Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

IMPOSTÔMETRO

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Ideli Salvatti, passa fins de semana - começando na sexta - em Santa Catarina e diz ser 'a serviço'.

Entre novembro e dezembro, Ideli viajou em quatro sextas-feiras para o Sul

Às sextas-feiras, quem bater à porta da ministra Ideli Salvatti, da Secretaria de Relações Institucionais, no 4º andar do Palácio do Planalto, corre o risco de não encontrar a principal responsável pela articulação política do governo Dilma Rousseff. É nesse dia que a ministra costuma ir a Santa Catarina, seu berço político, e, no melhor estilo de candidata em campanha eleitoral, cumprir uma agenda com compromissos que pouco têm a ver com sua função principal. Ideli viaja para inaugurar obras, entregar casas, lançar projetos e paparicar lideranças locais. De olho na disputa pelo governo do estado em 2014, a ministra garante que as viagens não prejudicam o trabalho.

Só entre novembro e dezembro, foram quatro sextas-feiras usadas para ir a Santa Catarina. Ideli percorre todo o estado, em atividades essencialmente locais, sem relação com a articulação política do governo federal. É o caso da série de homenagens que a ministra recebe pelo interior. Em novembro, recebeu o Título de Cidadã Araranguaense e com a Ordem do Mérito Jubileu, de Içara. No mesmo município, pouco antes da condecoração, a ministra participou da entrega de um condomínio de casas construídas pelo programa Minha Casa, Minha Vida na cidade.

O projeto, de grande impacto eleitoral, é um dos preferidos em suas viagens pelo estado. Em 9 de dezembro, entregou mais 320 casas construídas pelo Minha Casa, Minha Vida, dessa vez em Palhoça, também no interior catarinense. Na viagem, aproveitou até para inaugurar duas agências bancárias da Caixa Econômica Federal, nos municípios de Santo Amaro da Imperatriz e São José. No rol das inaugurações, figura ainda a duplicação da estrada SC-401, que liga o Centro de Florianópolis ao norte da ilha.

Os encontros políticos também são fartos. Segundo a agenda oficial da ministra, só para os prefeitos do PT no estado, Ideli já falou duas vezes este ano. As duas palestras foram em fóruns dos prefeitos do partido, na Assembleia Legislativa catarinense. Em 16 de dezembro, almoçou com empresários locais no norte de Florianópolis. Em outubro, também ao lado de empresários, dessa vez da cidade de Lages, falou sobre o “segredo da mulher bem-sucedida”.

As viagens cresceram à medida que a ministra se acostumou com o dia a dia no Palácio do Planalto. Em junho e julho, os dois primeiros meses como ministra das Relações Institucionais, Ideli permaneceu às sextas-feiras em Brasília. A partir de agosto, porém, a intensidade das visitas a Santa Catarina aumentou.

Pesca
Derrotada em 2010, quando ficou em terceiro lugar na disputa pelo governo do estado, Ideli pretende fazer de sua passagem pelo Executivo um manancial de dividendos eleitorais para 2014. As viagens, de acordo com a ministra, não prejudicariam o desempenho do governo no Congresso. “Mesmo em Santa Catarina, continuo com as conversas de articulações políticas.”

Mas não é a primeira vez que a ministra usa as sextas-feiras para se promover em seu berço político. Quando foi ministra da Pesca, cargo que ocupou nos cinco primeiros meses do ano, Ideli também costumava reservar as sextas-feiras para atividades em Santa Catarina. Entregou lancha à Polícia Federal no estado, assinou parceria com a Universidade de Santa Catarina e brindou uma prefeitura do interior com uma peixaria móvel, do projeto Caminhão Feira do Peixe. Muitas vezes, despachava da Superintendência Federal da Pesca e Aquicultura em Santa Catarina, braço do ministério no estado. Tudo às sextas-feiras.

Ministros de férias

Procurada pelo Correio, Ideli alegou que vai a Santa Catarina “a serviço” e porque sua residência permanente é no estado. Mas suas idas contrastam, por exemplo, com a colega Gleisi Hoffmann, chefe da Casa Civil. Paranaense, Gleisi viaja muito menos. Em novembro e dezembro, sequer foi ao Paraná.

Ideli defende que a agenda catarinense não é incompatível com sua missão no Planalto. “Cabe à Secretaria de Relações Institucionais fazer a interlocução com prefeitos, governadores e parlamentares”, afirma Ideli, sem explicar a relação entre sua função e a inauguração de agências bancárias, por exemplo, ou ainda por que outros estados não são tão contemplados com visitas suas quanto Santa Catarina.

Ontem, Dilma autorizou as férias de janeiro de Ideli, de 31 de dezembro a 16 de janeiro. Fernando Bezerra, da Integração Nacional; José Elito, da Segurança Institucional; e Miriam Belchior, do Planejamento, também terão férias no mês que vem. A maioria dos recessos deve começar em janeiro, quando a presidente ainda estiver no Nordeste, mas, em alguns casos, terminam depois que Dilma já estiver de volta. O Palácio do Planalto não confirma, mas o retorno da presidente deve ocorrer, provavelmente, em 10 de janeiro.

Fonte: Correio Braziliense

Um comentário:

luz.janetteh830luz disse...

nós de santamaro que fomos atinjidos pelas enchentes de 2011 ainda estamos esperando por ajuda que até hoje quase um ano depois nada foi feito e continuamos em areas de ricos pois não temos pra onde ir .

Pesquisa personalizada