Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

Blog Prontidão Total

Blog Prontidão Total

Este espaço é primeiramente dedicado a DEUS, a PÁTRIA, a FAMÍLIA e a LIBERDADE.

Vamos contar VERDADES e impedir que a esquerda, pela repetição exaustiva de uma mentira, transforme mentiras em VERDADES.

Escrevemos para dois leitores: “Ninguém” e “Todo Mundo” * BRASIL Acima de todos! DEUS Acima de tudo!

NOS VISITE!!! ENTRAR!!! CONTINUAR>>>


COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Comissão de OMISSÃO da Verdade apresenta mais um "torturador"

Ex-agente confessa torturas a presos políticos na ditadura militar

O policial Manoel Aurélio Lopes, que atuou no Dops e no Doi-Codi em São Paulo, é o segundo oficial a admitir abusos durante o regime militar

Segundo ele, presos políticos ‘ficavam nus em cima de latas de leite e, quando caíam, os agentes agiam’.

O ex-policial Manoel Aurélio Lopes, que trabalhou no Departamento de Ordem Política e Social (Dops) entre 1969 e 1972 e no Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna (Doi-Codi) entre 1972 e 1978, admitiu nesta terça-feira que houve tortura sistemática de presos políticos no Brasil durante o regime militar. 

O depoimento foi dado à Comissão da Verdade de São Paulo, por meio de convocação da Comissão Nacional da Verdade e, segundo especialistas, é de grande valor, uma vez que o ex-policial é o segundo agente da ditadura militar a admitir a tortura em depoimentos convocados pelo Estado brasileiro. [especialistas? especialistas em que? afinal qual importância tem o depoimento desse individuo? é mais um depoimento isolado, sem apoio em provas e que só tem valor na mente doentia e revanchista dessa corja que fazem parte dessas tais comissões da mentira.
Afinal, em qualquer organismo policial do mundo existiu, existe e sempre vai existir - por ser necessário a elucidação de muitos crimes - o recurso do interrogatório enérgico e que não é tortura nem pode ser confundido com tal prática.]

O primeiro foi o coronel Walter Jacarandá, quando este falou à Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, admitindo de que havia participado da tortura de presos no Doi-Codi do Rio.
Manoel Lopes admitiu ouvir gritos dos torturados nas dependências do Dops, em São Paulo, que "ficavam nus em cima de latas de leite e, quando caíam, os agentes agiam".
Quando os presos não aguentavam mais (os pés cortados pelas latas), caíam da lata e recebiam golpes — disse o ex-policial, que deixou escapar que tinha , como outros agentes , um codinome , no caso dele, de "Escrivão Pinheiro".

Manoel Lopes disse não lembrar as circunstâncias das mortes de oito militantes da Ação Libertadora Nacional (ALN), motivo pelo qual foi convocado pela comissão nacional a pedido da paulista. Mas, referindo-se aos militantes de esquerda sempre como "subversivos ", disse que ouviu gritos nas dependências do Dops em São Paulo, assim como confessou ter conhecimento da existência de instrumentos de tortura, como a chamada "cadeira do dragão", que tinha um “alto-falante tão alto que até os agentes ficavam tontos”.
Além disso, teceu elogios ao chefe do Dops na época, delegado Sergio Fleury, e o classificou como uma "pessoa antenada e enérgica, que resolvia as coisas rapidamente ".
— Foi uma fase que o Brasil viveu — afirmou Manoel Lopes, de 77 anos, que se disse “contente com a vida que teve até aqui “.

Lopes relatou que, nos porões do Dops, em São Paulo, havia uma sala onde os policiais treinavam tiro. — Minha perda auditiva deve ser por causa disso — relatou o policial, informação que , segundo o coordenador da comissão da verdade paulista, Ivan Seixas , nunca antes havia sido confirmada. — O barulho era enorme, depois uma grande multinacional forneceu tampões de ouvido para a gente — relatou o policial, que , ao ser transferido do Dops para o Doi-Codi, em 1972, relatou ter ganho, durante todos os anos em que esteve transferido (ele voltou ao Dops em 1978 onde ficou até 1983), “gratificações diretas em dinheiro, casquinhas” , pelas mãos do tesoureiro da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo .

Depois do depoimento, Lopes foi indagado pelo GLOBO se torturou alguém. Ele negou, mas disse ter assistido a várias. — Fui ver como era aquilo. Vi, assisti movido pela curiosidade. Mas fiquei decepcionado porque vi onde um ser humano era colocado (...). Saí dali pensando que, se um dia eu tivesse que pendurar um cara, se não daria para eu conseguir tirar o serviço (de outra maneira). Foi só quando fecharam o Dops que eu fui aprender a fazer polícia.— alegou ele, que não pensou em denunciar as más práticas na época. — Era uma fase que o Brasil viveu — repetiu. — Cada um fazia seu trabalho, não via de outra forma. Não quis identificar torturados e nem torturadores por não querer “prejudicar aquelas pessoas que trabalharam junto comigo”.


Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada