Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

IMPOSTÔMETRO

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Eleições 2014 - PT sonha com crescimento e PSDB desconfia do Datafolha - Aécio vai disparar na liderança a partir de sexta, e vencer na pesquisa de domingo, a da urna, a que vale. Dilma já era

Petistas veem tendência de crescimento e tucanos minimizam resultado do Datafolha

Instituto apontou empate técnico entre os candidatos, no limite da margem de erro

A reviravolta na pesquisa do Datafolha divulgada na segunda-feira, que apontou a presidente Dilma Rousseff (PT) à frente da disputa no segundo turno, a uma semana da eleição, foi recebida com entusiasmo pelos petistas, enquanto tucanos minimizaram o resultado. No comitê de campanha de Dilma, a avaliação é de que o levantamento mostra um começo de crescimento gradual que a levará à reeleição. Na coordenação da campanha de Aécio Neves (PSDB), a opinião é de que ainda é cedo para considerar o resultado definitivo, e que os números seguem dentro da margem de erro, portanto, sem tendência favorável à candidata à reeleição. 
 Segundo dirigentes petistas, os levantamentos internos vinham apontado nos últimos dias um crescimento numérico expressivo, apesar do Datafolha ter trazido um empate no limite da margem de erro. — Vamos crescer mais a partir desta pesquisa porque ela mostrou uma tendência de crescimento — avaliou o líder do PT no Senado, Humberto Costa.

Ele afirmou, ainda, que o racionamento da água que ocorre em São Paulo é fator decisivo na queda de Aécio. Para Costa, o problema foi escondido no 1º turno para reeleger Geraldo Alckmin governador, mas, agora, não há como contornar a situação: — Em São Paulo, a situação se complicou para o PSDB. As pessoas estão sem água e isso reflete na campanha.

Para o ministro Ricardo Berzoini (Relações Institucionais), a pesquisa mostra que a campanha de Dilma no 2º turno foi bem recebida pelos eleitores: -  O debate bem feito e verdadeiro que a campanha se propôs a fazer vem sendo assimilado de forma positiva pela população.

Líder do PT na Câmara, o deputado Vicentinho (SP) acredita que o resultado deve animar a militância: — O resultado é excelente principalmente para levar a militância às ruas.

Coordenador da campanha de Dilma pelo PMDB, o deputado Eliseu Padilha avaliou que esse resultado é reflexo de acertos que ocorreram na campanha desde a semana passada.
— O que ganha eleição não é o ontem, é o amanhã. E Dilma acenou para o amanhã de forma mais objetiva que Aécio — afirmou.

TUCANOS LEMBRAM VOTAÇÃO NO 1º TURNO
Além da margem de erro, alguns tucanos lembraram que o candidato do partido teve no primeiro turno quantidade significativa a mais de votos do que as pesquisas sinalizavam.
Tem uma semana de campanha pela frente e ela dura uma eternidade — disse Alberto Goldman, que coordena a campanha em São Paulo.

Ele atribuiu o crescimento de Dilma à campanha agressiva nas redes sociais baseada em “calúnias”:  O PT é o partido do submundo e isso é incontrolável. Não há limites. O coordenador-geral da campanha de Aécio, senador Agripino Maia (DEM), avaliou que as pesquisas não estão refletindo o sentimento de mudança da população. — A dinâmica da campanha de Aécio fez com que a diferença entre os números da última pesquisa do primeiro turno e o resultado das urnas chegasse a mais de 7%. A onda continua e vai surpreender — disse o senador.

O deputado Duarte Nogueira (PSDB), presidente do partido em São Paulo, afirmou que não há motivo para preocupação: — Há uma força de mudança. O dia da eleição é a pesquisa que vale.

Coordenador da campanha de Marina Silva à Presidência e agora aliado de Aécio, o ex-deputado Walter Feldman avaliou os números como contraditórios com as pesquisas internas do partido: — As pesquisas do primeiro turno mostraram resultados diferentes do que surgiram nas urnas.

Fonte: O Globo

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada