Joaquim Barbosa. O ministro estaria disposto a dar um troco em quem armou para que fossem feitas e divulgadas fotografias dele tomando whisky em um restaurante, em Brasília. Barbosa teria a convicção de que veio da cúpula palaciana a tentativa de desmoralizá-lo, quando estava de licença medica.

Fonte: Blog Alerta Total – Jorge Serrão www.averdadesufocada.com

Marcelino Paraíba, atualmente jogando no Sport Club do Recife, nega estupro, mas é conduzido para presídio

Marcelinho Paraíba nega estupro e é transferido para presídio

O jogador Marcelinho Paraíba, do Sport Club do Recife, prestou depoimento na manhã desta quarta-feira na Superintendência da Polícia Civil de Campina Grande (PB) e negou a acusação de abuso sexual de uma mulher de 31 anos durante festa em seu sítio. Ele foi preso em flagrante nesta madrugada, de acordo com o advogado do atleta, Afonso Vilar. "Ele está tranquilo. Disse que nada aconteceu e até estranha a atitude da moça. Ele passou a noite com amigos, não houve aproximação. Ela já tinha ido várias vezes na chácara dele", disse Vilar. Marcelinho Paraíba foi encaminhado ao Complexo Penitenciário do Serrotão. O advogado do atleta afirmou que a transferência foi feita inclusive por questões de segurança.

O advogado do jogador afirmou, ainda, que vai esperar a Justiça se manifestar sobre manter Marcelinho preso ou não. De acordo com Vilar, o juiz tem até 48 horas para apreciar a comunicação do flagrante e decidir se decreta a prisão preventiva do atleta ou se determina que ele seja solto. A festa na qual o crime teria ocorrido reuniu cerca de 30 pessoas no sítio do jogador, no bairro Nova Brasília. Por volta das 4h30, a polícia foi chamada pela suposta vítima, que é irmã do policial Rodrigo do Rego Pinheiro, titular da delegacia do distrito de São José da Mata. Na chegada da Polícia Militar, amigos do jogador tentaram impedir a entrada dos oficiais e houve confusão.

Dois amigos do jogador foram à delegacia acusados de desacato à autoridade, mas foram liberados pela polícia. O Sport, que contou com o auxílio de Marcelinho Paraíba na campanha de acesso para a Série A do Campeonato Brasileiro, enviou o seu supervisor de futebol, Edmílson Santos, para oferecer assistência ao atleta e para sua família em Campina Grande.

Com informações da Gazeta Esportiva.

FAB contesta suposta farra

Aeronáutica contesta suposta “Farra na FAB”

O Comando da Aeronáutica contesta o teor da reportagem "A Farra da FAB" da revista ISTO É, em sua última edição de número 2194, sobre supostas irregularidades na folha de pagamento do Comando da Aeronáutica. Dessa forma, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) presta os seguintes esclarecimentos:

O Comando da Aeronáutica, ao longo do ano de 2011, vem atualizando as informações administrativas constantes da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) decorrentes do desligamento de militares da Aeronáutica. Essa atualização se dá através do envio de informações retificadoras ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O principal item em atualização é a inclusão da data de desligamento de ex-soldados.

Por meio das informações da RAIS, o MTE poderá atualizar ou inserir a data de desligamento, bem como qualquer outro dado relativo aos ex-soldados no Cadastro Nacional de Informações e Serviços (CNIS). É importante salientar que esse cadastro não proporciona qualquer efeito na elaboração da folha de pagamento da Aeronáutica.

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), por sua vez, destina-se a fornecer informações utilizadas pelo programa de seguro-desemprego, condição não aplicável aos militares. O ato administrativo que implica o imediato cancelamento do pagamento de remuneração (salário) de um militar da Aeronáutica é a publicação do seu desligamento do serviço ativo em boletim interno de sua organização militar, fato que a própria reportagem afirma ter ocorrido.

No momento em que a reportagem acusa a Aeronáutica de desviar até R$ 3 bilhões a partir de apurações incompletas, em particular a ausência de informações contidas na RAIS, comete equívocos, mistura conceitos, apresenta deduções descontextualizadas e confunde o leitor, promovendo uma “farra de suposições”.

Outro erro da reportagem foi confundir o conceito de “inativo” extraído do Sistema de Informações Gerenciais de Pessoal (SIGPES)*, com o de “aposentado”. Inativo, no SIGPES, significa que o indivíduo não está exercendo atividade funcional na instituição, podendo estar nessa condição de forma remunerada ou não.

O ex-soldado Paulo André Schinaider da Silva, citado na matéria, teve seu licenciamento (exclusão do serviço ativo) da Aeronáutica publicado em março de 2004. Desde então não faz jus e não recebe nenhum tipo de remuneração. Tal fato também impossibilita que outro cidadão possa receber salário em seu lugar.

Cabe destacar que o Comando da Aeronáutica tem mantido informados o Ministério da Defesa e o Ministério Público Federal a respeito das acusações apresentadas por ex-soldados da Aeronáutica.

Por: Marcelo Kanitz Damasceno, Brigadeiro-do-Ar, é Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica.

Ex-goleiro Bruno, único crime foi ter sido goleiro do Flamengo o que não tem agradado à Justiça Mineira

Na prisão, Bruno recebe salário e reduz pena trabalhando

O ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes, preso sob acusação de desaparecimento e morte de Eliza Samúdio, vem prestando serviços na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG), onde está recolhido. De acordo com a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), ele recebe um salário de três quartos do valor do salário-mínimo para ajudar na limpeza e trabalha com faxina. Bruno desenvolve as atividades desde julho deste ano e recebe a remuneração por determinação da Lei de Execuções Penais (LEP).


A Seds informou que a medida vale como redução da pena da condenação de Bruno em processo no Rio de Janeiro. O ex-goleiro foi selecionado pela Comissão Técnica de Classificação (CTC) da Penitenciária Nelson Hungria, uma equipe multiprofissional composta por médicos, psicólogos, enfermeiros, pedagogos, dentistas, gerentes de produção e diretores.


Eliza desapareceu no dia 4 de junho de 2010 quando teria saído do Rio de Janeiro para Minas Gerais a convite de Bruno - Foto: Lucas Prates/Futura Press

O caso Bruno
Eliza desapareceu no dia 4 de junho de 2010 quando teria saído do Rio de Janeiro para Minas Gerais a convite de Bruno. No ano anterior, a estudante paranaense já havia procurado a polícia para dizer que estava grávida do goleiro e que ele a agrediu para que ela tomasse remédios abortivos. Após o nascimento da criança, Eliza acionou a Justiça para pedir o reconhecimento da paternidade de Bruno.


No dia 24 de junho, a polícia recebeu denúncias anônimas de que Eliza havia sido espancada por Bruno e dois amigos dele até a morte no sítio de propriedade do jogador, localizado em Esmeraldas, na Grande Belo Horizonte. Na noite do dia 25 de junho, a polícia foi ao local e recebeu a informação de que o bebê apontado como filho do atleta, então com 4 meses, estava lá. A mulher do goleiro, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, negou a presença da criança na propriedade. No entanto, durante depoimento, um dos amigos de Bruno afirmou que havia entregado o menino na casa de uma adolescente no bairro Liberdade, em Ribeirão das Neves, onde foi encontrado.


Enquanto a polícia fazia buscas ao corpo de Eliza seguindo denúncias anônimas, em entrevista a uma rádio no dia 6 de julho, um motorista de ônibus disse que seu sobrinho participou do crime e contou em detalhes como Eliza foi assassinada. O menor citado pelo motorista foi apreendido na casa de Bruno no Rio. Ele é primo do goleiro e, em dois depoimentos, admitiu participação no crime. Segundo a polícia, o jovem de 17 anos relatou que a ex-amante de Bruno foi levada do Rio para Minas, mantida em cativeiro e executada pelo ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, conhecido como Bola ou Neném, que a estrangulou e esquartejou seu corpo. Ainda segundo o relato, o ex-policial jogou os restos mortais para seus cães.


No dia seguinte, a mulher de Bruno foi presa. Após serem considerados foragidos, o goleiro e seu amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, acusado de participar do crime, se entregaram à polícia. Pouco depois, Flávio Caetano de Araújo, Wemerson Marques de Souza, o Coxinha Elenilson Vitor da Silva e Sérgio Rosa Sales, outro primo de Bruno, também foram presos por envolvimento no crime. Todos negam participação e se recusaram a prestar depoimento à polícia, decidindo falar apenas em juízo. No dia 30 de julho, a Polícia de Minas Gerais indiciou todos pelo sequestro e morte de Eliza, sendo que Bruno foi apontado como mandante e executor do crime. Além dos oito que foram presos inicialmente, a investigação apontou a participação de uma namorada do goleiro, Fernanda Gomes Castro, que também foi indiciada e detida.


O Ministério Público concordou com o relatório policial e ofereceu denúncia à Justiça, que aceitou e tornou réus todos os envolvidos. O jovem de 17 anos, embora tenha negado em depoimentos posteriores ter visto a morte de Eliza, foi condenado no dia 9 de agosto pela participação no crime e cumprirá medida socioeducativa de internação por prazo indeterminado.

No início de dezembro, Bruno e Macarrão foram condenados pelo sequestro e agressão a Eliza, em outubro de 2009, pela Justiça do Rio. O goleiro pegou quatro anos e seis meses de prisão por cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal, e seu amigo, três anos de reclusão por cárcere privado. Em 17 de dezembro, a Justiça mineira decidiu que Bruno, Macarrão, Sérgio e Bola serão levados a júri popular por homicídio triplamente qualificado, sendo que o último responderá também por ocultação de cadáver. [INJUSTIÇAS CONTRA O GOLEIRO BRUNO:

- a prova mais sólida da acusação de assassinato contra o ex-goleiro do Flamengo é o depoimento de um menor, cheio de contradições, que em nenhum momento foi corroborado por qualquer prova material ou testemunhal e na fase final foi desmentido pelo próprio ‘di menor’;

- não existe o menor indicio de que Eliza está morta, não há cadáver e nem provas testemunhais ou materiais que supram a ausência do corpo – situação prevista no Código de Processo Penal;

- mesmo tendo sido condenado a pena inferior a oito anos, sendo primário e com bons antecedentes, a ‘justiça’ não concedeu ao goleiro o benefício do cumprimento da pena em regime semiaberto;

- apesar de já ter cumprido um terço da pena, apresentar bom comportamento carcerário, Bruno ainda não foi beneficiado com o livramento condicional.


Dayanne, Fernanda, Elenilson e Wemerson também irão a júri popular, mas por sequestro e cárcere privado. Além disso, a juíza decidiu pela revogação da prisão preventiva dos quatro. Flávio, que já havia sido libertado após ser excluído do pedido de MP para levar os réus a júri popular, foi absolvido. Além disso, nenhum deles responderá pelo crime de corrupção de menores.

Fonte: Portal Terra

Polícia Civil do Rio tenta prender traficante Matemático

Termina ação da polícia na Favela da Metral, perto da Vila Kennedy

Não houve prisões ou apreensões. Agentes tentam prender o traficante Matemático

Agentes de várias delegacias especializadas, com apoio de agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), realizaram na manhã desta quarta-feira, uma operação na Favela da Metral, nas proximidades da Vila Kennedy, Zona Oeste do Rio. De acordo com a polícia, a ação terminou sem presos ou apreensões. A incursão teve como objetivo tentar prender o traficante Márcio José Sabino Pereira, o Matemático, e checar denúncias sobre o tráfico de drogas na comunidade. Matemático é o chefe do tráfico do complexo de favelas de Senador Camará e tenta há meses tomar o controle do comércio de entorpecentes da Vila Kennedy. Durante a madrugada, houve um intenso tiroteio na região.

A operação contou com o auxílio de um helicóptero e de cães farejadores. Os agentes vasculharam a mata, nas imediações de uma fábrica, às margens da Avenida Brasil. Os policiais receberam informações de que haveria armas escondidas no local, que também serviria de ponto de observação para o bando de Matemático. Os agentes encontraram uma casamata, mas nada foi encontrado no local.

Na segunda-feira, agentes do Batalhão de Choque realizaram uma operação na Favela da Coreia, em Senador Camará, na Zona Oeste, também em busca de Matemático. Um suspeito foi detido e levado para a 34ª DP (Bangu). Ainda não foi divulgada a identidade dele. Já no último dia 9, policiais militares do 14º BPM (Bangu) localizaram na Favela Vila Aliança, em Bangu, uma das casas de Matemático. Segundo o comandante do batalhão, tenente-coronel Alexandre Fontenelle, há informações de que o traficante tem outras residências na região, pois manteria uma série de relacionamentos amorosos.

Desde o fim de outubro, a área do complexo de favelas de Senador Camará tem sido alvo de ações policiais. Segundo a PM, traficantes dessas comunidades tentam invadir a favela Vila Kennedy. O confronto já deixou cerca de cinco mil estudantes sem aula. Quatro escolas do entorno das favelas fecharam as portas por um dia, no início de novembro, por conta da violência.

Em julho, policiais militares de vários batalhões que compõem o 2º Comando de Patrulhamento de Área (CPA) também realizaram uma operação para reprimir o tráfico de drogas na Favela da Coreia e prender Matemático. Em outra tentativa de prender Matemático, em maio de 2010, ao menos cinco pessoas morreram e 15 foram presas durante operação da PM na favela da Coreia.

Também em maio do ano passado, agentes da Delegacia de Roubos e Furtos encontram 38 imagens de Nossa Senhora Aparecida recheadas com tabletes de maconha, largadas num matagal junto ao Complexo da Coreia. As imagens seriam de Matemático. Em outubro de 2009, 200 policiais civis, de quatro delegacias especializadas, fizeram uma operação nas favelas do Timbau e Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, para prender o traficante. Na época, ele teria participado de uma guerra entre traficantes das favelas da Maré.

Fonte: O Globo

Polícia Legislativa é proibida de bisbilhotar e-mails de funcionários. A polícia legislativa precisa ser contida dentro dos limites de sua competência

Policiais Legislativos são proibidos de bisbilhotar e-mails de funcionários

Mesa Diretora restringe a quebra de sigilo virtual dos funcionários pelos agentes legislativos da Casa.

O acesso será liberado somente com autorização da Justiça ou para investigações conduzidas pelas comissões de inquérito

O Senado colocará um freio na atuação dos policiais legislativos em casos que envolvam a quebra de sigilo de funcionários da Casa. O primeiro-secretário do Senado, Cícero Lucena (PSDB-PB), anunciou nesta terça-feira (29/11) a mudança na redação do artigo nº 10 do ato nº 14 de 2011, limitando a quebra de sigilo da navegação de funcionários e usuários da internet a solicitações judiciais ou investigações conduzidas por CPIs (Comissões Parlamentares de Inquérito). [é bom lembrar que mesmo nas situações destacadas a competência não é da Polícia Legislativa e sim da Polícia Federal, que exerce com exclusividade, a função de POLÍCIA JUDICIÁRIA da UNIÃO.]

A medida foi tomada após reportagem do Correio revelar que os agentes da Polícia Legislativa da Casa tinham autorização para bisbilhotar as caixas postais dos servidores. A atual redação do ato concede aos agentes o poder de solicitar informações ao Centro de Processamento de Dados do Senado (Prodasen) durante a condução de investigações internas. A prerrogativa foi dada aos policiais legislativos no último 14 de setembro, por decisão da própria Mesa Diretora.

O primeiro-secretário informou que o Senado deve, a partir de agora, acionar primeiramente a Justiça para só depois quebrar o sigilo dos e-mails. “Quando houver denúncia do comportamento de prática de pedofilia ou pornografia nós abriremos um inquérito administrativo na Casa. Após esse inquérito, tendo indícios de que é verdade, irá se solicitar na Justiça a autorização da quebra” ressaltou Lucena. Apesar da iniciativa, o senador não informou se o monitoramento das caixas postais por parte da Polícia Legislativa será interrompido. O Correio também questionou assessoria da Casa sobre o número de solicitações de dados que a Polícia do Senado fez ao PRODASEN desde que o ato foi publicado, mas não obteve resposta. [tem que ser interrompido, já que a bisbilhotice de dados é violação de mandamento constitucional.]

O ato que permeia a utilização da internet da Casa baseou-se em entendimento do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que concede às empresas o direito de monitorar e-mail corporativo, para tornar mais flexível a política de confidencialidade de dados de funcionários e usuários. Segundo o advogado Euclydes José Marchi Mendonça, a jurisprudência tem apresentado duas posições sobre o assunto. Uma entende que, no ambiente corporativo, não há mais sigilo e a outra, que ainda é preciso respeitar a intimidade e a privacidade dos funcionários. “Para usar essas informações, tem que ter ordem judicial. No caso do Senado, não vejo qual a intenção”, afirmou Marchi Mendonça. O vice-presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo defende que o funcionário seja comunicado de que está sendo monitorado. “É preciso estabelecer os limites dessa vigilância, porque quem olha o e-mail corporativo pode olhar também o pessoal. A linha é tênue.”

Contra-inteligência
O primeiro-secretário mudou o discurso em relação ao projeto do Senado, de comprar novos aparelhos antiarapongas. As declarações dadas por Lucena ontem se chocam com as do último sábado, quando disse ser “absolutamente contrário à aquisição de equipamentos dessa natureza” pelo Senado. No novo posicionamento, o senador — que é responsável por liberar a aquisição dos aparelhos — diz que o pedido ainda precisa ser avaliado. “Ainda não recebi a demanda, preciso ver”, ressaltou. “O pedido é para escuta ambiental para ver se tem grampo no telefone”, ponderou o senador. Ele, no entanto, afirma que é contra a prática da realização de grampos no Senado. Documentos sigilosos — revelados na última sexta-feira pelo Correio — mostram que a Polícia do Senado solicitou compra de quatro maletas de rastreamento de grampos telefônicos. Segundo o diretor da Polícia Legislativa, Pedro Ricardo Araujo Carvalho, a compra é necessária em razão dos aparelhos atuais utilizados pelos agentes estarem defasados.

Outra decisão da Mesa tomada na reunião de ontem diz respeito à prerrogativa de senadores pedirem passaporte diplomático para terceiros. A pedido do senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), o Itamaraty concedeu o documento para um pastor, conforme revelado pela imprensa na última semana. Segundo Lucena, a Mesa deve criar um ato impedindo a prática. “O senador não vai poder pedir para terceiros. Ele terá que devolver a partir do momento em que haverá o ato”, ressaltou.

Entenda o caso
Máquina de grampos

De polícia com funções administrativas, os agentes do Senado ganharam o terreno da contra-inteligência e equiparam as dependências da Casa com sofisticados aparelhos capazes de monitorar todas as frequências emitidas nos prédios, em busca de grampos. Sexta-feira, o Correio divulgou lista de compra elaborada pelo Serviço de Tecnologia e Projetos da Polícia do Senado (Setpro) que incluía quatro maletas de rastreamento de escutas telefônicas.

O pedido de compra foi aprovado em setembro. Após a publicação da reportagem, a Primeira-Secretaria da Casa informou que desistiria dos equipamentos. Segundo o órgão, a consulta tinha o objetivo de atualizar os rastreadores, considerados obsoletos. Atualmente, o Senado possui duas maletas modelo Oscor 5000, usadas para monitorar a utilização de telefones nas dependências do legislativo. Ontem, o Correio mostrou que ato da Primeira-Secretaria, também de setembro, abriu brecha jurídica para que a Polícia do Senado solicitasse diretamente ao Centro de Processamento de Dados da Casa (PRODASEN) informações sobre a navegação de servidores e usuários da internet do Senado. [no Brasil é comum, especialmente no serviço público, a prática de abusos baseado naquele ditado: “se dá um dedo e eles querem a mão”. É exatamente a forma como está procedendo a polícia legislativa.

A Constituição Federal elenca no seu artigo 144, de forma terminativa e restritiva, os órgãos que integram a SEGURANÇA PÚBLICA e entre as polícias ali arroladas não constam as ‘polícias legislativas’. No mesmo dispositivo legal é permitida a criação pelos municípios de ‘guardas municipais’ mediante lei específica. No mesmo artigo atribui a Polícia Federal o exercício, com exclusividade, das funções de polícia judiciária da Uniãoo Senado Federal e a Câmara dos Deputados integram o Poder Legislativo da União.

No capítulo dedicado ao Poder Legislativo, tanto na parte concernente ao
Senado Federal quando na que cuida da Câmara dos Deputados, o texto constitucional atribui as duas casas competência para vários atos, entre eles os de elaboração do regimento interno, dispor sobre funcionamento, polícia, etc.

Em algum momento, houve, digamos, um ‘descuido’ e as funções constitucionais de polícia administrativa, de cuidar da segurança nos prédios e instalações das duas casas legislativas, se estenderam invadindo inclusive competência exclusiva da Polícia Federal.

Completando o ‘descuido’ o Estatuto do Desarmamento concede aos integrantes das ‘polícias legislativas’ o direito a portar armas, da mesma forma que concedeu o mesmo direito aos Auditores da Receita Federal, aos Fiscais do Trabalho, as empresas de segurança privada, entre outros órgãos públicos e privados, cabendo ressaltar que aquele Estatuto não tem o condão de acrescentar ou suprimir sequer uma vírgula ao artigo 144 da Constituição Federal.

O mais grave é que, digamos, o costume, dos órgãos públicos disporem do seu próprio corpo de segurança está se estendendo por órgãos do Poder Judiciário, do Executivo e se não for contido teremos em breve milícias públicas e começarão a surgir arbitrariedades.

Temos o caso do DETRAN-DF, não contemplado com porte de armas no Estatuto do Desarmamento, não elencado na Constituição Federal entre os órgãos que compõem a SEGURANÇA PÚBLICA e que baseado em uma Lei Distrital, já considerada inconstitucional em ADIN do STF, insiste em que seus agentes possuem livre porte de arma.]

Fonte: Correio Braziliense

Polícia de Goiás quer aumentar policiamento no Estado. Secretaria dos Direitos Humanos critica duramente, afinal pode ficar dificil para o 'bandido'

Tropa de choque da PMGO voltará às ruas com patrulhamento sem identificação
A Polícia Militar de Goiás retomará práticas suspensas há nove meses, desde a prisão de 19 acusados de envolvimento com um grupo de extermínio, todos PMs, entre eles o então subcomandante da corporação, coronel Carlos Cézar Macário. As medidas incluem o retorno às ruas, em até 15 dias, dos policiais do Batalhão de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), com uniformes e carros pretos. A instituição criará um batalhão velado, para fazer o policiamento sem identificação. Já o Entorno ganhará 30 unidades de policiamento comunitário, no molde das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) do Rio de Janeiro.

Mas os planos dos responsáveis pela segurança pública no estado vizinho ao DF receberam duras críticas de entidades defensoras dos direitos humanos, inclusive da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República — as mudanças nos quadros e na maneira de agir foram anunciadas pelo novo comandante da PM goiana, coronel Edson Costa Araújo, empossado na segunda-feira. “Fazer policiamento velado, sem identificação, é intolerável no Estado de direito”, afirmou o secretário executivo do órgão federal, Ramais de Castro Silveira, durante a assembleia itinerante do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), ontem, em Goiânia. [óbvio que para a Secretaria dos Direitos Humanos da presidência da República - notória defensora de ex-guerrilheiros, ex-terroristas - qualquer tipo de policiamento que possa ter êxito no combate aos bandidos, merece críticas.
Afinal, no entendimento da ministra Rosário, o patrulhamento deve ser feito com sirenes e rotolight ligados e com dia, hora e local definido - só assim os marginais poderão exercer o seu 'direito humano' de fuga.
Tudo bem no estilo Agnelo - o petista que ainda governa o DF: quando a polícia vai realizar uma ação de combate ao crime, especialmente ao tráfico de drogas, com uma semana de antecedência é divulgado pela imprensa o dia do inicio da operação, sua duração, locais onde será realizada, efetivo empregado, etc.]


O tema do encontro era extermínio de crianças e de jovens menores de 18 anos. Foram discutidos crimes que levaram a Polícia Federal a intervir em Goiás e a desencadear a Operação Sexto Mandamento em fevereiro, com a prisão dos 19 PMs. A eles e a outras dezenas de militares goianos denunciados pelo Ministério Público estadual são atribuídos mortes e desaparecimentos de mais de uma centena de cidadãos. A maioria dos suspeitos integrava a Rotam, que agora será reforçada com mais 20 homens, totalizando 80.

Segundo o coronel Edson Costa Araújo, é preciso apertar o cerco à criminalidade. “Isso é uma máxima para nós. Podemos estabelecer um nível de preocupação e de medo por parte do marginal. Mato que tem onça, macaco não desce do pau”, afirmou, em entrevista coletiva. As medidas têm total apoio do secretário de Segurança Pública de Goiás, João Furtado Neto. “Os homens de preto estão de volta”, ressaltou. [estão certíssimos tanto o coronel Edson Costa quanto o Secretário de Segurança Pública de Goias. Bandido tem que ter pavor de polícia e de cadeia.
Só que no Brasil, governado pela esquerda e pelo PT, bandido tem que ser bem tratado, avisado dos riscos que sua atividade oferece e INFELIZMENTE talvez as duas autoridades citadas, apesar de ESTAREM MAIS DO QUE CERTAS, logo serão exoneradas.

Quando o bandido reage à ação policial está exercendo um direito, quando é abatido pela PM, os policiais são acusados de terem forjado 'auto de resistência', ter sido um 'suposto confronto'.]

Fonte: Correio Braziliense

IncomPeTência do governo petista do DF

Metrô de Brasília é o mais caro do mundo, mostra pesquisa do Idec
Tarifa cobrada no DF consome 22% do salário mínimo de uma pessoa que usa o trem para ir e voltar do trabalho todos os dias.
É o maior gasto entre 19 cidades pesquisadas pelo Idec

Andar de metrô em Brasília está mais caro do que em Londres, Paris e Nova York. Com uma população de mais de 2,5 milhões de pessoas, a capital federal lidera o ranking de preço alto entre 19 grandes cidades de todo o mundo em relação ao salário mínimo local, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Durante 20 dias úteis, a tarifa de R$ 3 no Distrito Federal consome por mês 22,02% do salário mínimo de R$ 545. Para chegar ao resultado, foram analisadas seis cidades brasileiras e 13 estrangeiras.

O Rio de Janeiro, segundo no ranking, tem uma tarifa de R$ 3,10, o que compromete 20,43% de uma renda mínima mensal de R$ 607. Em seguida vem São Paulo, que cobra R$ 2,90 a passagem e consome 19,02% do piso paulista de R$ 610. Em Belo Horizonte, com a tarifa de R$ 1,80, o gasto mensal com metrô corresponde a 13,21% do piso nacional pago ao trabalhador. Nesse ranking do Idec, Recife e Fortaleza ficaram, respectivamente, em 8ª e 14ª posição. Nova York, Londres e Paris, estão, pela ordem, em 11º, 12º e 17º lugares. Caracas tem a menor tarifa. O trabalhador venezuelano, com renda mensal de R$ 848,34, gasta 1,95% do salário com metrô.

No Distrito Federal, diariamente passam 135 mil pessoas pelas 24 estações do metrô. Somados os dois dias do fim de semana (sábado e domingo), o número de usuários é o mesmo. O diretor Comercial e Financeiro, Nilson Martorelli, que responde pela presidência do Metrô-DF, discorda do resultado da pesquisa realizada pelo Idec. Para ele, qualquer comparação realizada com Brasília colocará a cidade como a mais cara. “Não podemos utilizar como parâmetro o salário mínimo. Na Europa, ele custa, em média, entre R$ 14 e R$ 16 por hora. Em Brasília, é R$ 2,48 a hora, e a capital tem a renda per capita mais alta do país. Se compararmos isso, a tarifa daqui é a mais barata”, avalia.

Martorelli pondera que a idade do metrô também influencia o valor da tarifa. “O mais novo é o de Brasília, com 10 anos. Os de São Paulo e do Rio de Janeiro têm 30 anos. Na Europa, ele é centenário. O metrô do DF está crescendo e nossa meta é melhorar cada vez mais e oferecer um transporte de qualidade.” [crescendo: desde o inicio da construção, há mais de dez anos, que a área servida pelo METRÔ-DF se mantém exatamente igual a projetada. Não foi aumentado um metro sequer, não foi criado nenhuma outra linha, sequer iniciada - portanto se mantém a mesma área servida. Que crescimento é esse senhor Martorelli.]

Preços
A tarifa do metrô no Distrito Federal é definida pelo governo local. Segundo ele, se o cálculo técnico fosse analisado e a passagem não fosse subsidiada, o custo da passagem seria muito maior. “O GDF estipula um valor coerente com a evolução do salário do brasiliense. A tarifa hoje ultrapassaria os R$ 3 devido aos custos operacionais, mas a população não suportaria, então o governo arca com o restante”, explica.Com 42,38km de extensão, o metrô atende apenas parte do DF, que inclui Asa Sul, Epia, Guará, Águas Claras, Taguatinga, Ceilândia e Samambaia. [Taguatinga uma parte mínima, menos de 20%, idem Ceilândia o mesmo ocorrendo com Samambaia.]

O preço do bilhete é criticado pelos usuários. O agente de segurança Francisco de Assis de Sousa Guedes, 44 anos, mora em Sobradinho e leva mais de cinco horas para ir e voltar ao trabalho. Ele também concorda que o preço poderia ser mais baixo. “Eu tenho vale-transporte, mas se o preço fosse diferente, meu salário seria maior. Faz diferença na hora de colocar a comida na mesa, na hora do lazer”, diz Francisco, que é casado e tem três filhos.

Fonte: Correio Braziliense

AIDS. aumenta o risco entre jovens homossexuais

Aids: cresce comportamento de risco de jovens homossexuais

Com tratamento, sexo parece ter virado uma roleta russa entre alguns grupos de gays da nova geração

Hoje desempregado, X. tinha 28 anos no fim dos anos 1990 quando espasmos na perna esquerda o fizeram procurar um médico. Após uma série de exames, foi confirmado o que ele mesmo já suspeitava: estava infectado com o vírus HIV. O resultado "reagente" veio tarde, já que sempre martelaram na sua cabeça as primeiras relações sexuais desprotegidas com um antigo namorado, que morrera anos depois. O diagnóstico tardio o levou a uma série de complicações: passou de 80 para 30 quilos, sofreu três tuberculoses, uma pneumonia grave e quase ficou cego.

Foram dois anos de sucessivas internações, até que buscou refúgio numa casa de apoio a portadores de Aids. Sozinho em São Paulo, a família toda morando no Paraná, diz que nunca mais conseguiu ter uma relacionamento duradouro. Sexo, casualmente, mesmo diante da surpreendente reação das pessoas na cama. - Muitas vezes, se eu resolver transar sem camisinha, vai assim mesmo. Eu é que evito. Acabou a preocupação com sexo seguro por causa da fantasia de que o soropositivo não sofre mais. Ninguém sabe o sofrimento que é viver com Aids - diz ele, morador de São Miguel Paulista, periferia de São Paulo.

Aos 42 anos, Y. diz também ouvir de amigos que acabou a preocupação em transar sem preservativo, principalmente entre os mais jovens. - Essa molecada não viu a cara da Aids. Hoje, há tratamento em que as pessoas não ficam esquálidas, mas são muitos os efeitos que parecem ser ignorados por quem está procurando sexo quase desesperadamente - reforça ele.

Z. é um rapaz que pode ser incluído no grupo da "molecada" portadora do vírus que ignora solenemente os efeitos da doença. Aos 21 anos de idade, infectado aos 18 num sexo grupal, o estudante de administração de empresas diz que não se preocupa na hora de ir para a cama. Frequentador de boates e bares badalados em São Paulo, onde vive, ele diz que cada um deve cuidar de si. - Eu não estou nem um pouco preocupado com os outros. Se quiser transar sem camisinha, eu transo. Provavelmente é alguém também contaminado, então estamos no empate - diz Z., num discurso pontuado por um rancor indisfarçável: - Eu pergunto: alguém se preocupou comigo?

Com uma turma de amigos de 20 e poucos anos de idade, o estudante revela que, assim como ele, outros jovens deixaram a segurança de lado mesmo sabendo que não estavam contaminados com o vírus HIV. O sexo parece ter virado uma roleta russa entre alguns grupos de gays da nova geração: - As pessoas estão procurando prazer, e, aí, tem que ter sorte. Só que muitas vezes não é o que acontece.

Fonte: O Globo

Coisas que só acontecem no DF

Certos absurdos só acontecem no Distrito Federal

Hoje deveria ser feriado no Distrito Federal, por ser 'dia do evangélico'.

O deveria se justifica por se tratar uma lei que não 'pegou', já que todos os órgãos do Governo Federal, dos 3 Poderes, boa parte do comércio e demais atividades no DF funcionam normalmente.

Se trata de uma lei absurda, extremamente discriminatória. Não se justifica um feriado dedicado ao 'dia do evangélico'

Afinal se admitindo a existência de um feriado para o 'dia do evangélico', por uma questão de isonomia teria que haver um para o 'dia do católico', outro para o 'dia do umbandista' e por aí vai.

Naturalmente que "lei" tão absurda, tão discriminatória, foi mais uma 'produção independente' da Câmara Legislativa do Distrito Federal, também conhecida como 'casa do espanto', 'casa das meias', e que também se destaca pela farta produção de leis inconstituicionais, outras inúteis e pelo elevado indice de corrupção dos seus membros. Basta ver que dos 24 atuais deputados, no máximo, 10% não estão envolvidos como réus em algum processo.

O autor da Lei, ex-deputado Carlos Xavier é outro caso bizarro. Evangélico, seu nome original era ADÃO XAVIER, mas por não agradá-lo trocou por Carlos Xavier.

Na realidade a vocação do ex-deputado, também ex-Adão, está mais para CAIM, tendo em conta sua propensão ao assassinato.

Ilustre ex-deputado descobriu que sua esposa mantinha um caso extra-conjugal com um jovem de 16 anos e não vacilou: mandou assassinar o galã e ficou numa boa com a esposa.

Editores do Blog da UNR

UTILIDADE PÚBLICA - Pode a moda pegar no Brasil

Francês condenado por não cumprir deveres conjugais

Um tribunal francês condenou um homem a pagar 10 mil euros a sua ex-esposa por danos por não ter cumprido durante anos o dever de manter relações sexuais com ela.

Homem deve pagar 10 mil euros a sua ex-esposa por não ter mantido relações sexuais …

Na sentença emitida em maio de 2011 e divulgada nesta terça-feira, o Tribunal de Apelações da Aix-en-Provence (sudeste) confirmou em grande parte a decisão judicial de 2009. Como na primeira instância, o tribunal concedeu a essa mulher, casada desde 1986 e mãe de dois filhos, 10 mil euros por causa dos danos pela "ausência de relações sexuais durante vários anos". O tribunal se baseia no artigo 1382 do Código Civil que prevê que qualquer pessoa que causa danos a outra deve indenizá-la.

Fonte: AFP

[após o absurdo relatado no POST anterior, a notícia deste passa a ser mera curiosidade... apesar de também ser um ALERTA aos homens que negligenciam ser DEVERES CONJUGAIS, especialmente por serem DEVERES extremamente PRAZEROSOS.]

Pesquisa personalizada