Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

Blog Prontidão Total

Blog Prontidão Total

Este espaço é primeiramente dedicado a DEUS, a PÁTRIA, a FAMÍLIA e a LIBERDADE.

Vamos contar VERDADES e impedir que a esquerda, pela repetição exaustiva de uma mentira, transforme mentiras em VERDADES.

Escrevemos para dois leitores: “Ninguém” e “Todo Mundo” * BRASIL Acima de todos! DEUS Acima de tudo!

NOS VISITE!!! ENTRAR!!! CONTINUAR>>>


COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Candelária, houve exagero de alguns policiais na repressão a menores delinquentes; Carandiru: um mal necessário, teve o aspecto didático; e, Pedrinhas: bandidos estão se matando entre si, bom para a Sociedade



Candelária, Carandiru e Pedrinhas
Peço que me acompanhem em uma pequena digressão. Vamos lá: foi preciso a Chacina da Candelária e a repercussão internacional condenando o extermínio de crianças e adolescentes pobres no Brasil -, para que Estado e sociedade enfrentassem a dramática situação de nossa infância.

Duas décadas depois, ainda existem meninos e meninas em situação de risco. [que colocam trabalhadores, mulheres e crianças também em situação de risco, já que a maior parte dos meninos e meninas classificados como em “situação de risco” estão, infelizmente, envolvidos com o crime.] Os desafios persistem, sobretudo para jovens envolvidos com o tráfico. Mas consolidamos políticas públicas e uma rede de proteção social. Surgiram ONGs atuantes. E vingou nas empresas o conceito de responsabilidade social.

Além de combater resolutamente a fome e a miséria, cidadãos e governos agiram para resgatar das ruas os “menores abandonados” – termo hoje em desuso. Eram assim chamados quando, em julho de 1993, oito deles foram assassinados enquanto dormiam próximo à famosa igreja da Cidade Maravilhosa.

Onde quero chegar? Vamos lá: pouco antes, em outubro de 1992, também havíamos ganhado as manchetes estrangeiras por outra barbaridade chamada Massacre do Carandiru – a maior matança no sistema carcerário, o dobro da verificada em Pedrinhas em 2013. [vamos seguir a ordem certa das coisas: em um dos maiores presídios do Brasil, com superlotação de bandidos perigosos, ocorreu a maior rebelião da história penitenciária brasileira, exigindo uma ação enérgica da policia que resultou em mais de uma centena de mortos.
Ou a policia agia com energia ou os policiais seriam assassinados e os que sobrevivessem seriam reféns dos bandidos rebelados.
O elevado número de mortos teve um efeito didático; desde 92 não mais ocorreram motins gigantescos – exceção o de Urso Branco (morreram 29 presos) e o de outubro 2013, em Pedrinhas, que produziu 18 mortos, em sua maior parte assassinados pelos próprios companheiros.]

Mas nem as “imagens fortes” de um pátio com 111 cadáveres nem a desaprovação do planeta foram capazes de nos unir e nos tirar minimamente da inércia, como no caso da Candelária. Pelo contrário: o Carandiru ainda divide opiniões e permanece como problema de São Paulo, não do país. No início dos anos 90, alcançamos algum consenso para resguardar direitos de meninos de rua ainda vistos como inocentes ou como “pivetes” recuperáveis -mas não os de adultos criminosos, já encarcerados. [são válidas ações que recuperem os menores em “situação de risco” – que engloba os antigamente chamados menores abandonados e os não abandonados e que são bandidos mais por opção do que por necessidade.
Qualquer política de recuperação impõe o esforço de recuperar em conjunto com mudanças na legislação penal de forma a que os maiores de 14 anos que se mostrarem irrecuperáveis possam ser punidos com rigor pelos delitos que cometerem.
Quanto aos adultos já encarcerados que cumpram, na íntegra, a pena que receberam, sendo conveniente a adoção de uma política de prisão com trabalhos forçados, prisão perpétua e pena de morte – existe óbice constitucional devido as tais CLÁUSULAS PÉTREAS mas a Constituição tem que servir aos interesses das PESSOAS DE BEM e não subjuga-las deixando-as a mercê de bandidos e o reconhecimento deste principio torna possível a eliminação das mesma do texto constitucional.]

De lá para cá, não defendemos de verdade que as masmorras brasileiras – e não somente o Carandiru – fossem varridas do mapa, levando junto a tortura e o caos na execução penal. No final, parece ter prevalecido aquela terrível máxima: “bandido bom é bandido morto.” Aplicável hoje também aos menores infratores. [a pergunta que não quer calar: ok! Vamos imaginar que os presídios (para o pessoal dos direitos humanos qualquer presídio é masmorra medieval – duas palavras que causam um bom impacto) sejam varridos do mapa.
E os bandidos serão varridos ou voltaremos aos tempos do bandido e mocinho?
O bom senso e a experiência de centenas de anos e dezenas de países recomendam que só devemos eliminar as cadeias após a eliminação dos bandidos.]

A área da Justiça não nos sensibilizou: nem percebemos que o Ministério mudou de mãos dez vezes durante os anos FHC. E que a gestão petista, apesar de mais estável e atuante, economizou o Fundo Penitenciário, que poderia construir e modernizar cadeias. Sequer reivindicamos essas melhorias em alto e bom som. Também não pedimos novas centrais de flagrante ou mutirões da Justiça nos Estados. Deixamos as autoridades à vontade para fazer pouco. A única coisa que exigimos sempre, acuados pelo aumento da criminalidade, é que os malfeitores fossem detidos.

Chegamos aos 500 mil presos, o dobro das vagas. E ao método-holocausto de Pedrinhas - que, entre outros critérios, trucida quem chega por último. Enfim os próprios detentos se matam, às dezenas, sem participação dos policiais. Assim conseguimos ser alvo de ações da ONU e da OEA por violação aos Direitos Humanos.

Não somente pelas decapitações de Pedrinhas, no catastrófico Maranhão de Roseana Sarney, mas pela grave situação, por exemplo, no presídio central de Porto Alegre, no próspero Rio Grande do Sul, governado pelo ex-ministro da Justiça Tarso Genro. ”Sem que corações e mentes se mobilizem pela questão penitenciária”, como disse a socióloga Julita Lemgruber, continuaremos a estarrecer o mundo. É agora ou nunca.

Por: Mara Bergamaschi, jornalista e escritora. Blog do Noblat 

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada