Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

Blog Prontidão Total

Blog Prontidão Total

Este espaço é primeiramente dedicado a DEUS, a PÁTRIA, a FAMÍLIA e a LIBERDADE.

Vamos contar VERDADES e impedir que a esquerda, pela repetição exaustiva de uma mentira, transforme mentiras em VERDADES.

Escrevemos para dois leitores: “Ninguém” e “Todo Mundo” * BRASIL Acima de todos! DEUS Acima de tudo!

NOS VISITE!!! ENTRAR!!! CONTINUAR>>>


COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

sábado, 19 de julho de 2014

Rivalidade Brasil x Argentina

Rivalidade além do limite
O antagonismo Brasil/Argentina ganhou cores mais intensas nesta Copa, com direito a confusões generalizadas. 

Saiba qual é o risco de que esta disputa ultrapasse as quatro linhas e comprometa a amizade, o turismo e o comércio entre as nações vizinhas
A tradutora Sílvia Barbosa foi a uma cafeteria de Buenos Aires para assistir à partida entre Brasil e Camarões ainda na primeira fase da Copa do Mundo. Capixaba de Nova Venécia e há sete anos residente na Argentina, ela não se conteve e soltou um grito após o gol de Neymar que desempatou o jogo. “Todo mundo me olhou feio”, diz ela, que não usava camiseta da Seleção, nem qualquer adereço verde-amarelo. “Depois do terceiro gol, simplesmente mudaram de canal.” Naquela altura da Copa, cena semelhante já não era incomum para um portenho que acompanhava os jogos no Brasil. As relações entre torcedores brasileiros e argentinos, que no começo do Mundial variavam entre desconfiadas e bem-educadas, foram se deteriorando velozmente. As animosidades cresceram a tal ponto que no dia da final, 13 de julho, descambaram para a pura violência, dentro e fora do Maracanã e nos arredores da Fan Fest, em Copacabana.

(. . . ) 

Além do histórico “macaquito”, não pode ser desprezado o papel que teve na rivalidade a nova canção dos argentinos, exaltando Diego Armando Maradona em detrimento de Pelé, em plena Copa no Brasil. É incrível que ela tenha mexido até com quem não costuma se deixar levar por essas coisas. “A musiquinha me deixava de cabelo em pé”, admite a professora paulista Adelina Chaves, que mora há mais de 30 anos na Argentina. “Era boba e injusta. Comemorei as duas Copas que eles ganharam, mas a Argentina ganhar uma Copa do Mundo no Brasil, dentro do Maracanã? Ah, isso não!” Até mesmo o pesquisador Guillermo Schoua criticou a letra. “Para mim, soou ridícula. Se tem algo que nenhum brasileiro fez foi ‘não parar de chorar’, como diz a letra.” De acordo com o antropólogo José Garriga, doutor pela Universidade de Buenos Aires, a construção de um adversário é uma estratégia de vendas eficaz.

Fora dos gramados sempre houve tensão entre Brasil e Argentina. O passado de crises ao longo da história não é pequeno. Uma das mais complicadas remonta a 1852, quando o governador de Buenos Aires Juan Manuel de Rosas foi derrubado pela oposição interna com a ajuda das tropas imperiais brasileiras. Durante a Segunda Guerra Mundial, outra divergência séria, com o Brasil do lado dos aliados e o governo vizinho neutro, mas muito mais próximo do Terceiro Reich. A construção da hidrelétrica de Itaipu, iniciada nos anos 1970, criou rusgas entre a ditadura brasileira e a argentina. As Forças Armadas dos dois lados sempre viram o vizinho como o adversário bélico potencial e durante toda a segunda metade do século XX a diplomacia bilateral foi contaminada pela disputa sobre quem teria hegemonia na América do Sul. Exemplo eloquente foram as divergências sobre a participação no Conselho de Segurança da ONU. “No começo dos anos 1990, a Argentina queria uma cadeira no conselho. No final desta década, envoltos pela crise econômica, os argentinos já aceitavam ajudar o Brasil a assumir a liderança local. Em 2000, passaram a apoiar o País”, afirma Ariel Palacios.

(. . .) 


Fonte: Revista IstoÉ

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada