Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Eike Batista não é o homem mais rico do Brasil

Extra! Como adiantamos aqui nessa quinta-feira, Eike Batista estava prestes a perder o título de homem mais rico do Brasil. Pois bem: o empresário perdeu! 

A Bloomberg, que publica um ranking com as 200 pessoas mais ricas do mundo, atualizado diariamente, acaba de confirmar a informação. 

Com patrimônio pessoal de US$ 18,9 bilhões, Jorge Paulo Lemann – o maior acionista da AmBev - agora é o mais rico entre os brasileiros. Batista, que no início do ano chegou a ter US$ 34,5 bilhões, agora possui US$ 18,6 bilhões, segundo a Bloomberg.

Com a AmBev se tornando a maior empresa da América Latina por valor de mercado, de acordo com o pregão dos últimos dias, a diferença entre as fortunas de Jorge Paulo Lemann, o maior acionista da cervejaria, e de Eike Batista chegou ao menor nível em anos.  

De acordo com o Bloomberg Billionaires Index – a lista dos mais ricos do mundo atualizada diariamente pelo canal de notícias econômicas -, neste momento o patrimônio de Eike é de US$ 18,7 bilhões, “apenas” US$ 100 milhões a mais do que Lemann possui.  

Eike Batista e Jorge Paulo Lemann: quase empatados

Em janeiro essa diferença era de quase US$ 15 bilhões.

Fonte: Glamurama - UOL 

Procurador citado em investigação é ligado a Toffoli desde 2003



Evandro Gama foi levado para trabalhar na Casa Civil pelo hoje ministro do STF
Um dos personagens do escândalo da máfia dos pareceres
, o procurador da Fazenda Nacional no Amapá, Evandro da Costa Gama — que aparece nos e-mails interceptados pela Polícia Federal com uma lista de pedidos de cargos ao ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) Paulo Vieira —, é considerado “cria” do ministro Dias Toffolli, do Supremo Tribunal Federal, segundo relatos de pessoas próximas ao ministro. Costa Gama foi filiado ao PT até a eleição passada. Os dois se conheceram em 2003, em São Paulo, quando Toffoli o levou para a Casa Civil e trabalharam juntos até 2005, sob o comando de José Dirceu. Em 2007, já como advogado-geral da União, Toffoli buscou novamente Evandro no Amapá e retomaram a parceria até 2009.

Na AGU, os dois atuaram no polêmico processo referente à Ilha das Cabras, do ex-senador Gilberto Miranda (PMDB-AM), outro alvo da Operação Porto Seguro. Em 22 de outubro de 2009, um dia antes de o Diário Oficial da União publicar a exoneração de Dias Toffoli do cargo de advogado-geral e a nomeação de Luís Inácio Adams para a função, Gama assinou pedido de inclusão da AGU no processo sobre a ilha, em curso no STF.

Em 16 de junho de 2009, como chefe da AGU, Dias Toffoli já havia entrado com requerimento para a União integrar o processo. No mesmo dia da nomeação de Toffoli para o STF, o advogado-geral em exercício, Evandro Gama, solicitou “preferência no pedido de intervenção”. Adams também renovou o pedido, como O GLOBO mostrou nesta quinta-feira. 

— Eu não me lembro desse fato específico, era muita coisa que vinha para o substituto assinar. Nesse caso eu assinei como advogado-geral interino, suponho que a pedido da Secretaria de Patrimônio da União. Por acaso eu conhecia o Paulo Vieira, mas não foi ele que me pediu. Em Brasília a gente encontra as pessoas. Tenho um currículo exemplar, sou batalhador, estou no meio dessa confusão à toa, porque o e-mail do Vieira está grampeado — disse o procurador Evandro Gama, hoje lotado na Procuradoria da Fazenda Nacional do Amapá.

Ao GLOBO, o ministro Toffoli não fez qualquer menção à parceria com o procurador Evandro Gama na AGU. Limitou-se a encaminhar cópia do ofício assinado por ele como ministro-chefe da AGU, e por duas outras advogadas da União, ao ministro Joaquim Barbosa. No ofício, Toffoli pede a Barbosa o deslocamento da causa para o foro federal, por se tratar de imóvel da União, e anulação dos atos decisórios da Justiça estadual “uma vez que se trata de incompetência absoluta”. Ou seja, o ofício pediu a anulação das multas aplicadas a Gilberto Miranda. Segundo a assessoria de Toffoli, ele atuou no caso de acordo com orientação da Secretaria Geral de Contencioso da AGU.

A PF descobriu um e-mail “urgente” de Gama para Paulo Vieira, ex-diretor da ANA, enviado em 26 de agosto de 2011. À época, já fora da cúpula da AGU, Evandro Gama pediu ajuda ao suposto líder da quadrilha para conquistar um cargo público federal no estado ou em Brasília.
 
Fonte: O Globo


Se Cardozo não sabia das investigações, como manter-se no cargo que não terá exercido?



‘O PT de Rosemary’

Certos candidatos a certas nomeações, ao que parece, precisam apresentar entre seus documentos um atestado de antecedentes incompleto. Só o completarão, como folha corrida, como capivara, no exercício do cargo. Mas esta não é uma novidade. Novidade seria explicar o motivo que levou a Polícia Federal, subordinada ao Ministério da Justiça, a investigar assuntos do Governo e gente influente do Governo anterior. Há alguns palpites, que podem até ser verdadeiros, mas que neste momento não passam de palpites:

a) há pouco tempo o Governo negou o aumento reivindicado pela Polícia Federal (só que essa investigação não começou há pouco tempo);
b) a Polícia Federal é dividida em várias alas (mas seria estranho que alguma delas agisse num nível tão alto sem que o ministro da Justiça fosse informado);
c) o advogado geral da União, Luís Inácio Adams, era apontado como um dos preferidos de Dilma para o Supremo (e sua indicação ficou difícil pelo envolvimento no caso de seu adjunto e homem de confiança, cuja escolha para o cargo defendeu com todo o empenho). Outra possibilidade de escolha da presidente Dilma seria o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo ─ que vem a ser, por coincidência, o chefe da Polícia Federal. 

O afastamento do nome de Adams reforça, sem dúvida, o nome de Cardozo. Depois das desastrosas declarações do ministro sobre as prisões brasileiras, sob sua responsabilidade, seria esta também uma maneira de tirá-lo do posto, promovendo-o para fora do Governo.

Perguntas
Se Cardozo sabia das investigações, terá contado a Dilma? Se sabia e a informou, por que não houve providências imediatas, como afastar Rose Noronha antes que o caso se tornasse público? Se sabia e não a informou, continuará merecendo confiança?
Se não sabia, como manter-se no cargo que não terá exercido?

Dúvidas, dúvidas
1 ─ Para que existem gabinetes da Presidência da República em vários Estados? Com o avanço extraordinário das telecomunicações, para que servem?
2 ─ A secretária Rose Noronha foi demitida do gabinete paulista, e não terá substituto. Se o cargo era necessário, por que não substituí-la? Se o cargo era desnecessário, por que se pagava uma funcionária para exercê-lo?
3 ─ Quando estourou o Mensalão, o presidente Lula se disse apunhalado pelas costas. Agora, o ex-presidente Lula se disse apunhalado pelas costas. Afinal de contas, para que servem seus guarda-costas?
4 ─ Lula provém de família pobre, foi operário, foi líder sindical, fundou um partido importante, elegeu-se duas vezes presidente da República, elegeu sua sucessora. Mas vive dizendo que foi traído. Será que Lula se considera ingênuo? Será que alguém no país seria capaz de considerá-lo simplório? 

Por: Carlos Brickmann  
carlos@brickmann.com.br  

Nove pessoas são mortas a tiros na Grande SP



Uma chacina, uma suposta tentativa de roubo e assassinatos deixaram um saldo de nove pessoas mortas e três feridas na Grande São Paulo, entre o final da noite de ontem (29) e a madrugada desta sexta-feira. As mortes ocorreram quatro dias após a troca dos comandos das polícias Civil e Militar do Estado de São Paulo.

 PM passa ao lado de marcas de sangue em bar onde quatro pessoas foram mortas na zona norte de SP
Por volta da 1h30, dois homens foram baleados na rua Joaquim Pereira dos Santos, na Vila Assis Brasil, em Mauá. Os baleados foram levados a UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) na Vila Assis, mas um não resistiu aos ferimentos e morreu.  Na zona norte, quatro pessoas foram mortas em uma chacina, no Jardim Maristela, por volta da 0h30. Segundo a polícia, homens em uma moto dispararam vários tiros contra pessoas que estavam em um bar na Estrada o Sabão, no Jardim Maristela. Seis baleados foram levados aos prontos-socorros Penteado, Taipas e João Paulo, mas quatro deles não resistiram aos ferimentos e morreram

Uma hora antes, um homem foi encontrado baleado na rua André Lombardi, no Conjunto Habitacional Sítio Conceição, na zona leste.  Moradores da região encontraram o homem baleado e ligaram para o 190. Ele foi levado ao pronto-socorro do Hospital Cidade Tiradentes, onde morreu.  Em Barueri, um homem foi encontrado morto a tiros na rua Aníbal Almeida Pessoa, no Jardim Iracema, por volta das 20h. Ele tinha passagem pela polícia.
CASAL MORTO
Um casal em uma moto Honda Fireblade Repsol foi morto a tiros em uma suposta tentativa de roubo na avenida dos Bandeirantes, no Brooklin Paulista, zona oeste de São Paulo, na noite de quinta-feira (29). Por volta das 21h, dois homens em outra moto dispararam ao menos cinco tiros contra as vítimas, que morreram no local. Os autores dos tiros fugiram sem levar nada do casal.

Corpo de casal morto a tiros em uma suposta tentativa de roubo na avenida dos Bandeirantes

Desgovernada, a moto bateu contra um Toyota Fielder, que também foi atingida pelos tiros. As duas ocupantes não foram atingidas pelos tiros porque o veículo era blindado. 

Clique aqui para galaeria de fotos ONDA DE CRIMES EM SÃO PAULO

Fonte: Folha de São Paulo

Parabéns à polícia gaúcha; afinal, grupelhos que se dizem antifascista devem ser coibidos e da mesma forma os que querem impor as aberrantes práticas homossexuais



RS: 'antifascista' é presa por tentar matar supostos neonazistas

Uma mulher de 28 anos, identificada como Tamires Fernando da Silva Sozinho, foi presa nesta quinta-feira em Caxias do Sul, na serra gaúcha, por liderar o grupo Sharp Antifascista, cujo foco é lutar ideologicamente - e violentamente - contra neonazistas. Conforme o delegado Paulo César Jardim, que coordena uma equipe de investigação de extremistas há 10 anos no Estado, a suspeita "se diz contra a violência, mas age com extrema violência". "Ela falou que é a favor da liberdade e contra o preconceito e a violência, mas age com extrema violência. Ela é uma contradição própria. Sua ideologia é o antifascismo e ela se posiciona como uma guerrilheira urbana", explicou Jardim. No dia 28 de outubro, Tamires e outros dois homens, que já prestaram depoimento e devem ser indiciados por tentativa de homicídio, agrediram um grupo de supostos neonazistas em Porto Alegre. "Os caras estavam sentados em uma moto e foram atacados com estilete, bastão e pedaços de pau. A suspeita (Tamires) é alta e forte e prensou eles contra uma cerca, tentando degolá-los. Uma das vítimas teve o braço cortado e outra, uma grande parte do rosto", relatou o delegado.

De acordo com Jardim, a prisão preventiva foi solicitada à Justiça e concedida hoje. "Com esse tipo de pessoa lidamos assim: tipificamos a conduta dela por tentativa de homicídio três vezes e esperamos que ela responda em júri popular", disse ele.

Guerra entre skinheads, punks e neonazistas
Em agosto de 2011, uma briga envolvendo punks, skinheads e ao menos um neonazista em um bar da capital gaúcha ligou o sinal de alerta da polícia para a atuação de grupos que pregam o ódio e a discriminação no Sul do País, inspirados pela ideologia de Adolf Hitler. Responsável pelo indiciamento de 35 neonazistas no Estado na última década, Jardim afirmou que está "na gênese" do gaúcho a guarida para movimentos desse tipo. Já em 2010, um grupo de defesa dos direitos dos travestis no Rio Grande do Sul recebeu ameaças por telefone de um suposto neonazista, que disse preparar uma ação na 14ª Parada Livre. Em edição anterior do evento, cartazes que pregavam a morte de homossexuais foram afixados no bairro Bom Fim, onde ocorre a passeata.

Em novembro do mesmo ano, policiais civis apreenderam material de apologia ao nazismo em uma residência no centro de Porto Alegre. Foram recolhidos fotografias, CDs, camisetas, distintivos, facas, uma soqueira e um laptop, mas ninguém foi preso. Em 2009, apreensões semelhantes ocorreram em Cachoeirinha, Viamão, Porto Alegre e duas cidades da serra gaúcha.

Também em 2009, o casal Bernardo Dayrell e Renata Ferreira foi assassinado após uma festa neonazista no Paraná. O crime foi cometido na BR-116, em Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba, e teve motivações de disputa entre o grupo neonazista liderado por Dayrell e Ricardo Barollo, apontado pela polícia como o mandante do duplo homicídio. Além dele, Jairo Maciel Fischer, Rodrigo Motta, Gustavo Wendler, Rosana Almeida e João Guilherme Correa foram acusados de participar no crime.

No dia do assassinato do casal, vários membros do grupo neonazista foram a uma festa em comemoração ao aniversário de Adolf Hitler em uma chácara de Quatro Barras. Conforme a lei 7.716, de 1989, "fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo" prevê pena de até três anos de reclusão.

Fonte: Portal Terra


A estratégia da tropa avançada do Palácio do Planalto no Congresso em relação ao episódio Rosemary Noronha é tentar circunscrever os fatos ao campo da "vida pessoal" do ex-presidente Lula



Dos 40 inicialmente denunciados pela Procuradoria-Geral da República restaram 37 réus, 25 condenados, 13 em regime fechado.  Em princípio esse resultado oferece à sociedade uma resposta além da esperada em termos de rigor no trato de ilícitos ocorridos nos altos escalões da República. Se inovações houve por parte do Supremo Tribunal Federal, uma das mais importantes foi o entendimento de que quanto mais alto o coqueiro maior pode ser o tombo.

Não se trata de condenar o cargo, mas de levar em conta as agravantes decorrentes do poder de mando. Desde a responsabilidade final sobre os atos até a disposição de impor critérios rígidos de conduta que, se ausentes, deixam prosperar a permissividade. Prevaleceu no STF percepção contrária à regra até então vigente na cultura do privilégio e da aceitação do lema de que detentores de mandatos, de influentes cargos e posições políticas de prestígio não são pessoas comuns, devendo a elas ser conferido tratamento especial.

Pela posição que ocupam ou mesmo pela "trajetória de luta", quando pegas transitando à margem da lei, só seriam punidas mediante o impossível: a apresentação do recibo do crime.  Ao (quase) fim e ao cabo de quatro meses de julgamento do processo do mensalão o Supremo disse que não é bem assim. Ou pelo menos nesse caso não foi.

Será daqui em diante? É uma pergunta a ser respondida mais adiante. Por enquanto o que se tem de certo é um aumento no grau de confiança no Judiciário.  Um passo e tanto nesses tempos de supremacia majestática do Executivo e de descrédito crescente no Legislativo.  Impõe-se agora a seguinte questão: isso representa o início de um processo ou será apenas um momento fugaz, cujo efeito se dilui ao longo do tempo sem produzir nenhum avanço?

O Brasil já viveu outros episódios em que a euforia se confundiu com a esperança
Campanha das Diretas-Já, fim do regime militar, Assembleia Nacional Constituinte, impeachment de Fernando Collor, CPI do Orçamento e tantos outros momentos. Isoladamente, nenhum deles virou o País de cabeça para baixo (ou para cima), mas, juntos, um ativo que se expressa no casamento entre a opinião do público e a posição da Corte guardiã da legalidade. 

Bom cabrito. Roberto Jefferson fez a linha sóbria diante da condenação à prisão em regime inicialmente semiaberto. Não se queixou, não se explicou nem se desculpou, citando Disraeli ("nunca se queixe, nunca de explique, nunca se desculpe") ao se manifestar sobre o inevitável. 

Realizou o prejuízo. Sempre soube dos riscos. Quando fez a denúncia do mensalão avisou logo: "Sublimei o mandato". O PT berrou na tentativa de salvar a reputação do coletivo. Jefferson, em matéria de partido fez a sua parte: não disse para quem repassou o dinheiro recebido do valerioduto, evitando arrastar o PTB para o processo. Sobre a pena de sete anos, existe a chance de ser transformada em prisão domiciliar na Vara de Execuções Penais, devido ao debilitado estado de saúde do condenado. 

Tangente. A estratégia da tropa avançada do Palácio do Planalto no Congresso em relação ao episódio Rosemary Noronha é tentar circunscrever os fatos ao campo da "vida pessoal" do ex-presidente Lula.  Mais ou menos como aconteceu com o então ministro da Fazenda Antonio Palocci em relação à casa de lobby frequentada por ele em Brasília. Até que apareceu Francenildo Costa e surgiu a (má) ideia de quebrar o sigilo bancário do caseiro. 

Peixe. Calado, Lula exerce o sagrado direito de não dizer nada que amanhã ou depois possa se voltar contra ele.

Fonte: Dora Kramer – O Estado de São Paulo

Pesquisa personalizada