Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Oposição, péssima de vice:Eduardo Campos, com Marina Silva = péssima opção - Aécio Campos com o ex-terrorista Aloysio Nunes consegue piorar o impiorável

‘Mateus’ na ditadura, Aloysio Nunes atuou com Marighella e considera luta armada um erro

Senador tucano foi anistiado em 2006 e é contra revisão da Lei de Anistia, que permitiu seu retorno ao Brasil

[Dilma, vamos trocar os vices? te damos dois - Marina e Silva e Aloysio Nunes (ex-terrorista igual você) e você nos dá o Michel Temer.

O que complica é que somos NÓS contra Eles.

As FORÇAS DO BEM representadas por NÓS e Eles = FORÇAS DO MAL = o DIABO = representado pelo PT e esquerdas.

Derrotá-los vale qualquer preço. O que inclui um terrorista na chapa da Oposição, disputando a vice-presidência.]

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), indicado vice na chapa de Aécio Neves (PSDB), atuou ao lado de Carlos Marighella, fundador do grupo armado Ação Libertadora Nacional (ALN) na ditadura. Nunes pegou em armas e usou o codinome Mateus nos anos de chumbo. Foi preso algumas vezes, mas nunca torturado. Deixou o Brasil no autoexílio para a França, em 1967, antes do AI-5, e obteve a condição de anistiado político em 2006, num julgamento da Comissão de Anistia, recebendo prestação única no valor de R$ 100 mil. O valor foi uma reparação referente aos 15 anos, 7 meses e 22 dias de perseguição sofrida, entre 1966 a 1979. 

Teve também direito de voltar à faculdade e concluir curso de Ciências Sociais. Na certidão da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) de Aloysio - um resumo da documentação dos órgãos da ditadura nos arquivos sobre aquela pessoa - consta que o senador fez parte do Grupo Tático Armado (GTA) da "organização subversivo-terrorista" Aliança Libertadora Nacional (ALN). - Se tivesse ficado no Brasil, teriam me matado. Era muito visado - disse o senador ao GLOBO, numa entrevista em outubro de 2011. - No GTA, era operário mesmo - diz ele, numa referência ao trabalho pesado que executava. Seu nome estava espalhado em cartazes com os dizeres "Terroristas assassinos".

O senador tucano não se arrepende da luta do passado, mas disse, em entrevista ao GLOBO, que a luta armada foi um equívoco. - Participei de ações armadas. Mas não quero bancar herói. Estávamos profundamente equivocados. O que derrubou a ditadura foi a luta de massas, a luta democrática. Mas o que está feito, está feito. Não me arrependo - afirmou.

Durante o regime militar, foi indiciado várias vezes por atos subversivos e, em 1975, condenado a três anos de cadeia e dez anos de suspensão dos direitos políticos. Só retornou ao Brasil com a Lei de Anistia, em 1979. Há três anos, Aloysio Nunes foi o relator no Senado do projeto que criou a Comissão Nacional da Verdade. Ele defende a manutenção da Lei de Anistia. Declarou não ser a favor de punições para antigos agentes do Estado que cometeram violações na ditadura. - Para punir, tem que se mudar a Lei de Anistia ou acionar o Poder Judiciário. Não deve ser mexida a Lei de Anistia. Ela foi base do processo de redemocratização, referendada e ampliada na convocação da Constituição. Se dizia que foi aprovada num Congresso manietado e não representativo. Não foi. Por ela, pude voltar ao país. Tenho outra visão - disse na entrevista ao GLOBO.

Na década de 80, já reeleito deputado federal pelo PMDB, respondeu a um processo no Superior Tribunal Militar (STM) por ter, em 1982, num comício em São Paulo, “incitado à subversão da ordem, à animosidade entre as Forças Armadas e instituições civis, por propalar fatos que sabia inverídicos para denegrir a imagem das instituições militares e ofender a honra do sr. Presidente da República (João Figueiredo)”. Foi absolvido em abril de 1986.

Fonte: O Globo

Jornal alemão aponta diversos motivos para o Brasil não ser campeão da COPA FIFA 2014

Jornal aponta  razões para o Brasil não ser campeão da Copa

Publicação lista defeitos na equipe comandada por Luiz Felipe Scolari
 1- Dependência de Neymar
1- O jornal alemão Bild enumerou motivos para o Brasil que vão levar o Brasil a fracassar na Copa do Mundo. O primeiro deles é que o time precisa ser formada por mais jogadores com poder de decisão além de Neymar. 
[convenhamos que depender do cai-cai Neymar não é boa coisa, nem para time de peladas.]

Otimismo com a Alemanha


2- O segundo motivo é que a Alemanha será campeã e, portanto, vai eliminar o Brasil na semifinal. Isso claro se o time de Felipão chegar lá.
 
3- Sorte nos pênaltis

3- O Bild diz que o Brasil não terá tanta sorte novamente quanto teve na disputa de pênaltis contra o Chile. 
[a Colômbia despachará o time do Scolari nos 90 minutos, assim, os pênaltis não serão necessários, mas se forem as traves não estarão tão presentes quanto estiveram na caso do Chile.
Detalhe: Colômbia já marca os três primeiros e o Brasil perderá os dois primeiros.
RESULTADO FINAL: 5 a 3 para o BRASIL.]



O quarto motivo é Hulk. Segundo o Bild, o atacante joga como um personagem de desenho animado 
[ia esquecendo: o Marcelo, autor do primeiro gol contra da Copa FIFA 2014, quer ser o artilheiro dos gols contra e vai conseguir o feito, será autor de mais um gol contra o Brasil na partida que vai eliminar o timeco que tem pretensões a ser a Seleção brasileira.]

Júlio César defende pênalti



5- Nunca uma equipe que foi campeã precisou dos pênaltis para avançar às quartas
Júlio César ingenuamente pensa que se livrou do trauma de 2010, quando no jogo contra a Colômbia ele terá o retorno daquele trauma que se somará ao de 2014
Fonte: O Estado de São Paulo

  

Arruda é lançado candidato ao governo do DF ao lado de Gim Argello, Luiz Estevão e família Roriz - Tudo é válido para eliminar, neutralizar, a corja vermelha

Na convenção, o ex-governador pediu votos para o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves
Depois de ter recebido uma decisão favorável do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que viabilizou sua candidatura, o ex-governador José Roberto Arruda (PR) foi oficializado neste domingo candidato ao governo do Distrito Federal. A chapa inclui o líder do PTB no Senado, Gim Argello (DF), que não conseguiu emplacar seu nome para o Tribunal de Contas da União (TCU) e agora disputa mais uma vez o Senado, e a família do ex-governador Joaquim Roriz, por meio da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF). Arruda deixou o governo do Distrito Federal em 2010, depois do chamado escândalo do mensalão do DEM.

Arruda foi condenado, em primeira instância, por improbidade administrativa. O caso subiu ao Tribunal de Justiça. No último dia 24, o ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça, decidiu suspender o andamento da ação civil de improbidade administrativa contra o ex-governador, justamente pelo caso do mensalão do DEM. Com a decisão liminar do ministro do STF, ficou suspenso o julgamento de um recurso no TJ do DF, que deveria ter ocorrido no dia 25. - Fui cauteloso, respeitei o luto, me calei durante quatro anos. Esperei a data correta para que tivesse plenas condições de disputar a eleição. Vou atrás do julgamento mais importante: que é o julgamento do povo. Vou atrás agora do julgamento da população - disse Arruda, afirmando que a única coisa "a temer é a opinião da população".

Na convenção, Arruda ainda recebeu o apoio do ex-senador Luiz Estevão, hoje no PRTB, tendo como partidos aliados formalmente o PR, PTB, PMN e DEM. - Confiei na Justiça do meu país. Tenho algo engasgado aqui, há quatro anos. E há quatro anos, fui tirado do governo, fui preso, humilhado, execrado pela opinião pública. E tudo isso aconteceu quando vivíamos o melhor momento do nosso governo. As minhas primeiras palavras são para agradecer a Deus pela chance que ele está me dando de estar aqui novamente. E meus agradecimentos, nestes quatro anos de exílio, sofrimento, humilhações e saudades, àqueles que não arredaram o pé - disse Arruda, em discurso.

Com a convenção do atual governador Agnelo Queiroz (PT) acontecendo a poucos quilômetros, Arruda atacou o PT: - Brasília talvez vive hoje os piores quatro anos de sua História. Essa eleição vai ser como disputar a Copa do Mundo em casa: muita cobrança, muita dificuldade. Deixa o PT para o lado de lá; o que não for PT, vem com a gente governar. Quero resgatar Brasília: tirar os impostores que saqueiam e comprometem o seu futuro. [um pequeno lembrete sobre a eficiente política de INsegurança Pública do PT: neste final de semana ocorreram 15 assassinatos no Distrito Federal = um homicídio a cada três horas.
A preocupação do incomPeTente governador AgnUlo Queiroz é só a de mostrar segurança para a realização da Copa Fifa 2014 = mais conhecida como a Copa da petralhada, ou Copa da Vergonha ou Copa do Fracasso.
O que a corja petista pretende, Agnulo um dos que fica à frente, é que o 'poste', a ''criatura' Dilma seja reeleita.
Uma coisa é certa: se ela tiver coragem, altivez, dignidade - com ou sem a presença do seu 'criador' Lula - comparecer ao Maracanã no próximo dia 13 para entregar a Taça de Campeão da Copa do Mundo Fifa 2014 a um país estrangeiro (o timeco que o Scolari dirige será detonado no próximo dia quatro) certamente ela vai ser RE, mas não é o RE de reeleita e sim o RE de REVAIADA, REXINGADA, REESCULHAMBADA.
As forças de segurança do Distrito Federal NÃO CUIDAM MAIS DA SEGURANÇA PÚBLICA e sim de mostrar que existe SEGURANÇA EM BRASÍLIA NOS JOGOS DA COPA - até os turistas começam a sentir algo estranho em Brasília, ou mesmo no Brasil, mais policiais do que POVO.]
Em seguida, Arruda, que já foi líder do PSDB no Senado, pediu votos para o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves. - Meu voto é para o Aécio. Para resgatar a Presidência da República, é Aécio Neves! - disse Arruda, sendo aplaudido.

Arruda ainda fez uma homenagem a Joaquim Roriz. - Roriz é o líder da sabedoria e da experiência, e só por ele estamos todos unidos aqui, hoje.

Sobre sua saída do governo, Arruda disse que foi vítima de um "golpe" e que juntou documentos para provar que o vídeo foi editado. Em 2010, o escândalo que tirou Arruda do governo surgiu depois da divulgação de um vídeo onde Jaqueline Roriz aparece junto com o marido, Manoel Neto, recebendo R$ 50 mil das mãos do ex-secretário de Relações Institucionais do DF, Durval Barbosa. Ela ainda reclama que o valor está abaixo do combinado.

O vídeo foi gravado na campanha eleitoral de 2006. O esquema do mensalão do DEM foi desmantelado pela operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, e resultou no afastamento de Arruda. - Com paciência, juntei documentos nesses quatro anos e posso provar hoje minha inocência. Foram usados recursos adicionais ardilosos e covardes, editando fatos e preparando o golpe que nos tirou do governo.

Depois da convenção, em entrevista, Arruda disse que agora tá pronto para o julgamento do povo. Perguntado se tinham algum arrependido, disse apenas que a vida "é um aprendizado" constante. - Só tinha duas alternativas: ou me esconder e fugir, ou botar a cara, dar as explicações que tenho a obrigação de dar à toda sociedade. A vida é uma constante evolução, cada momento da vida deixa um aprendizado. Tenho minha consciência tranquila. Se outras pessoas mentem para virar heróis, prefiro ser humano e reconhecer as mudanças de rumo que devem ser feitas para que a gente possa se aprimorar como ser humano. Fui cauteloso, respeitei o luto, me calei durante quatro anos. Esperei a data correta para que tivesse plenas condições de disputar a eleição. Vou atrás do julgamento mais importante: que é o julgamento do povo.

Vários discursos lembravam volta de Arruda. - Arruda é aquele que deixou saudades, que foi tirado de uma maneira covarde de lá e está voltando nos braços do povo - disse Gim Argello, cuja suplente na sua chapa é Weslian Roriz, mulher de Roriz. - Há 15 anos me expulsaram da vida pública e tentaram me retirar da política. Há oito anos, foi Roriz. E, há quatro anos, foi Arruda. Mas estamos aqui hoje, estamos de volta! - resumiu Luiz Estevão. - Estamos unidos de novo para tirar a corja vermelha - disse Jaqueline Roriz.

Roriz não foi, porque se prepara para um transplante de rim. A convenção foi no Serejinho, ao lado do estádio Serejão, em Taguatinga. Segundo organizadores, havia 3 mil pessoas dentro e mais 6 mil do lado de fora.

Ficha-suja
O ex-governador José Roberto Arruda já se envolveu em dois escândalos em sua vida política: o da violação do painel do Senado em 2000 e o chamado escândalo do DEM. Em 11 de fevereiro de 2010, Arruda foi o primeiro governador a ser preso. Ele ficou na cadeia por dois meses, de 11 de fevereiro a 12 de abril de 2010. O escândalo do DEM surgiu em novembro de 2009, com as investigações da Polícia Federal por meio da Operação Caixa de Pandora, baseadas em depoimentos de Durval Barbosa, então braço direito de Arruda. 

Em dezembro de 2009, Arruda pediu desfiliação do DEM, que já tinha decidido expulsá-lo. Com a prisão de Arruda em fevereiro de 2010, assumiu o então vice-governador Paulo Octávio, que renunciou ao cargo poucos dias depois, no dia 23 de fevereiro. Em março de 2010, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Distrito Federal decidiu por desfiliação partidária. Em 2013, Arruda se filiou ao PR, partido pelo qual é candidato nas eleições de outubro de 2014. 

Em novembro de 2009, Arruda foi flagrado num vídeo de 30 minutos e 31 segundos, recebendo maços de dinheiro das mãos do próprio Durval Barbosa, na época presidente da Codeplan, uma estatal do DF, e que depois foi secretário de Relações Institucionais do ex-governador. O vídeo teria sido gravado em 2006."Deixa eu pegar um negócio antes que eu me esqueça", disse Barbosa para Arruda, no vídeo. "Ah, ótimo. Me dá uma cesta, um negócio", respondeu o governador. Na sequência, Barbosa pega um envelope pardo em que o maço é guardado. A sacola com o dinheiro é levada da sala por Rodrigo Arantes, filho adotivo de Arruda. No vídeo, Arruda e Barbosa conversam sobre a campanha eleitoral.

Na época, o secretário de Ordem Pública do DF, Roberto Giffoni, admitiu ser dinheiro de campanha, mas negou ser propina. Os recursos seriam para campanha e teriam sido recebidos ainda em 2005, quando Arruda era deputado federal. Com a decretação da prisão pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), Arruda negociou sua ida para a Polícia Federal (PF), onde se apresentou. A chegada foi negociada entre assessores de Arruda e a cúpula da PF.

Jaqueline sofreu um processo de cassação no Conselho de Ética da Câmara, mas foi absolvida pelo Plenário da Câmara em agosto de 2011. Em votação secreta, os deputados livraram a colega, alegando que na época das acusações ela não era deputada. 

Em 2001, Arruda foi envolvido publicamente no escândalo da violação do painel do Senado, durante votação secreta da cassação do então senador Luiz Estevão, ocorrida em 2000. Inicialmente, Arruda negou envolvimento no caso, mas depois foi à Tribuna e chorou, admitindo o erro. Ele renunciou ao mandato em maio de 2001, escapando, desta forma, de um processo de cassação.

Fonte: O Globo

Colapso de autoridade - presidiários mandam, de dentro de suas celas, mais do que Dilma manda do seu gabinete no Planalto

Morderam Dilma

Na última sexta-feira, em Salvador, ao participar da convenção que lançou o candidato do PT ao governo do Estado, Lula afirmou que a política vive um momento de descrédito e que é preciso moralizá-la.  E completou: “Aos olhos do povo parece uma coisa vergonhosa”. E não é? Ora, Lula e o PT, mas não somente eles, contribuem para que boa parcela dos brasileiros sinta nojo da política e dos políticos.

Um dia antes, em Brasília, a presidente Dilma Rousseff havia dado posse a Paulo Sérgio Passos, o novo ministro dos Transportes. Ministro costuma ser empossado em uma das amplas salas do segundo andar do Palácio do Planalto. As cadeiras, ali, jamais são suficientes para o número pessoas interessadas em prestigiar o novo ministro.

Pois a cerimônia ocorreu numa sala menor do terceiro andar. Durou menos de 20 minutos. E foi quase clandestina. Políticos de peso não compareceram. O discurso de Dilma não passou de uma peça chocha e cínica. Ela disse que a ocasião se prestava para uma “pequena reorganização do time que toca a infraestrutura e logística do governo”. E concluiu: “Estou realocando as melhores pessoas em funções diferentes”.

Referia-se à transferência de Paulo Sérgio, presidente da Empresa de Planejamento e Logística, para o lugar de César Borges, até então ministro dos Transportes. Borges foi rebaixado à condição de ministro da Secretaria Especial dos Portos em substituição a Antônio Henrique Silveira, que doravante responderá pela secretaria-executiva do ministério de Borges. Por que esse troca troca?

A implacável faxineira ética do início do governo, a dura executiva que não perdoa falhas dos seus auxiliares, a mulher valente que se orgulha de manter distância dos políticos por considerá-los desprezíveis, enfim essa senhora antipática e refratária a salamaleques rendeu-se à pressão de uma agremiação inexpressiva chamada Partido da República (PR). Piscou primeiro. E ofereceu o ombro para ser mordido.

Arrancaram-lhe uma fatia de autoridade. Preocupada em assegurar o apoio do PR à sua reeleição e, por tabela, pouco mais de um minuto de propaganda eleitoral na televisão e no rádio, Dilma demitiu do Ministério dos Transportes quem mais de uma vez apontara como um dos seus melhores ministros. Borges é filiado ao PR – assim como Paulo Sérgio. Mas o PR se queixava de que Borges não atendia aos pedidos dos seus parlamentares.

A escolha de Paulo Sérgio desagradou ao PR, que o considera resistente à ideia de facilitar negócios inconfessáveis. Por isso, nenhum nome do partido foi visto na posse dele. O anúncio oficial do apoio do PR a Dilma está marcado para esta segunda-feira. É improvável algum recuo. Salvo se o inquilino de uma das celas da Penitenciária da Papuda, em Brasília, acordar de mau humor.

Valdemar da Costa Neto é o nome dele. Envolvido com o mensalão do PT, acabou condenado por corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. É ele que manda no PR. A República sabe disso. Como sabe que foi de uma cela do presídio Ary Franco, no Rio, a do ex-deputado Roberto Jefferson, condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, que partiu a ordem para o PTB abandonar Dilma e aderir à candidatura a presidente de Aécio Neves (PSDB).

A propósito: Fernandinho Beira-Mar não movimenta milhões de reais de dentro de cadeias de segurança máxima? Por que tenebrosas transações políticas não podem aproximar da Praça dos Três Poderes outro gênero de bandidos?

Fonte: Blog do Noblat
 

domingo, 29 de junho de 2014

Dilma contra a saúde - na surdina, eles continuam conspirando contra a saúde e os seus profissionais

Eles continuam agindo na surdina...
Diário Oficial da União (734) 

Para isso serve a copa... A DILMA novamente aprontando com os profissionais de saúde:
Aprovou uma portaria que autoriza o exercício da profissão de profissionais formados no Mercosul SEM REVALIDAÇÃO DO DIPLOMA!

 
Agora além do "Mais Médicos" teremos "Mais Enfermeiros", "Mais Fisioterapeutas", "Mais Odontólogos", "Mais Farmacêuticos" e por aí vai...

 
As profissões que foram autorizadas a trabalhar livremente no Brasil são: Médicos, Farmacêuticos, Dentistas, Enfermeiros, Nutricionistas, Psicólogos, Fisioterapeutas e Fonoaudiólogos!

 
Todos formados no exterior sem revalidar o diploma no Brasil...

 
Tudo isso na "Surdina" da Copa do Mundo!


CONFIRA CLICANDO AQUI, diretamente no Diário Oficial da União
 
http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=05/05/2014&jornal=1&pagina=36&totalArquivos=148


Mandem isso pra todos seus amigos enfermeiros, odontólogos, fisioterapeutas, farmacêuticos...


Alerta transcrito do site: A verdade Sufocada


 

Arruda, apesar de tudo, é a salvação do DF - a incomPeTência do AgnUlo, também conhecido como Agnelo, Queiroz está acabando com a Capital do Brasil

Rivais Arruda e Agnelo lançam candidatura ao GDF neste domingo  
José Roberto Arruda (PR) e Agnelo Queiroz (PT), que devem polarizar a disputa ao Palácio do Buriti, serão oficializados como concorrentes nas convenções de seus partidos

[Arruda, apesar de tudo, representa o BEM - já Agnelo Queiroz, PT/DF, representa o MAL, o diabo; entre o BEM e o MAL, entre o BEM e satanás, a opção é escolher o BEM, sem considerar quem o represente.]
O ex-governador Arruda deve anunciar o nome do seu candidato a vice. E o governador petista repetirá a dobradinha com o PMDB

A rodada de convenções partidárias termina hoje com a realização dos encontros de dois partidos que devem polarizar as eleições deste ano. Filiados do PR se encontram pela manhã no Ginásio Serejinho, em Taguatinga, para o lançamento da candidatura do ex-governador José Roberto Arruda ao Palácio do Buriti. 

No mesmo horário, os petistas esperam reunir 5 mil pessoas na Praça do Trabalhador, em Ceilândia, para oficializar que o governador Agnelo Queiroz seja mesmo concorrente à reeleição. As reuniões serão o pontapé inicial para a campanha eleitoral, que começa oficialmente em 6 de julho.

As candidaturas devem ser registradas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) até as 19h de 5 de julho. Até lá, ainda será possível fazer arranjos entre as siglas, já que a maioria das legendas deixou as atas das convenções em aberto, à espera das últimas negociações. Havia a expectativa de que, nas convenções, os partidos anunciassem as chapas majoritárias completas. Mas, diante das dificuldades em chegar a um consenso, os presidentes regionais deixaram as definições para a última hora.


Agnelo, como sempre, tentando explicar a proeza de comprar por R$ 500 MIL uma mansão avaliada em mais de R$ QUATRO MILHÕES
 
Dobradinha
Agnelo tem candidato a vice-governador desde setembro do ano passado, quando PT e PMDB decidiram repetir a dobradinha da última eleição. Portanto, Tadeu Filippelli será novamente o companheiro de chapa do governador. Os dois não estarão juntos na convenção do PT, hoje pela manhã, porque o PMDB fará o seu encontro no mesmo horário. Durante o evento, os peemedebistas vão anunciar os candidatos a deputado federal e distrital.

Principal rival do petista nas eleições, Arruda chega à data da convenção ainda sem o anúncio de seu candidato a vice-governador. A expectativa é de que o nome escolhido seja divulgado na manhã de hoje, mas a decisão pode ficar para os próximos dias. A mais cotada para o posto era a deputada distrital Eliana Pedrosa (PPS), que ontem foi lançada candidata ao governo. Nada impede, entretanto, que o PPS volte atrás e emplaque a parlamentar como número dois na chapa de Arruda.




Fonte: Correio Braziliense
 

O tiro que iniciou a Primeira Guerra Mundial, cem anos depois

O tiro que iniciou o conflito                                                                                       O assassinato do arquiduque austríaco foi o estopim para o confronto que marcou o século XX

Há exatos cem anos, um assassinato motivado por questões nacionalistas locais acabou por deflagrar uma guerra mundial que derrubaria quatro impérios e redesenharia a geopolítica mundial, abrindo oficialmente o século XX, na análise do historiador britânico Eric Hobsbawm. O assassinato do herdeiro do Império Austro-Húngaro, Francisco Ferdinando, foi o estopim que faltava para o início de um conflito que tinha raízes bem mais profundas e já vinha se desenhando há alguns anos. Um século depois, a morte em Sarajevo ainda é tópico de discussão entre historiadores e o papel do sérvio-bósnio Gavrilo Princip, autor do crime, se divide entre o de assassino de inocentes e herói nacional.


 O arquiduque Francisco Ferdinando pouco antes de ser assassinado pelo sérvio-bósnio Gavrilo Princip, membro do grupo Mão Negra - AFP

Uma estátua erguida em homenagem a Princip, inaugurada ontem em Sarajevo pelo membro sérvio da Presidência tripartite da Bósnia, dá o tom de como a questão secular permanece atual. O gesto revela as diferentes visões que persistem entre servio-bósnios, bósnio-croatas e bósnio-muçulmanos sobre o crime. Enquanto os sérvios veem o assassino de 19 anos como herói da libertação de todos os eslavos de séculos de ocupação imperial nos Bálcãs; outros o consideram um terrorista nacionalista que acabou por desencadear quatro anos de matança e sofrimento em que mais de 9 milhões de pessoas perderam a vida. — O atentado só pode ser compreendido se considerarmos que a Europa se apresentava como um verdadeiro barril de pólvora. O assassinato foi a espoleta que fez explodir aquele barril — afirma o historiador da Universidade de Passo Fundo (RS), Adelar Heinsfeld, especialista na questão.

Resistência a reformas
O motivo do crime, ao contrário do seu desencadeamento, era uma questão local. Com o imperador Francisco José doente, Ferdinando estava próximo de assumir o trono e demonstrava que faria reformas políticas dando mais autonomia às nações que compunham o império. Grupos dedicados ao pan-eslavismo e à criação de um estado que unisse as populações eslavas do sul como o Mão Negra, que tinha Princip como membro — viam no arquiduque uma ameaça ao seu projeto. — A Bósnia-Herzegovina, cuja capital era Sarajevo, foi anexada pela Áustria em 1908. O reino da Sérvia, que pretendia unificar os povos eslavos dos Balcãs, nunca aceitou isso. Por isso que um sérvio assassinou o herdeiro do trono do império considerado agressor que impedia a formação da Grande Sérvia — afirma Heinsfeld.

O Mão Negra viu na visita de Ferdinando a Sarajevo uma chance de ganhar visibilidade em um período em que a própria organização passava por problemas. O plano inicial de matar o governador da Bósnia, Oskar Potiorek, foi descartado. Todas as atenções foram voltadas para eliminar o arquiduque. Para isso, vários agentes foram mobilizados ainda em março, quando não se tinha certeza da presença do herdeiro do trono à cidade. Durante os meses seguintes, Princip foi treinado junto com outros e todos foram enviados clandestinamente para Sarajevo. No dia do atentado, cada um tinha uma missão. — Suponho que, até pela idade, Princip não tenha sido posicionado como o primeiro a tentar matar o arquiduque. Antes dele, dois agentes não conseguiram atirar e um terceiro, Nedeljko Cabrinovic, atirou uma bomba mas acabou atingindo outro carro da comitiva, ferindo mais de 20 pessoas — conta o historiador Miguel Arruda, da UFF, também especialista em Primeira Guerra.

Uma mudança de última hora no trajeto da comitiva do arquiduque não foi avisada ao motorista, que acabou tendo problemas ao tentar retomar ao trajeto correto. Era a chance de Princip. Ele avançou até o carro e deu dois tiros com uma pistola semiautomática. O primeiro acertou a jugular do arquiduque. O segundo atingiu a barriga de sua mulher, Sofia, que estava grávida.

Morte sem comoção popular
Segundo Heinsfeld, algumas versões indicam que o translado dos corpos teria sido propositalmente atrasado para que chegassem a Viena durante a noite de 29 de junho e não fossem vistos pelo público. De fato, quando os caixões chegaram, apenas o novo herdeiro, o arquiduque Carlos, estava na estação de trem. Após um rápido rito fúnebre, os corpos seguiram em carros funerários da prefeitura até embarcarem em um trem comum. O sepultamento ocorreu no dia 4 de julho, sem presença da população. — Não houve comoção na Áustria pelo assassinato. O episódio, no entanto, foi usado para atingir desígnios políticos. A Áustria exigiu da Sérvia atitudes que feriam as relações diplomáticas entre os países — diz Heinsfeld.

Com a morte de seu herdeiro, o governo austríaco enviou um documento, no dia 23 de julho, contendo uma série de exigências para que os dois países não entrassem em conflito. As condições eram consideradas inaceitáveis, pois violavam a soberania nacional. A Sérvia atendeu à maioria das reivindicações, mas negou algumas das exigências. O Império Russo já havia sinalizado apoio aos sérvios. A guerra entre os dois países foi declarada cinco dias depois e Belgrado foi bombardeada no dia seguinte.
Imediatamente, as tropas russas foram mobilizadas para auxiliar os sérvios. As políticas de alianças de cada país passaram a entrar em cena para defender suas frentes. — Vemos como a tensão antes de 1914 era muito grande. Houve situações de iminente confronto no Mediterrâneo poucos anos antes da Primeira Guerra Mundial. Só faltava uma oportunidade. Era praticamente inevitável, mas acreditava-se que ela demoraria mais um ou dois meses — afirma o historiador Orlando de Barros. 

Diante deste cenário as institucionalizadas alianças entraram em cena. Em 31 de julho, a Alemanha, aliada do Império Austro-Húngaro, exigiu que a Rússia desmobilizasse suas tropas e não foi atendida. No dia seguinte, foi declarada guerra à Rússia e a França se mobilizou para ajudar seu aliado czarista.— A guerra era iminente. O assassinato em Sarajevo transformou-se em uma grande articulação política que gerou uma guerra mundial que abalaria os quatro grandes impérios da época. Já a visão sobre Princip ainda gera polarizações. Uns o julgam como assassino de inocentes, outros o têm como herói nacional — observa Arruda.

Fonte: AFP


sábado, 28 de junho de 2014

PT, de acusador a réu por corrupção e outros crimes

De acusador a réu

Em entrevista ao SBT, anteontem, Lula, com ares de Conselheiro Acácio, disse, entre outras coisas, que “o PT vai ter que enfrentar o debate da corrupção”. Ontem, em Salvador, no lançamento da candidatura de Rui Costa ao governo da Bahia, voltou a falar em reforma “para moralizar a política”.

O que se percebe é que o PT ainda crê na possibilidade de retomar a bandeira da moralidade, que o levou ao Planalto, e assumir novamente o comando dessa discussão. Não percebeu que, em quase doze anos no poder, passou de acusador a réu.
Seu alto comando está (ainda) na Papuda. O debate se processará (já está, aliás, se processando) queira ou não o partido. A rigor, não queria, mas tornou-se inevitável. As manifestações que precederam a Copa do Mundo tinham menos a ver com o evento que com o ambiente em que as obras se desenvolveram.

Obras sem licitação, superfaturadas e inacabadas, constituem um velho padrão brasileiro, mas, na Era PT, mostraram-se sistêmicas; ganharam o cunho do oficialismo. O Mensalão, que Lula diz jamais ter existido o que colocaria o Supremo Tribunal Federal, que condenou os infratores, no banco dos réus -, não tem precedentes. Não foi um roubo isolado, mas a tentativa de embolsar um Poder da República – e que só fracassou graças à inconfidência de um dos cúmplices, o ex-deputado Roberto Jefferson, do PTB, que se sentiu enganado. Chegou-se a tal extremo que não há exagero em afirmar que, para descobrir novas falcatruas, basta escolher aleatoriamente uma repartição qualquer do Estado.

O empenho do governo em impedir investigações na Petrobras equivale a uma confissão de culpa. O partido, que fazia das CPIs o seu principal palanque, hoje as evita a todo custo. Ao longo do exercício do poder, viu, um a um, os seus principais quadros intelectuais o abandonarem, em meio a desabafos de decepção. Restaram-lhe figuras que mais se amoldam a uma delegacia policial que a uma tribuna parlamentar.

Não será fácil a Lula enfrentar esse debate, já que ele próprio está no centro de algumas acusações. Tanto o Mensalão como a absurda compra da refinaria de Pasadena ocorreram sob seu governo. E há ainda casos constrangedores, como o de Rosemary Noronha, a namorada que chefiava a Presidência em São Paulo, e que, nessa condição – de chefe e namorada -, nomeava figurões da República e fazia bons negócios.

Lula até hoje não emitiu uma palavra sequer sobre o assunto, o que torna seu silêncio mais eloquente que as palavras. Difícil imaginar um debate sobre corrupção que passe por cima desses temas. A estratégia até aqui exibida é a de tentar implicar o concorrente em acusações similares, na base do “eles também roubaram”. Não há como cobrar, mais de uma década depois, atos que cabem a quem estar no poder punir.

Lula ensaiou um discurso pacifista e autocrítico na entrevista do SBT, ao reconhecer que os insultos do Itaquerão não decorreram apenas da tal elite branca de São Paulo. São bem mais amplos e foram reproduzidos em outros ambientes. Gilberto Carvalho já havia dito isso em entrevista a blogueiros chapa-branca. O partido sabe que perdeu o encanto junto à classe média e ao empresariado, sustentáculos consideráveis em sua ascensão e permanência no poder. Resta-lhe a clientela do bolsa-família, nada desprezível do ponto de vista estatístico, mas insuficiente para garantir um segundo mandato de Dilma.

Também nesse segmento, a inflação dos alimentos preocupa, semeia insatisfações e impõe perdas. E os demais candidatos também irão se comprometer com a continuidade daquele benefício, que, aliás, foi herdado da administração tucana. O discurso do ódio, na base do nós x eles, não parece eficaz e é desaconselhado pelos marqueteiros. Mas o partido não parece ter outro. Tanto assim que ontem, em Salvador, Dilma voltou a proferi-lo, acusando seus adversário de apelar “para o ódio, os xingamentos e a política desqualificada”.

São palavras que não resistem a um exame superficial. Política desqualificada? Que tal examinar os quadros da base parlamentar governista? Xingamentos? E o que Lula disse do ex-presidente Itamar Franco, ao ofender publicamente sua mãe? E o que o PT fez com a blogueira cubana Yoani Sánchez quando de sua visita ao Brasil? E com a deputada venezuelana Maria Corina? E o apoio ao regime venezuelano?
Há bem mais: o financiamento ao porto cubano, o perdão das dívidas de regimes totalitários africanos sem audiência ao Congresso etc. etc. Por aí, não será fácil estabelecer o debate que Lula acredita ter ainda sob controle.

Por: Ruy Fabiano, jornalista - Blog do Noblat

Policial militar é executado - Cerca de 30 disparos foram efetuados contra o policial

Policial do Batalhão de Choque é executado em São Gonçalo

O policial militar Daivid Lopes Athanásio, de 25 anos, foi executado, na noite desta quinta-feira, no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. Pelo menos 30 disparos de pistolas foram efetuados contra o policial quando ele saía da padaria do pai, por volta das 20h, na Rua Padre Vieira, número 552, esquina com a Rua Aymorés. Segundo a perícia, pelo menos seis tiros atingiram a vítima, sendo dois no tórax e um na cabeça. Mais de 20 disparos atingiram a lataria do Honda Civic do PM.

O carro do PM com mais de 20 marcas de tiros - Fernando Quevedo / Agência O Globo

Promovido há cerca de um mês, o cabo era lotado no Batalhão de Choque e estava na PM há três anos. Ele chegou a ser levado ao Hospital estadual Alberto Torres pelo próprio tio, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo parentes e amigos da vítima que presenciaram o crime, quatro homens, que chegaram ao local em um Fiat Uno marrom, agiram com extrema violência. — A vítima não teve chance nenhuma de se defender. Parecia uma praça de guerra — contou um parente, que presenciou o fato e preferiu não se identificar. — Queremos justiça! Esses bandidos precisam ser presos e nunca mais sair da prisão — desabafou.

De acordo com as testemunhas, os atiradores não estavam com o rosto coberto, o que poderá facilitar a identificação através de imagens de câmeras da região, que a Polícia Civil vai solicitar. O caso foi registrado pela Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. O delegado que assumiu as investigações, Marcus Vinícius Amim Fernandes, trabalha com a hipótese de execução. — Pela dinâmica do evento e pela quantidade de tiros que foram efetuados, trabalhamos com a hipótese de execução. Ainda trabalhamos com a hipótese de os criminosos serem daquela localidade, o que também pode facilitar na identificação e localização deles — afirmou.

ORDEM DE CRIMINOSOS SERIA EXECUTAR POLICIAIS DA REGIÃO
Moradores de Jardim Catarina temem a ação de bandidos naquela região. Segundo eles, a notícia de que o chefe do tráfico teria dado ordem para matar PMs que moram na localidade vem se espalhando a cada dia. A Divisão de Homicídios também trabalha com essa informação. No caso do cabo Athanásio, testemunhas contaram que, antes da morte do PM, os mesmos criminosos teriam tentado matar um outro policial, que estaria no ponto final do bairro. — O setor de inteligência já levantou algumas informações de traficantes da região que estariam proferindo ameaças a policiais que moram na localidade. Estamos trabalhando com essa hipótese também. A partir daí, vamos levantar a autoria e tentar conseguir um mandado de prisão — explicou o delegado.

Ainda não há informações sobre o enterro do corpo do policial que, até as 2h desta sexta-feira, aguardava no hospital para ser encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML).

Fonte: O Globo 
 

Petistas acabam com o valor, dignidade e importância de qualquer cargo que ocupem - fizeram isso com a presidência da República

Se o objetivo é aviltar um cargo público a forma mais simples de ter êxito é entregar o mesmo para um petista

Exemplo: a presidência da República era uma instituição séria, respeitável e que se caracterizava pela 'liturgia do cargo' - palavras do Sarney, que, pode até não ter dignificado a instituição presidência da República mas conseguiu preservá-la.

No passado, a presidência da República era tão importante que seu titular era considerado o "funcionário público nº1"

Lula foi eleito presidente do Brasil e reduziu a presidência da República a uma central de conchavos, antro de corrupção, administração central do MENSALÃO - PT.

No segundo mandato - que lhe foi conferido pela estupidez dos que nele votaram e pelos critérios de apuração de votos da Justiça Eleitoral, que maximizam os votos válidos - Lula sepultou mais um pouco a instituição "Presidência da República". O Apedeuta chegou ao descaramento de nomear a namorada Rosemary Noronha, chefe do escritório de representação da presidência da República em São Paulo. 
A amiga íntima do Lula conseguiu a proeza de ser desqualificada por seus próprios corruptores, que a consideravam uma corrupta 'pé-de-chinelo' já que se vendia por ninharias. 
Tamanha foi a desvalorização da Rose que o 'sindicato dos corruptos' a expulsou do seu quadro de associados (formado na quase totalidade por petistas) sob a acusação de desvalorizar a categoria.


Dilma, conseguiu em seu mandato ainda inconcluso reduzir a quase nada o valor, o prestígio, a dignidade, a liturgia daquela instituição.

Muitos talvez não lembrem que um ex-presidente da República, por sinal um petista, João Paulo Cunha, é um presidiário, atualmente encarcerado no Presídio da Papuda.

Marco Maia, outro petista, ocupou por várias vezes o cargo de presidente da República e tem em sua brilhante biografia a anotação de ser o autor da idéia de utilizar as dependências da Câmara dos Deputados para abrigar os criminosos do MENSALÃO - PT no momento em que tivessem a prisão decretada.

E a Dilma, ainda não satisfeita com a destruição que comandou naquela instituição, quer voltar para concluir sua obra maldita de destruição.

Cabe a nós brasileiros cuidar com afinco, dedicação e coragem para que nas eleições de outubro/2014 seja eleito presidente da República um BRASILEIRO DO BEM, que seja competente o bastante para reerguer nosso Brasil e não deixe que o restante da instituição PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA seja sepultado no esgoto.





Palhaçada - quando as 'com omissões da verdade' vão deixar de esconder a verdade, mentir, fraudar, apenas para aparecerem mais do que a VERDADE, que deveria ser a única estrela

Comissão da Verdade do Rio rechaça sindicâncias das Forças Armadas

Em relatório apresentado nesta sexta, entidade divulga certidões de óbito de militantes de esquerda mortos no DOI-Codi;                                                                  militares afirmaram que não teria havido desvio de finalidade em instalações

Com objetivo de dar uma resposta às Forças Armadas, a Comissão estadual da Verdade do Rio apresentou na tarde desta sexta-feira, em sua sede, no Centro, um relatório com as certidões de óbito de Gerson Theodoro de Oliveira e Maurício Guilherme da Silveira, militantes da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) que estiveram no DOI-Codi do Rio e, de lá, saíram mortos. Sindicâncias solicitadas pela Comissão Nacional da Verdade às três Forças Armadas concluíram que não teria havido desvio de finalidade em sete instalações militares onde, segundo a CNV, ocorreram graves violações aos direitos humanos durante a ditadura militar. [o irônico, a palhaçada, é alguém ainda perder tempo apurando alguma coisa para qualquer uma das 'com omissões da verdade' - todos sabem que qualquer manifestação,  de qualquer uma daquelas 'com omissões' , será sempre contra os militares - mesmo que para isso o 'caçadores da verdade' tenham que mentir.
O desejo de revanche é tão intenso que expõe as próprias 'com omissões' situação extremamente ridículas, bizarras mesmo. Um exemplo: recentemente, a 'com omissão da verdade' nacional - aquela criada por lei e que é a mãe de todas as mentiras foi ameaçada de processo pela 'com omissão da verdade' de São Paulo, filhote da primeira. 
Motivo: a 'com omissão' mãe de todas as mentiras não concordou com o relatório da 'com omissão' paulista que dizia que JK foi assassinado.]


 Fachada do 1º Batalhão da Polícia do Exército,na Tijuca - Márcia Foletto / Agência O Globo

 

Os corpos de Gerson e Maurício foram entregues às famílias com a versão de que eles teriam sido vítimas de troca de tiros durante um assalto na Avenida Suburbana durante a ditadura. Porém, segundo o relatório apresentado pela Comissão estadual da Verdade, o laudo cadavérico de ambos derruba a tese “de maneira cabal'”: as certidões informam, como local da morte, a Rua Barão de Mesquita 425, na Tijuca, onde funcionava o DOI-Codi. — Ao que me consta, esse não era o endereço de um hospital, de uma casa de saúde ou de uma UPA — afirmou, durante a apresentação, o presidente da comissão do Rio, (.....) rechaçando a posição do Exército, da Marinha e da Aeronáutica de que não teria havido desvio de função nas sete instalações, entre elas a da Barão de Mesquita. [a identificação por pontinhos do presidente da 'com omissão' do Rio é por ser tal pessoa tão insignificante que seu nome não merece ocupar espaço, ainda que virtual.]
 
A Comissão da Verdade do Rio também lembrou os depoimentos já tomados de militares, entre eles os coronéis Paulo Malhães (que fez parte do Centro de Informações do Exército, e foi assassinado este ano), Riscala Corbaje (apontado como um dos principais torturadores da equipe de interrogadores do DOI), Raimundo Ronaldo Campos e Walter Jacarandá; eles revelaram “métodos brutais de tortura praticados dentro de instalações militares”', completa o relatório.

Fonte: O Globo

Pesquisa personalizada