Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

Blog Prontidão Total

Blog Prontidão Total

Este espaço é primeiramente dedicado a DEUS, a PÁTRIA, a FAMÍLIA e a LIBERDADE.

Vamos contar VERDADES e impedir que a esquerda, pela repetição exaustiva de uma mentira, transforme mentiras em VERDADES.

Escrevemos para dois leitores: “Ninguém” e “Todo Mundo” * BRASIL Acima de todos! DEUS Acima de tudo!

NOS VISITE!!! ENTRAR!!! CONTINUAR>>>


COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Uma Força Federal ou uma Guarda Pretoriana a serviço do presidente da República?



Mais uma vez assistimos à convocação das nossas Forças Armadas para dar conta de problemas de segurança pública que a desgastada Polícia Militar do Rio de Janeiro não consegue resolver. É necessário reconhecer que temos um problema estrutural na nossa maneira de garantir a boa convivência no país - e não só no Rio de Janeiro.   
A repetição dessa situação mostra que, na verdade, ainda não encontramos a solução para o problema da segurança pública. O que mais salta à vista é a inexistência de uma força policial federal, que deva obediência ao Presidente da República. A nossa Polícia Federal é apenas investigativa. Caso ocorram situações que a Polícia Militar estadual se revele incapaz de resolver, chamamos as Forças Armadas.
Ora, essas situações são frequentes na mesma proporção em que a Polícia Militar estadual seja débil, ou mal treinada, ou não tenha suficiente organização para atuar eficazmente, ou tenha perdido o respeito do povo. Não é preciso dizer que em algumas delas há níveis elevados de corrupção e muito pouco preparo no que concerne ao respeito aos direitos humanos. Então as Forças Armadas são chamadas pelo governo do Estado, em sintonia com o Governo Federal, para cumprir uma missão que, a rigor, não é delas e não corresponde à sua verdadeira razão de ser, que é a defesa da nossa soberania. A elas cabe também a garantia da lei e da ordem em última instância, mas convenhamos que tem havido um número alto de "últimas instâncias".

E convenhamos também que não é desejável envolver as nossas Forças Armadas em situações de conflito em zonas urbanas de grande densidade populacional, assim como não é recomendável expô-las às mesmas tentações de corrupção que contribuem tão poderosamente para o desprestígio de tantas polícias estaduais. As debilidades da Força Nacional, que consiste em colocar em ação efetivos de diferentes polícias estaduais, com diferentes graus de treinamento, sem unidade de doutrina, com pouco tempo para adestrar-se e com deslocamentos caros e demorados, são claras e conhecidas. Tanto é assim que, mais uma vez, ela não foi chamada a atuar no Rio de Janeiro, e sim, em seu lugar, foram chamadas as Forças Armadas. Parece-me claro que o Governo Federal precisa ter uma força policial sob o seu comando e que Parece-me claro que o Governo Federal precisa ter uma força policial sob o essa força não seja a mesma que deve defender o povo brasileiro em seu conjunto contra ameaças externas. Estou certo de que isso corresponde ao sentimento das nossas próprias Forças Armadas.

Essa Força Federal deve ter a mesma disciplina, lealdade e correção das nossas Forças Armadas. Deve ser robusta, bem adestrada e incorruptível. Sua missão maior é a de reconstruir uma relação de confiança mútua entre a polícia e o povo; entre o policial e o cidadão. Deve ser respeitável e fazer-se respeitar. Deve ter a seu cargo a defesa civil, em caso de catástrofes e calamidades. E deve obedecer a regras de engajamento inteiramente compatíveis com o respeito aos direitos humanos e à dignidade da pessoa. Essas regras devem ser claras e democraticamente estabelecidas.

Como formar essa Força? Abrindo um voluntariado para os integrantes das Forças Armadas que desejem realizar dentro do país o que suas instituições de origem fazem externamente: Proteger o povo brasileiro e defender a sua segurança. Assim teremos uma Força imediatamente pronta, com unidade de comando e praticamente sem custos em termos de pessoal e material, com o aproveitamento de quarteis já existentes. [uma Força Federal sob o comando exclusivo do presidente da República poderá ser facilmente desvirtuada e em vez de ficar ao serviço do Estado será utilizada para os interesses do governo federal – se essa proposta absurda prosperar e mesmo se concretizar, estará sendo implantado no Brasil as milícias bolivarianas que já existem na Venezuela e são o SONHO DE CONSUMO do Foro de São Paulo.
Um ponto suscita uma interrogação: o embaixador aposentado e ex-ministro da Defesa – funções que não o credenciam a expert em segurança pública ao ponto de propor a criação de uma milícia a serviço do partido que for governo -  alega que a constituição dessa “força policial federal” será praticamente sem custos e que haverá o aproveitamento dos quartéis existentes.

Considerando que as Forças Auxiliares ocupam seus quartéis – um ou outro foi desativado mas em número mínimo e inadequado para a tal força policial federal do Viegas – e as FF AA também são aquarteladas, valendo para elas a premissa da existência de alguns quartéis desativados e que são em número insuficiente para as necessidades da sugerida força policial federal, se impõe a pergunta:
- quais quartéis existentes serão ocupados pela força policial federal e as forças neles aquarteladas irão para onde?  serão desmobilizadas? dispensadas? 
A proposta do ex-ministro da Defesa camufla a idéia da substituição das Forças Singulares que estão a serviço da Pátria e da necessária defesa da nossa soberania, por forças policiais, sob o comando do governo federal e, por extensão, do partido que for governo.

Parece óbvio, por  demais,  que a proposta busca reduzir os efetivos das Forças Armadas em consonância com os antipatrióticos objetivos do Foro de São Paulo e deve ser sepultada – já que não pudemos sepultar o seu autor.] 

É claro que a renovação paulatina da Força Federal deve dar-se através de concurso público anual aberto a toda a sociedade civil para o provimento dos cargos e funções iniciais de uma carreira baseada no mérito. Assim teremos também Forças Armadas mais enxutas e profissionais, dotadas de equipamentos modernos e de grande mobilidade tática e estratégica, aptas a defender a nossa soberania e a participar com brilho dos esforços internacionais em prol da paz. [buscando convencer eventuais incautos de que as Forças Armadas serão beneficiadas, Viegas fala de Forças Armadas mais enxutas e profissionais, com equipamentos modernos e  grande mobilidade tática e estratégica.

A prosperar a malfadada tese em foco, a única coisa garantida será a existência de Forças Armadas enxutas (efetivo mínimo, mal treinado e não profissional) com equipamentos obsoletos e mobilidade mínima.]

Por: José Viegas Filho, embaixador aposentado, foi ministro da Defesa


Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada