Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

Blog Prontidão Total

Blog Prontidão Total

Este espaço é primeiramente dedicado a DEUS, a PÁTRIA, a FAMÍLIA e a LIBERDADE.

Vamos contar VERDADES e impedir que a esquerda, pela repetição exaustiva de uma mentira, transforme mentiras em VERDADES.

Escrevemos para dois leitores: “Ninguém” e “Todo Mundo” * BRASIL Acima de todos! DEUS Acima de tudo!

NOS VISITE!!! ENTRAR!!! CONTINUAR>>>


COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Pátria e morte - mais de 50.000 mães também passarão o Dia das Mães e os demais dias no vazio da perda, por assassinato, de um filho


Mãe de Douglas passará o Dia das Mães e os demais dias de sua vida no vazio do único filho homem

Transcorreu esta semana o Dia da Terra (22 de abril), surgido nos Estados Unidos como um movimento universitário dos idos de 1970 e oficializado pela ONU em 2009 como Dia Internacional da Mãe Terra. Nada a comemorar por aqui. Um pioneiro levantamento sobre países com mais altos índices de assassinatos de defensores do meio ambiente lista o Brasil disparado em primeiro lugar. O estudo foi realizado pela organização britânica Global Witness (Testemunha Global), que há duas décadas relaciona recursos naturais, conflitos e corrupção como base para suas análises.

A pesquisa cruzou dados de 35 países e computou um total de 908 homicídios contra ambientalistas em 2012, qualificando a maioria das vítimas como “gente comum, em luta contra mineradoras, madeireiras ou donos de terras”. Mais da metade (448) foram assassinados no Brasil, e menos de 10% desses casos chegaram a alguma instância jurídica. Pior: apenas 1% resultaram em condenação. [para um país em que mais de 50.000 pessoas são assassinadas por ano, 448 representa pouco, muito pouco e certamente nesse número está incluído quantidade apreciável de invasores de terra, individuos que com sua ação criminosa e de desrespeito ao sagrado e constitucional direito à propriedade, agem de forma violenta durante as invasões, o que suscita a justa reação, usando a força necessária, dos proprietários.]

Na semana anterior se comemorou a Páscoa. Num pedacinho de Brasil à beira da BR-135, contudo, a rotina não foi minimamente alterada pela festança cristã. Nada interrompeu a barbárie no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, que poucos meses antes assombrara o país e gerara múltiplos selfies de autoridades de ar grave com promessas de mudança. Só que não foi notada. Hoje, mortes em Pedrinhas soam como ocorrências inevitáveis num país anestesiado pelo surto anterior de indignação nacional.

A média de dois pesos mortos por mês numa mesma penitenciária, porém, persiste. [presos que promovem acertos de contas entre grupos rivais e se matam.] Já no segundo dia de 2014 o detento Josinaldo Pereira Lindoso foi encontrado estrangulado; no mesmo dia, numa outra cela, Sildener Pinheiro Martins, de 19 anos e ainda sem condenação, foi morto a “chuçadas” (perfurações com facas artesanais); por ordem cronológica, seguiram-se os enforcamentos de Jô de Souza Nojosa (21 anos, também ainda sem condenação) e Pedro Elias Martins Viegas; outra “chuçada” deixou João Altair de Oliveira Silva, de 18 anos, estirado no chão de um corredor.  Completam a taxa letal do trimestre os enforcamentos, num domingão, de Wesley Souza Pereira e de André Valber Costa Mendes — este último abatido no mesmo dia em que deu entrada no Centro de Detenção Provisória. [entre colocar um guarda vigiando cada cela ou deixar que os próprios marginais promovam uma limpeza, a Sociedade opta maciçamente pela segunda opção.]

O secretário de Justiça e Administração Penitenciária do Maranhão, Sebastião Uchoa, continua o mesmo. Sobre os motins e fugas de 17 detentos só este ano, garantiu: “As circunstâncias serão apuradas.”  A governadora Roseane Sarney também dispensa discurso novo, já que está tudo igual mesmo. “Não fugirei à minha responsabilidade”, declarou no fim de 2013, quando a realidade no abatedouro Pedrinhas foi filmada e estarreceu o país.

Passados o Dia da Terra e a Páscoa, vem agora o Dia das Mães, no domingo 11 de maio. Por cruel antecipação, essa data de comemoração essencialmente familiar já tem quem melhor retrata a mãe brasileira de 2014. Ela tem rosto marcante, uma fala forte, clara, objetiva. Determinada, não se entrega à dor. Chama atenção neste Brasil com medo de si próprio. Essa mulher é Maria de Fátima da Silva, mãe de Douglas Pereira, o dançarino DG, encontrado morto com um tiro nas costas no quintal de uma creche do Morro do Pavão-Pavãozinho, na Zona Sul do Rio.

Auxiliar de enfermagem que já trabalhou em Portugal e hoje mora em Copacabana, ela passará o Dia das Mães e os demais dias de sua vida no vazio do único filho homem. Restam-lhe duas filhas adultas e uma combatividade madura para encarar qualquer autoridade evasiva. Certa de que Douglas foi torturado e morto por policiais militares da UPP do Pavão-Pavãozinho, a mãe de DG investiga qualquer migalha de informação capaz de comprovar sua certeza e apela a testemunhas oculares para saírem do anonimato. [parece, salvo alguma informação que só Maria de Fátima possui e  mesmo assim não pode provar, suas investigações e apelos não estão surtindo resultado.
Apelar procurando algo que não existe, procurando testemunhas de algo que não ocorreu, costuma não dar resultado.]

Desconsidera qualquer hipótese de o episódio não ser tão cristalino assim e ter conotações mais complexas. Seu veredicto sobre a politica de pacificação dos morros, peça fundamental da gestão do governador Sergio Cabral, é ácida: “As UPPs são uma farsa”, “A UPP tem que mudar, não pode viver debaixo de pau”, “A comunidade tem mais medo de policial do que de bandido”. [Maria de Fátima acerta quando diz que a UPP é uma farsa, é a única verdade que ela dispõe - pelo menos até agora.
A UPP é uma farsa por várias razões e duas merecem destaque:
- a ocupação de uma favela não pode ocorrer e/ou ser mantida dominada pela filosofia de espantar bandidos. A alternativa certa que funciona é POLÍCIA TEM QUE PRENDER e/ou MATAR BANDIDOS, NUNCA SE LIMITAR A ESPANTÁ-LOS;
- as ocupações precisam ser realizadas de surpresa, antecedidas de cerco e revista geral (cerco e asfixia) - nos moradores e residências - e deve ser concedido ao POLICIAL o mesmo direito que é concedido aos bandidos: o policial é inocente até que se prove o contrário.]

Em graus variados e certamente em outros termos, é provável que as próprias autoridades também já perceberam a atual política de combate à criminalidade, com 37 UPPs instaladas, está desgastada e em crise. Ou como declarou ao GLOBO o sociólogo Ignácio Cano, do Laboratório de Análise da Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), “a sensação é que há muito tempo o projeto está no piloto automático”.

Não é de hoje que estatísticas apontam para o altíssimo grau de violência da polícia no Brasil. Dados comparativos só aumentam a vergonha nacional. Em 2012, por exemplo, 351 pessoas foram mortas pela polícia na cidade de São Paulo. No mesmo ano, a polícia de Nova York, que poucos americanos definiriam como moderada, atirou em 24 cidadãos e matou nove.
Tampouco surpreende o alto índice de desconfiança (68%) da população brasileira na polícia do país. Nos Estados Unidos a desconfiança não ultrapassa os 12%. [detalhe que precisa ser citado: nos Estados Unidos o fato do bandido não ser morto durante a prisão não significa que ele não seja legalmente executado, já que a pena de morte continua sendo aplicada naquele País.]

Mas é pena que não se conheça também o lado reverso da relação entre as forças de ordem e a população. A saber: qual o grau de desconfiança da polícia brasileira em relação aos cidadãos do país? E em relação aos pardos, pobres e negros? E em relação aos moradores de bairros marginalizados? Um levantamento focado no retrato que as forças policiais fazem de nós (e delas mesmas) poderia ajudar a começar a arrancar o Brasil da 18ª colocação entre os países mais violentos do mundo e de ter uma polícia que mata cinco cidadãos a cada dia do ano. [considerando que no Brasil ocorrem, diariamente, 140 assassinatos, somos forçados a reconhecer que para uma polícia que enfrenta centenas de bandidos por esse imenso Brasil, muitos deles armados com armamento de guerra, 5 mortes por dia não chega a ser um número aterrorizante, tendo em conta que 135 são mortos diariamente sem atuação/participação da polícia.]

Por: Dorrit Harazim é jornalista.

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada