Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

Blog Prontidão Total

Blog Prontidão Total

Este espaço é primeiramente dedicado a DEUS, a PÁTRIA, a FAMÍLIA e a LIBERDADE.

Vamos contar VERDADES e impedir que a esquerda, pela repetição exaustiva de uma mentira, transforme mentiras em VERDADES.

Escrevemos para dois leitores: “Ninguém” e “Todo Mundo” * BRASIL Acima de todos! DEUS Acima de tudo!

NOS VISITE!!! ENTRAR!!! CONTINUAR>>>


COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

segunda-feira, 7 de abril de 2014

O adversário de Dilma



Nem Marina Silva, nem Aécio Neves, nem Eduardo Campos. O principal adversário da presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, é Luiz Inácio Lula da Silva por cinco vezes candidato a presidente, eleito em 2002, reeleito em 2006, e agora aspirante ao terceiro mandato. Não acredite se Lula voltar a dizer que não deseja subir outra vez a rampa do Palácio do Planalto. Simplesmente não acredite.

Dilma e Lula travam uma batalha de morte para Dilma e de adiamento de um sonho para Lula. Caso não concorra a um segundo mandato - ou concorra e acabe derrotada -, o mais provável é que Dilma saia de cena. Política não é a praia dela – pelo menos a política do “me empresta seu jatinho que eu lhe ajudo a fazer negócios com o governo”. Lula preferiu ser sucedido por Dilma ao imaginar que isso facilitaria sua volta. Afinal, ela lhe seria grata para sempre. Outro nome do PT que o sucedesse, talvez não.

Passados quatro anos, Dilma cederia o lugar a Lula sem oferecer resistência. Quem mais do PT seria capaz de se comportar assim? É o que Lula deve ter pensado. De resto, Dilma nunca foi do PT. Foi do PDT de Leonel Brizola. Por conveniência, filiou-se ao PT. Mas nunca se reconheceu como uma petista de verdade. Nem o PT a reconhece como tal. Ocorre que Dilma gostou do poder. E quer provar que não é um poste que Lula acende ou apaga ao seu gosto. Compreensível, pois não. Daí... Daí a batalha surda que travam. Por ora essa é a batalha que importa.

Marina como vice de Eduardo, Aécio e Eduardo ainda não entraram no ringue. Preparam-se para entrar. Dilma está no meio do ringue. E defende-se sozinha. Lula? Só finge que a defende. O PT? Nem isso. Os demais partidos torcem pelo fim do seu governo. Com poucos telefonemas, se quisesse, Lula enterraria de vez o movimento “Volta, Lula”, que recrudescerá depois da queda de Dilma na mais recente pesquisa Datafolha sobre intenção de voto.

Ela caiu seis pontos percentuais, embora ainda se reeleja no primeiro turno. O mais preocupante para Dilma: aumentou a vontade dos brasileiros por mudanças. Pouco mais de 70% querem que o próximo presidente aja de maneira diferente da maneira de Dilma. Em cerca de um ano cresceu de 34% para 63% o percentual dos que dizem que Dilma faz pelo país menos do que eles esperavam. O fantasma do desemprego assombra mais gente. 

Assim como o pessimismo com o poder de compra. O enfraquecimento de Dilma favorece a volta de Lula, mas um enfraquecimento em excesso atrapalha ou inviabiliza.
Quer dizer então que Dilma não foi melhor administradora do que ele? Lula garantiu que ela seria. A culpa é de quem? De Dilma que jamais cogitou de ser candidata a presidente? Ou de Lula que cogitou por ela?  Termina em 30 de junho o prazo para que os partidos indiquem seus candidatos às eleições deste ano. Se até lá se convencer de que será derrotada, Dilma abdicará da reeleição. Lula não poderá esperar tanto tempo. A costura das alianças políticas nos Estados está avançada ou quase pronta. Lula teria dificuldades para desmanchá-la.

Enquanto isso... A revelação de que a Petrobras fez negócios podres atinge os dois governos de Lula. O PT sofre com a revelação de que um dos seus dirigentes foi parceiro de um doleiro preso. E não falta munição contra Lula e o PT. Dilma nada tem a ver com isso - nada. E a tudo assiste desolada...

Lula, o retorno
Era só o que faltava. Queriam o quê? Que Lula admitisse desde já sua intenção de governar o país pela terceira vez – a partir de 2011 ou de 2015? Ou que calasse, conivente, quando deputados amigos dele prometem apresentar emenda à Constituição garantindo ao presidente da República o direito de se reeleger mais de uma vez? Lula fez o certo. E o que foi? Repetiu como se cumprisse um dever o que parece ter decorado: “Discutir 2010 agora é um atraso. Acho que essa discussão não cabe. Acho que o Brasil não precisa disso. A alternância de poder é uma coisa extremamente importante para o fortalecimento da democracia". E ainda acrescentou, modesto e realista: “Esse negócio de achar que tem pessoas que são imprescindíveis e insubstituíveis não existe na política".

No início dos anos 60 do século passado, em meio à campanha para presidente da República pela UDN, Jânio Quadros renunciou à candidatura. Fê-lo para se fortalecer e continuar candidato. Deu certo. Uma vez eleito, renunciou à presidência depois de governar por seis meses. Fê-lo com a pretensão de voltar ao cargo munido de poderes excepcionais e com um Congresso submisso. Aí deu errado. Era um pouco demais.  

Quando Itamar Franco escolheu Fernando Henrique Cardoso para candidato à sua sucessão, obteve dele a garantia de que jamais mexeria um dedo para se reeleger. Mexeu os cinco. O Congresso aprovou emenda permitindo sua reeleição. Fernando Henrique ganhou o segundo mandato com a promessa de criar mais empregos e de manter o real valorizado. Desvalorizou-o em seguida. Em 2004, José Serra afirmou por escrito que não largaria pelo meio o mandato de prefeito de São Paulo para ser candidato ao governo. Registrou o compromisso em cartório. Elegeu-se prefeito. E depois largou o mandato pelo meio para se eleger governador. 

Está para nascer o político que, podendo conservar o poder, abre mão dele. De resto, a eleição de Lula serviu para mostrar que ele é um político igual aos outros. Há quase dois meses, em conversa com o ministro Mares Guia, das Relações Institucionais, Serra mandou um recado para Lula: topa apoiar o fim da reeleição com a ampliação para cinco anos do mandato presidencial. Comentou que não fará uma campanha com críticas ao governo caso venha a ser o candidato do PSDB a presidente da República. “Farei uma campanha voltada para o futuro”, antecipou.

O governador mineiro Aécio Neves não perde uma chance alertar seus colegas de PSDB: “Temos que vencer em 2010 porque Lula voltará como candidato na eleição seguinte”. A exemplo de Serra, ele se conforma com o fim da reeleição e o mandato presidencial de cinco anos. Seria o preço a ser pago para exorcizar o fantasma do terceiro mandato consecutivo de Lula. As últimas cinco eleições presidenciais ocorreram em torno de Lula. Nada indica que será diferente com as duas próximas. Ou três. Ou mais. [Lula não é invencível, Collor o venceu, em 89. FHC venceu o petista por duas vezes, ambas no primeiro turno.
Lula só conseguiu vencer em 2002 e 2006 por incompetência da oposição que optou por dividir votos. Em 2010, Lula patrocinou a candidatura do ‘poste’ Dilma, que  ganhou no segundo turno, favorecida pela notória incompetência do PSDB.]

Fonte: Blog do Noblat

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada