Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

Blog Prontidão Total

Blog Prontidão Total

Este espaço é primeiramente dedicado a DEUS, a PÁTRIA, a FAMÍLIA e a LIBERDADE.

Vamos contar VERDADES e impedir que a esquerda, pela repetição exaustiva de uma mentira, transforme mentiras em VERDADES.

Escrevemos para dois leitores: “Ninguém” e “Todo Mundo” * BRASIL Acima de todos! DEUS Acima de tudo!

NOS VISITE!!! ENTRAR!!! CONTINUAR>>>


COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Coronel PM de São Paulo - na reserva - tenta voltar à evidência com um discurso que muitos consideram "politicamente correto"

"A democracia requer um novo modelo de polícia"

Tenente-coronel da Polícia Militar de SP diz que a corporação precisa ser desmilitarizada para se adequar à Constituição brasileira

O tenente-coronel da Polícia Militar de São Paulo Adilson Paes de Souza, 49 anos, é um caso singular em uma corporação pouco afeita à autocrítica. Na reserva desde 2012, após 30 anos de serviço ativo, Paes de Souza é um raro defensor do fim da Polícia Militar nos moldes em que ela é concebida hoje. “A PM é uma instituição criada na ditadura militar, seguindo uma ótica que não faz mais sentido no ambiente democrático.” Autor do livro “O Guardião da Cidade – Reflexões sobre Casos de Violência Praticados por Policiais Militares” e mestre em direitos humanos pela USP, o tenente-coronel estudou um tema controverso no mundo policial: a violência desmedida praticada por PMs. Para entender as razões por trás do problema, Paes de Souza conversou com policiais militares condenados por participar de execuções sumárias. Nesta entrevista, ele explica por que acredita que não há mais espaço para uma polícia que vê parte da população como um inimigo a ser combatido. [cada um acredita no que quer; felizmente, os fatos mostram que o conhecido coronel Adilson está criticando uma instituição que está entre as mais eficientes do Brasil.
certamente o coronel Adilson inclui nessa parte da população os covardes que agrediram um coronel PM, nas recentes manifestações.
Vermes do tipo dos agressores não devem apenas ser visto como um "inimigo a ser combatido" e sim "um inimigo a ser neutralizado.]
“A inabilidade da própria polícia em lidar com as
manifestações fez com que o tema da desmilitarização
entrasse no rol de demandas das ruas”
 Que inabilidade?
A ação acima mostrada retrata eficiência no combate ao crime

ISTOÉ – Por que a Polícia Militar mata tanto no Brasil?
Paes de Souza –
As forças de segurança do Brasil são as que apresentam maior letalidade comparadas às de outros países com guerra declarada como o México, com a questão do narcotráfico, ou com países com guerra externa declarada, em determinados períodos com mais mortes. Eu, durante minha pesquisa, entrevistei policiais que cometeram execuções sumárias, foram expulsos da corporação e estão presos. Dos que entrevistei, todos achavam que estavam fazendo a coisa certa. Desenvolveram a conduta com o intuito de servir à sociedade. De maneira errada, nós sabemos. Tanto é que quando foram presos eles não entenderam, tiveram um choque. Mas há também um componente de hipermasculinidade, um assunto pouco estudado por aqui. Muitos se sentem super-homens e acham que podem fazer tudo. É uma questão complexa e pouco estudada no Brasil

ISTOÉ – Mata-se também por vaidade?
Paes de Souza –
Os PMs que eu entrevistei se sentiram injustiçados. Eles acreditavam que estavam defendendo a sociedade ao executar quem eles acreditavam que deveria ser executado. Alguns deles me disseram que sentiram prazer em matar. Eles matando estariam eliminando da sociedade uma pessoa que estava agredindo essa sociedade. Há também na fala deles a questão de ser aceito pelo grupo.  Um deles declarou: “Quando pratiquei homicídio, fiquei aliviado. Porque agora se alguém perguntasse para mim se eu tinha matado, minha resposta seria positiva, eu seria aceito pelo grupo.” Mas o que mais sobressaiu foi: “Nós desenvolvemos mecanismos próprios de aplicar a justiça porque não acreditamos no sistema.” Então há um pouco de tudo, mas o que mais sobressaiu foi o desejo de servir à sociedade, de proteger a sociedade daqueles que eles, por critérios próprios, julgavam maus
.
ISTOÉ – Seu sentimento é de que a corporação como um todo vê essa situação como normal?
Paes de Souza –
Creio que a corporação não vê isso como normal. Creio que a polícia é preocupada com esse ponto, mas também creio que ela não saiba como agir adequadamente para evitar que esses comportamentos eclodam. Sabe-se agir depois que eclode, que é instaurar inquérito, pedir prisão preventiva e prender em flagrante delito. Mas aí já aconteceu o fato. O dano já foi praticado. A morte já ocorreu, não tem mais como voltar atrás. Talvez faltem mecanismos e conhecimento para saber lidar com esse problema antes de eclodir. Mas é algo que incomoda a corporação, sim, posso garantir. Embora eu seja crítico da corporação, tenho que reconhecer: preocupa.
"A Rota, o Bope, enfim, as chamadas tropas de elite das
polícias militares, foram apropriados por um discurso político que
quer propor uma solução imediata para os problemas de segurança”
 
Coronel, a Rota, o Bope, o Choque que o senhor e outros tanto criticam, são as unidades que chegam e resolvem.
Precisam ter seus efetivos aumentados em todos os estados do Brasil

ISTOÉ – É possível conciliar o conceito de uma Polícia Militar, com atuação e repressão entre civis, com o conceito de um Estado democrático?
Paes de Souza –
Não, não é possível. É por isso que uma das pautas das manifestações é a desmilitarização da polícia. A atuação de alguns efetivos da PM, e eu não quero generalizar, fez incorporar ao rol de pleitos a desmilitarização exatamente pela inabilidade da própria polícia em lidar com uma manifestação. Se você pegar um vídeo com uma atuação do efetivo policial no controle de distúrbios civis, esse é o nome técnico, em 1968 e retirar a data e
. . . 

ISTOÉ – Essa lógica não mudou mesmo após o fim da ditadura?


Paes de Souza – Há relatos que indicam a existência de execuções sumárias pelas polícias militares. Se esses relatos forem comprovados, mostra-se que essa lógica se faz presente. Não faço afirmações peremptórias porque eu teria que ter provas para comprovar. Mas se os relatos de abusos se comprovarem, é mais uma prova de que a doutrina da Segurança Nacional está presente entre nós.

 . . . 

Ler a íntegra, clique aqui

Fonte: IstoÉ

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada