Visitantes desde 1º junho 2013

Free counters!

COMUNICADO - Novo Site

Nota de Esclarecimento

Importante:

Memória: em 8 setembro 2007, começamos as atividades deste Blog, sob o título Blog da UNR e nossos objetivos estão bem destacados no nosso primeiro post, título 'início das atividades...' .

De imediato, constatamos que estando a esquerda no governo, uma dificuldade se apresentava: contar os erros, as traições, as covardias, os assassinatos, as falcatruas cometidos pela esquerda durante o Governo Militar OU contar os crimes que a esquerda, a petralhada à frente, continua cometendo nos dias atuais? (apesar de fragorosamente derrotada pelos militares a esquerda aproveitou-se da generosidade dos vencedores e voltou tal qual serpente e conseguiu PERDER A GUERRA e vencer a Batalha da Comunicação, passando de vilão a heroína).

A famigerada esquerda conseguiu o poder - agindo disfarçada de democrata - e passou a mostrar, de forma descarada, ser pior que antes.

Diversos motivos, que não vem ao caso aqui detalhar, tornaram conveniente alterar o nome do Blog da UNR, que passou a denominação de BLOG PRONTIDÃO, mantendo a URL.

Apesar de ser um Blog pequeno, fruto de um trabalho amadorístico, porém de muita dedicação, contando com poucos seguidores, alguns visitantes fiéis, outros eventuais, tivemos a imensa alegria de constatar que incomodávamos a petralhada - o que foi fácil perceber pela necessidade de 'moderar comentários', pelos xingamentos que recebemos a cada postagem, tentativas de invasão (parcialmente exitosas, com modificações de postagens {o mais odioso foram as vezes que conseguiram mudar palavras, trechos de postagens, títulos, e passar a idéia que defendíamos o desgoverno petralha}).

Para tornar mais dificil que os guerrilheiros da informática à serviço do desgoverno - o ministro da Secom, Traumann, foi demitido por admitir publicamente que o desgoverno Dilma, a exemplo do seu antecessor $talinácio Lula, usam a guerrilha virtual - continuassem a nos incomodar, decidimos suspender, temporariamente, a veiculação de POSTs no Blog Prontidão, passando a veicular no Blog PRONTIDÃO TOTAL, usando outra URL.

Claro que alguns leitores não acessaram o Blog Prontidão Total - o que atribuímos a alguma falta de comunicação da nossa parte - porém, de tudo concluímos que podemos e VAMOS PERMANECER firmes e fortes, protegidos da sanha 'assassina' dos guerrilheiros virtuais do desgoverno, contando a verdade, tudo o que soubermos e o nosso amadorismo permitir, do muito de ruim, de nocivo, de pernicioso, que o atual desgoverno pratica, estimula, esconde e apoia.

Voltar ao Blog PRONTIDÃO seria pretender que nossos poucos leitores ficassem pulando de galho em galho - a manutenção da nossa 'linha editorial', que vem desde 2007, é eloquente e fiel aos fatos ao provar que nossos ideais permanecem firmes, estamos apenas mais fortes.

Vamos continuar com a denominação Blog PRONTIDÃO TOTAL, na URL que atualmente atende àquele Blog, mantendo nossa postura de apresentar sempre a VERDADE - verdade que representa os fatos (aliás, não podemos esquecer, verdade e fato são unos)e não a verdade conveniente (tática usada pela esquerda petralha).

Felizmente, temos dois leitores, afinal, escrevemos e vamos continuar escrevendo para dois leitores: "Ninguém" e "Todo Mundo".

Por favor, nos honre com sua visita, clicando aqui: Blog Prontidão Total ou em qualquer link disponível, em azul, neste texto

ou colando em seu navegador: http://brasil-ameoudeixe.blogspot.com.br/

ou Blog Prontidão Total

BRASIL! ACIMA DE TUDO

IMPOSTÔMETRO

Ad Sense

sábado, 29 de novembro de 2014

Para Israel só interessa a extinção dos palestinos

Projeto aumenta isolamento de Israel

Definição do país como ‘Estado-nação do povo judeu’ é um retrocesso na democracia porque marginaliza a população árabe-israelense

No Oriente Médio, nada é tão ruim que não possa piorar. No caso da Primavera Árabe, quase quatro anos depois apenas a pioneira Tunísia está no rumo democrático. O Egito voltou à ditadura militar, o Estado líbio se fragmentou, uma longa guerra civil destrói a Síria, provocando um êxodo de refugiados. Da maré montante de organizações islâmicas radicais, uma delas ergueu-se de forma inesperada e violenta: o Estado Islâmico (EI), que implantou um califado trevoso em amplas áreas da Síria e do Iraque em nome do fundamentalismo sunita e vem batendo todos os recordes de violência, barbárie e retrocesso civilizatório. Conflitos alimentados, no fundo, pela guerra entre sunitas e xiitas.

Nesse contexto, o embate entre Israel e palestinos, a luta destes pela constituição de um Estado, deveria receber prioridade máxima. Desatar este nó é vital para desanuviar o quadro, o que requer novas atitudes não só do Estado judeu, como dos países árabes. Mas, o que se verifica é que os dois lados cada vez mais se aferram a posições radicalizadas. Israel segue expandindo a ocupação de territórios palestinos. Estes seguem fazendo atentados sangrentos. Cansada, a comunidade internacional começa a demonstrar impaciência com Israel: a Suécia já reconheceu a Palestina, o Parlamento britânico também (medida mais simbólica) e a França poderá ser a próxima a fazê-lo.

ADVERTISEMENT
Nas últimas semanas, a violência aumentou em Jerusalém, devido a uma disputa religiosa: ativistas judeus querem ter o direito de rezar no local chamado pelos israelenses de Monte do Templo e, pelos árabes, de Nobre Santuário área entregue à administração religiosa islâmica e em que fica a mesquita de al-Aqsa, sagrada para os muçulmanos. [se a área está sob administração religiosa islâmica e abriga uma mesquita sagrada para os muçulmanos, soa como provocação que ativistas judeus queiram realizar atividades religiosas em área considerada sagrada por outra religião.]Onze israelenses foram mortos, incluindo quatro rabinos e um policial esfaqueado e alvejado a tiros, por palestinos, em uma sinagoga da cidade. Doze palestinos também foram mortos, incluindo grande parte dos autores dos ataques. 

Só contribui para radicalizar mais a situação o projeto aprovado pelo governo do premier Benjamin Netanyahu, mas ainda não pelo Parlamento, que define Israel como “o Estado-nação do povo judeu”, aprofundando uma divisão já existente entre a maioria judaica e os árabes israelenses — 20% da população de 8 milhões. O projeto foi criticado pelo próprio presidente israelense, Reuven Rivlin: “o Estado de Israel foi estabelecido sobre duas fundações sólidas: judaísmo e democracia. A remoção de um deles vai levar à queda de todo o prédio”.

Em editorial, o “New York Times” lembrou que a Declaração de Independência enfatiza que Israel foi criado como um lar para os judeus, mas garantecompleta igualdade de direitos sociais e políticos a todos os seus habitantes, sem distinção de religião, raça ou sexo”. O projeto sob exame é discriminatório, antidemocrático e aumenta o isolamento de Israel.

Fonte: Editorial - O Globo

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada