Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

IMPOSTÔMETRO

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Terrorista norueguês, Anders Breivik, autor de 77 mortes, condenado a 21 anos de prisão, ameaça greve de fome por novo Playstation



Condenado a 21 anos de prisão pela morte de 77 pessoas, Anders Breivik está cansado de jogar "Rayman Revolution" na cadeia
O terrorista norueguês Anders Breivik, responsável por um atentado a bomba e tiroteio em Oslo que matou 77 pessoas em julho de 2011, não está tendo uma vida fácil na prisão. Ao menos é o que ele diz em uma carta onde denuncia as condições no presídio e ameaça fazer uma greve de fome caso suas demandas não sejam atendidas.
O atirador norueguês Anders Breivik, responsável pela morte de 77 pessoas (Foto: Frank Augstein/AP)
A carta, divulgada nesta sexta-feira (14) pela agência de notícias France Press, mostra o que Breivik considera como "condições de tortura": ter que sentar em uma "dolorosa cadeira", em vez de uma poltrona, ter sua correspondência aberta pelos funcionários da prisão e não ter acesso a um computador.

Entre as suas demandas para não entrar em greve de fome, a mais curiosa diz respeito a um videogame. Ele exige que seu atual console, um Playstation 2 (PS2), seja substituído pela versão mais recente, o PS3. "Outros detentos têm acesso a jogos mais adultos, enquanto eu só tenho o direito de jogar jogos infantis e pouco interessantes. Um exemplo é "Rayman Revolution", game voltado para crianças de três anos", escreveu Breivik, que tem 35 anos. É incerto se Breivik sabe que há uma versão mais moderna do videogame, o PS4.

Seu principal argumento para ter as demandas atendidas é o risco de se transformar em um mártir. "Se eu morrer, todos os extremistas de direita da Europa saberão que eu fui torturado até a morte. Isso pode ter consequências" disse. Na carta, o norueguês se declara como um "prisioneiro político" e um "ativista dos direitos humanos". Segundo a agência AFP, a polícia da Noruega analisará os pedidos e só deverá dar uma resposta formal em cerca de uma semana.

A carta chega a ser cômica pelo absurdo das exigências; a íntegra pode ser lida em:


Fonte: France Press

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada