Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

Blog Prontidão Total

Blog Prontidão Total

Este espaço é primeiramente dedicado a DEUS, a PÁTRIA, a FAMÍLIA e a LIBERDADE.

Vamos contar VERDADES e impedir que a esquerda, pela repetição exaustiva de uma mentira, transforme mentiras em VERDADES.

Escrevemos para dois leitores: “Ninguém” e “Todo Mundo” * BRASIL Acima de todos! DEUS Acima de tudo!

NOS VISITE!!! ENTRAR!!! CONTINUAR>>>


COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

terça-feira, 15 de abril de 2014

Governo Dilm a prepara armadilha para o novo Presidente da República a ser empossado em 1º janeiro 2015 - Carnaval talvez seja extinto para segurar a inflação

A certeza da Dilma de que ela e o PT serão derrotados nas próximas eleições é tamanha que ela já prepara uma armadilha para o novo Governo Federal a ser empossado - a armadilha é dezenas de vezes pior do que qualquer coisa que possa ser chamada de HERANÇA MALDITA

Conta pendurada para 2015


Com os dois olhos na eleição, governo evita adotar ações impopulares e deixa para o próximo ano iniciativas inevitáveis que serão amargas para a população e o País 

IMAGEM PREJUDICADA
Em 2012, a presidenta Dilma Rousseff criou mecanismos para forçar a redução
da tarifa elétrica. Em pouco mais de um ano, a medida popular
se transformou em uma dor de cabeça para o governo

 Na tarde chuvosa do dia primeiro de janeiro de 2011, Dilma Rousseff recebeu de Luiz Inácio Lula da Silva a faixa presidencial e a administração de um país com economia estabilizada, inflação sob controle e uma Petrobras que lucrava R$ 35 bilhões ao ano. 

- Governo Dilma estuda não renovar a lei que garante reajuste real ao salário mínimo - alega ser inflacionário e aumentar o "rombo da previdência"

- aumento dos combustíveis ficará para janeiro 2015;


O vencedor das eleições de 2015 não terá o mesmo privilégio. A conta que vem para o sucessor de Dilma ou mesmo para ela enfrentar, caso seja reeleita, será salgada. Isso porque, de olho nas eleições, o governo adiou a adoção de medidas impopulares, mas que eram necessárias, ao conter artificialmente as tarifas de combustíveis e eletricidade e expandir subsídios. Por isso, a partir do próximo ano, serão inevitáveis para quem estiver governando o País iniciativas amargas para a população, como o aumento dos combustíveis e da conta de energia elétrica. E para evitar impacto forte sobre a inflação de 2015 serão necessárias medidas de contenção que geralmente afetam o consumo e a geração de empregos, além da política de reajuste do salário mínimo.
APAGÃO CARO - PREPARE O BOLSO
Depois das eleições, o consumidor deve esperar aumento de 15% a 20% na conta de luz

Em todo ano eleitoral costuma ocorrer o mesmo. Governantes, independentemente de partidos e ideologias, resistem a levar a cabo às vésperas da eleição iniciativas que possam desgastar sua imagem perante o eleitorado. Ocorre que muitos desses problemas que se acumularão para o próximo ano poderiam ter sido evitados, se não fossem equívocos gerenciais cometidos pelo governo. Em 2003, Dilma Rousseff era ministra de Minas e Energia e caiu nas graças do então presidente Lula ao reformar o sistema de distribuição elétrica, criando um arranjo com termelétricas para socorrer o abastecimento em época de seca.  

O plano de Dilma incluía a interligação das linhas de transmissão para deslocar energia de Estados que produziam muito para outros que estivessem deficientes. A ideia foi considerada genial, pois foi adotada como resposta do governo petista ao racionamento tucano de 2001. À época, os consumidores foram obrigados a reduzir o consumo por oito meses e, quando o fornecimento voltou ao normal, a tarifa foi reajustada. Assim, Dilma ganhou o status de grande gestora. Uma década depois, Dilma, sob o pretexto de inovar a gestão do setor, criou, em 2012, mecanismos para forçar a redução da tarifa elétrica. Em pouco mais de um ano, a medida popular se transformou em uma dor de cabeça para o governo. 

Nem todas as empresas concessionárias aderiram à proposição, feita por meio de medida provisória, e o governo terá de desembolsar R$ 20 bilhões para subsidiar as distribuidoras de energia elétrica que não conseguiram operar no mercado regulado pelo Estado. O governo jogou a toalha e admitiu que não poderá continuar com o prejuízo. Com isso, o aumento da tarifa será repassado ao consumidor. O governo ainda conseguiu empurrar o impacto da ação para 2015. Depois das eleições, o consumidor deve esperar aumento de 15% a 20% na conta de luz.

Os aumentos na conta de luz e na bomba de gasolina ficarão para 2015, mas nos últimos três meses as famílias não conseguiram encher os carrinhos nos supermercados e voltar para casa pagando a mesma conta. O aumento consecutivo no custo dos alimentos em 2014 alertou os analistas econômicos para o risco de a inflação bater no teto estabelecido pelo próprio governo. A equipe econômica argumenta – contra os que chama de “alarmistas” que o preço dos mantimentos subiu devido à mesma estiagem que colocou as termelétricas para operar. Os serviços, que também puxaram os índices, ficaram mais caros em março graças à grande demanda do turismo de Carnaval. Mas, para o consumidor, o trauma das máquinas de remarcar preços do início da década de 1990 ainda segue vivo na memória. O Planalto está preocupado. Inflação alta foi o que ajudou a puxar a queda de popularidade da presidenta na última pesquisa Datafolha. Aliados do senador Aécio Neves (PSDB-MG), adversário de Dilma na corrida presidencial, já pegam carona nos números do mercado para atacar o governo. “A inflação é resultante da péssima gerência dos gastos públicos e da perda de credibilidade do Brasil junto aos investidores internacionais”, afirma o senador Cyro Miranda (PSDB-GO).

Outra questão que o governo terá de enfrentar a partir do próximo ano é a política de reajuste do salário mínimo. Em 2011, o governo aprovou lei que garantia aumento real do salário, independentemente do patamar da inflação. A lei de reajuste é datada e precisa ser renovada em 2015. Analistas garantem que a medida ajuda a indexar os preços e contribui para a alta inflacionária. Agora, às vésperas da eleição, o governo precisa sinalizar se pretende ou não manter a política de recuperação do salário mínimo, mesmo se o preço a pagar for mais inflação.

O ano de 2015 promete ser de austeridade em todas as áreas. Na análise do cientista político Carlos Melo, Dilma Rousseff pegou o governo ao fim do ciclo de “16 anos exitosos” dos governos Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva. Os oito anos de FHC, pontua Melo, se destacaram por melhorias institucionais e Lula conseguiu promover transformações históricas na área social nos seus dois mandatos. Ao fim do ciclo, o Brasil vivenciou um “esgotamento dos mecanismos” que coroaram as administrações anteriores. 

Para dar sequência aos anos de ouro, Dilma teria de apelar para a política, reunir a classe política e a iniciativa privada em grandes agendas para investir nos gargalos estruturais que ainda travam o desenvolvimento do País. As medidas impopulares para 2015 são imprescindíveis, afirma o cientista político. Carlos Melo acredita que sairá na frente o candidato que tiver a coragem de dizer isso claramente à população, em vez de usar a criatividade para lançar subterfúgios de curto prazo. “É preciso inverter a lógica dos marqueteiros e falar claramente: temos esses problemas e vamos resolver assim. Mas somente um líder com credibilidade poderia conquistar a confiança da população para dizer que o esforço de 2015 garantirá uma vida melhor em 2018. Para isso, é preciso política. Os gerentes são fundamentais para qualquer governo, mas não o bastante”, afirmou.

 [até petista percebe que o preparado pela "doutora em nada" Dilma Rousseff é para quem pretende passar o governo para o pior inimigo.]

Fonte: Revista IstoÉ

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada